GUIA DO GAUCHÃO 2012: S.E.R. Caxias

O ano de 2012 começa com incertezas e alguma tristeza pra torcida do Caxias.

O sentimento de tristeza é proveniente do falecimento do supervisor de futebol do clube, Vanderlei Bersaghi, o Pé, figura querida do esporte caxiense e grená fanático. O VW Gol que conduzia no retorno de Veranópolis, quando acompanhava o amistoso entre o Caxias e a equipe do Veranópolis se chocou violentamente contra um FIAT Palio, dirigido por um motorista (ao que andam apurando) alcoolizado. Triste fim de 2011.

Já o sentimento de incerteza da torcida vêm pelas caras novas que desembarcaram no Estádio Centenário no final do ano. Depois de pífia participação na Série C e na copinha do ano passado, o grupo foi completamente remodelado, e passou a ser treinado por Paulo Porto. O técnico, que já foi por duas vezes o melhor do campeonato gaúcho, chega para sua segunda passagem pelo Caxias, com foco total no gauchão, segundo entrevista recente.

As metas traçadas pela direção, que ao meu ver são realistas, tratam-se de alcançar o Título do Interior no Coca-Colão 2012 (se vier algo a mais é lucro) e também conquistar o acesso para a Série B do campeonato brasileiro 2013, o santo graal grená que a torcida (que anda impaciente, com razão, tem um tempo) almeja a alguns anos. Como relatei anteriormente, a incerteza é o sentimento mais presente nesse momento. O grupo é uma incógnita e os amistosos foram escassos (o último, contra o VEC, foi interrompido aos 17 minutos do segundo tempo, em razão do falecimento de Vanderlei Bersaghi; o jogo estava 1×0 para os donos da casa), fatores que me conduzem a uma opinião rasa sobre a equipe e estilo de jogo.

Por enquanto me limito a expressar minhas expectativas sobre o ano grená: estou preparado para um ano dificil, com uma campanha apenas regular no estadual (ganhar o clássico Caju é sempre interessante) e uma Série C complicada (passar de fase dependerá definitivamente de vitórias em todos jogos em casa), novamente no GRUPO DA MORTE, na qual, por enquanto, a briga será acirrada também para não cair. Sim, estou receoso. Sim, preciso ver para crer. Sim, vou acompanhar novamente os jogos, lá do Túnel do Terror. Sim, espero estar redondamente errado.

Vamos à analise do grupo, que pelo que se desenha, será esse mesmo:

Elenco (jogadores utilizados no amistoso contra o Veranópolis, último jogo de 2011)

Goleiros

Alexandre Villa: Vêm para tentar se estabelecer em uma posição carente nos últimos anos. Com passagem pelo futebol da Romênia (?), teve como último clube nacional o Botafogo (SP). Veremos, se fizer o feijão com arroz, com um ou outro milagre, já me serve.

Paulo Sérgio: foi reserva do Joinville (SC) ano passado, quando o clube catarinense conquistou a série C.

Laterais

Maidana: o argentino formado pelo Boca Juniors vêm para ocupar a lateral direita. Promessa de raça em campo, a conferir.

Diego Piva: formado pelo Caxias, o jovem lateral é reserva imediato de Maidana. Pelo pouco que acompanhei, tem futuro.

Fabinho: lateral esquerdo vindo do Luverdense (MT). Incógnita.

Lucas Galvão: jovem lateral vindo da Ponte Preta (SP), ocupa a reserva do Fabinho, também uma incógnita.

Zagueiros

Lacerda: o zagueiro, que disputou partidas em 2011 pelo Luverdense (MT) e Red Bull Brasil (SP) chega com ares de xerifão da zaga grená, mas precisa convencer a torcida de que realmente o é. A conferir.

Jean: jovem zagueiro, cria do Brasil de Farroupilha. A conferir.

Tiago Pagnussat: oriundo do Vila Aurora (MT), chega pra brigar por posição com Lacerda e Jean. Incógnita.

Renan: mais um garoto da base do Caxias em busca de experiência e um lugar ao sol. Olho nele.

Volantes:

Umberto: boa contratação, um dos poucos que me chamou a atenção no grupo do Juventude que disputou a Série D ano passado. Vem com discurso otimista, e se repetir o que jogou no co-irmão e botar vontade no corpo, me serve pro Caxias.

Alisson: volante vindo do Paysandu (PA), conforme o campeonato rolar eu teço comentários aqui.

Mateus: oriundo do Barueri. Incógnita.

Vinicius: categorias de base do Caxias, mais um compondo o grupo e em busca de experiência.

Meias:

Juninho: contratado junto ao Paraná Clube, chega com experiência no futebol BOLIVIANO. A conferir.

Thomaz: o volante, que chama a atenção pela BARBA que ostenta, tem alguma técnica. Pode contribuir bastante, se botar vontade e suar a camisa.

Wangler: base do Caxias, compõe grupo e pode ser uma grata surpresa.

Atacantes:

Rafael Santiago: o atacante, ex-Ypiranga, chega pra substituir Lima, que chegou destruindo as zagas adversárias e no final da passagem pelo Caxias destruiu os ataques grenás. Veremos.

Pedro Henrique: cria do Caxias, tem minha simpatia. Abusa de dribles, tem talento e velocidade. Se for um pouco mais objetivo nas jogadas pode despontar e finalmente se firmar como bom jogador. Pra cima deles, PH.

Caion: com passagem pelo futebol sul-coreano, precisa mostrar suas credenciais pra torcida grená. A conferir.

No mais é isso. Que bons e afortunados ventos soprem nas bandas do velho Estádio Centenário, e que São Pedro poupe a calejada e fiel torcida das chuvas que misteriosamente aparecem nos dias de jogo. Avanti grená!

Direto da terra das uvas elétricas (oi Lasier),

Tiago Zilli.

Publicado em Caxias, Gauchão 2012. ligação permanente.

12 Respostas a GUIA DO GAUCHÃO 2012: S.E.R. Caxias

  1. daroit diz:

    Fabinho já jogou na Laci Ughini, é ex-Inter e Pelotas, joga muita bola.

    Mateus surgiu como um gênio no Criciúma, mas desde lá é só derrocada. Curto afu ele, tomara que engrene. Ou não, e acabe no Lajeadense :}

    No mais, esse Caxias não é melhor que Juventude, Lajeadense, Novo Hamburgo, Pelotas, Avenida… Vai ser briga feia.

  2. tiagozilli diz:

    A esperança é que o time “encaixe”, a principio acredito que existem plantéis melhores pelo interior (nóia, veranópolis, juventude e lajeadense, por exemplo)

  3. daroit diz:

    veranópolis? na minha cabeça eles são tipo o pior do campeonato tirando santa cruz, canoas e cruzeiro, que nem podem ser chamados de elencos haha

    eu acho que na real tá todo mundo meio igual, caxias, juventude, nóia, lajeadense, pelotas, um pouco menos são luiz, avenida e são josé. e o ypiranga e o ceramica meio sem nada pra fazer.

  4. tiagozilli diz:

    Veranópolis tem a politica de montar times usando a verba do ano inteiro, pagam bem. Sempre monta uns times ajeitados. De mais a mais, esse é um dos campeonato gauchos mais parelhos (times do interior) que eu lembro. Tudo pode acontecer.

  5. Na Rádio ABC 900, hoje, falaram que Santa Cruz, Canoas, Cruzeiro e Veranópolis têm os times mais fracos. E, me desculpem, mas o Canoas/Universidade/Ulbra/Nova Ulbra/Time da Praça do Avião não fará nenhuma falta no BRIZOLÃO. Pode fazer companhia ao Porto Alegre.

    O Galo está levando pau em todos amistosos, Cruzeirinho não tem mais o Leocir e o VEC deve fazer o suficiente para permanecer como figurante.

    Cerâmica montou um time para permanecer e, eventualmente, fazer um salseiro.

    Outro que tem que se cuidar é o Pelotas.

    Dos times pequenos, quem mais tem investido é o Zequinha, visto que ano que vem é o centenário do clube e seria de bom grado uma vaguinha na Copa do Brasil

  6. beretta diz:

    Zequinha investindo, acho que sei quem é o “dono” do clube…

  7. daroit diz:

    “Na Rádio ABC 900, hoje, falaram que Santa Cruz, Canoas, Cruzeiro e Veranópolis têm os times mais fracos.”

    ME PLAGIARAM

  8. daroit diz:

    aliás, aposto cegamente no rebaixamento do galo e do canoas. dois times sofríveis.

  9. daroit diz:

    e, por mim, já vão tarde. time que só abre pra jogar gauchão e depois fecha tem mais é que se fuder.

  10. daroit diz:

    o ypi tá bem ruim também, se não se cuidar, cai. mas ele, o galo e o cruzeiro tem total vantagem moral sobre o veranopólis, o clube mais artificial e detestável do gauchão tirando o canoas.

  11. beretta diz:

    Nível de comentários já começa muito bom, que beleza. Da-lhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *