Guia do GAUCHÃO 2012: Ypiranga Futebol Clube

O ano não começou bem para o Ypiranga. Em três amistosos, duas derrotas e apenas uma vitória. Na estreia, fomos até Ijuí e voltamos com o rabo entre as pernas depois de um ACACHAPANTE 4-1 para o São Luiz. O placar, entretanto, não foi o maior drama do canarinho. O revés pode ser explicado pela expulsão de Luisinho – antes, ele havia aberto a contagem para a equipe erechinense. O motivo para tanto AMARGOR foi perder com gols de dois ex-atletas do clube: Sandro Sotilli e Sharlei. O primeiro despontou para o futebol balançando as redes do Colosso da Lagoa na fase ÁUREA do Ypiranga. O segundo, em passagem recente, conquistou espaço MÍTICO no imaginário do torcedor após gols e atuações desconcertantes – inclusive, debaixo das traves, como goleiro, após incontáveis expulsões de Marcelo Pitol. Recuperados do sarrafo de Ijuí, retornamos para dois amistosos em casa: 3-2, o troco no São Luiz; e mais uma derrota, 0-1 para o Juventude.

Buenas, fato é que os últimos anos representaram o RENASCIMENTO. Não, não se trata de exagero retórico. Em 2003 e 2004, a bola não rolou por problemas financeiros. Nesse período, o Instituto Barão do Rio Branco assumiu um clube falido, sem atletas e com um estádio jogado às moscas agonizando na entrada da cidade. A parceria com a rede de ensino, encabeçada por seu presidente e fanático torcedor Valério Schillo, recuperou o Colosso da Lagoa. Pintado de verde e amarelo, nossa cancha parecia de volta ao dia de sua inauguração, quando o IMPONENTE estádio – a capacidade superava o número de habitantes de Erechim – viu suas redes balançarem pela primeira vez pelos pés de Pelé. O futebol também voltou, em 2005. Mas, três anos depois, o principal responsável pela reestruturação do clube faleceu, por complicações de um câncer, sem realizar o sonho de ver o Ypiranga de volta a primeira divisão. Desde então, não há jogo em que o trapo com a inscrição VALÉRIO ETERNO não esteja amarrado ao alambrado atrás da traves, à esquerda das cabines de imprensa.

Apenas alguns meses depois, em 2008, o Ypiranga venceu a segundona pela terceira vez na sua história. Na sequencia, ainda sagrou-se Campeão do Interior e vice da Copa Arthur Dalegrave. No Gauchão 2011, o canarinho realizou boas campanhas nas fases de grupo, mas foi eliminado por duas vezes nas quartas, pelo Grêmio. As boas campanhas levaram a disputa da Copa do Brasil por dois anos consecutivos, em 2010 e 2011. Apesar de sempre abandonar a competição na primeira ronda, vale recordar a INJUSTA derrota para o Curitiba, com uma mãozinha da arbitragem MAROTA (o gol dos paranaenses no primeiro jogo foi marcado em FLAGRANTE posição de impedimento), sempre pronta para favorecer os clubes das capitais.

Para o FRUKIZÃO desse ano, a parceria com o Barão foi desfeita. A instituição afirmou em nota oficial que “embora desejasse muito manter a parceria, se viu legalmente impossibilitada de prorrogá-la nos termos propostos pelo Ypiranga F.C,”. A nova direção assumiu com o conhecido discurso da PROFISSIONALIZAÇÃO, prometendo “ALTA PERFORMANCE” e um calendário com competições o ano todo. Trouxeram o diretor de futebol Rafael Jacques (ex-jogador, fez parte do grupo do Grêmio campeão da Libertadores, em 1995) e o técnico Karmino Colombini (ex-Juventus-SP).

Em campo, a esperança é que Tiago Duarte ajude a retomar a tradição de formar bons ataques – além dos já citados Sotilli e Sharley, foram matadores jogando no Colosso atletas do NAIPE de Aílton (o BAIXINHO RECHOCHUNDINHO que meteu gol até não poder mais atuando no Werder Bremen, sendo artilheiro da Bundesliga 03/04) e Paulo Gaúcho (24 tentos no estadual de 1994). Para a zona defensiva foi contratado o mito, o zagueiro experiente que a dupla grenal tanto procura: Éder Gaúcho. Chegaram também, entre outros, o laterais pelo lado direito Tiago Maciel (Guarani-SP) e Jeferson Feijão (Paraná), o meia Cadu Silva (estava em Portugal), o atacante Lucas (também estava em Portugal) e o goleiro Fernando Vizzoto (Paysandu). Pansera se mantém firme na primeira linha do meio, e o atacante Lucas Precheski, com passagens pela categoria de base do clube, retorna. Na armação, atenção para Rodrigo JESUS, autor de vários gols na pré-temporada.

A não ser que a espinha dorsal EDER GAÚCHO – PANSERA – TIAGO DUARTE faça milagres, o Ypiranga não deve ir muito longe em 2012. No máximo, luta por vaga nas quartas. A estreia é domingo, às 19h30min, na Serra, contra o Caxias.

O elenco é o seguinte:

Goleiros
Fernando Vizzotto e Gilsinei Frizon

Zagueiros
Anderson Santos, Tomas Maronesi, Éder Gaúcho e Égon

Laterais
Thiago Maciel, Jefferson Feijão, Danilo Fujikawa, Cléber Luis, Julio Cesar e Ralph

Volantes
Fabio Duarte, Pansera, Sergio Simões e Almeida

Meias
Luisinho, Bruno Roque, Rodrigo Silva de Jesus, Edinho e Cadu

Atacantes
Lelo, Lucas Silva, Tiago Duarte, Lucas Precheski e Elcimar Santos

por Luiz Eduardo Kochhann

Publicado em Gauchão 2012, Ypiranga com as tags , , , . ligação permanente.

6 Respostas a Guia do GAUCHÃO 2012: Ypiranga Futebol Clube

  1. daroit diz:

    Lucas Precheski, nunca vi tamanha ruindade.

  2. Bah, baita texto, Luiz!
    Se não me engano, Scharlei foi pro gol no Ypiranga 0x3 Nóia em 2009, certo?
    Estive no Couto para ver Coxa x Ypiranga e até teci algumas rabiscos sobre o jogo, no Impedimento: http://impedimento.org/2011/03/08/saudades-da-minha-terra/

  3. daroit diz:

    só pra constar: o escudo do Ypi sem esse círculo grotesco era um dos mais bonitos do país. agora é, sei lá, FEIO.

  4. Que baita texto!

    Sharlei vai fazer falta no canarinho….

  5. Cicero diz:

    esse Jéferson Feijão é o JÉFERSON FEIJÃO COLORADO?

  6. luizkochhann diz:

    Não, não. Esse é lateral. Inclusive, foi expulso no jogo de ontem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *