Caxias 2×0 Ypiranga – Estádio Centenário

Boa tarde leitores, antes de iniciar a crônica do jogo Caxias x Ypiranga, pela primeira rodada do TARSÃO 2012, gostaria de pedir humildemente desculpas pelo atraso (devia ter postado ontem, mas estava bêbado) na publicação.

Rainhas da Festa da Uva no pré jogo - a da esquerda é muito gata. Foto: Divulgação Toda Cancha.

Vamos ao match: foi uma agradável surpresa a organização tática do Caxias, especialmente antes das substituições ocorridas no segundo tempo. Quem acompanhou o guia do gauchão 2012 do Caxias, aqui no Toda Cancha, deve lembrar que previ umas três rodadas para termos um time organizado, algo que aconteceu logo na primeira rodada. Excelente.

No primeiro tempo o Caxias manteve a posse da bola de tal maneira que não deixou o Ypiranga jogar. O goleiro Paulo Sérgio não foi solicitado a trabalhar nenhuma vez, foi sujar a roupa apenas no segundo tempo. Alguns lances de perigo criados por Paraná, Mateus e Santiago, especialmente uma cabeçada do zagueiro Jean, em escanteio cobrado por Paraná, foram o que de melhor aconteceu na primeira parte do jogo.

Gol do Caxias! Ao fundo a valorosa torcida do Ypiranga, presente no Centenário. (Foto: Divulgação Toda Cancha)

Já o segundo tempo iniciou com vantagem do time grená: penalti assinalado por Vuaden (que foi bem na partida, ou pelo menos discreto) em lance confuso na area do Ypiranga (até agora não sei se foi penalti por derrubarem Jean ou pelo toque de mão do jogador de Erechim, em um belo lance de Newcomb, aquele jogo que as crianças são forçadas a jogar por um semestre na educação física antes de aprenderem a jogar Vôlei, momento no qual são obrigadas a jogar vôlei. O correto seria apenas largar uma bola pra gurizada, eles que providenciem os times e joguem futebol como todo bom jovem brasileiro da época contemporânea, mas isso é assunto pra outra hora). Penalti bem cobrado por Mateus, 1×0. Paraná, aos 13, ampliou com belo PETARDO de fora da area, no ângulo. No mais, poucos lances de perigo, vitória assegurada, foi fechar o caixão, beijar a viúva e botar os três pontos no bolso.

Faixas de cabeça pra baixo até Deus sabe quando na torcida grená! Foto: Porthus Junior, Jornal Pioneiro.

Vitória na estréia que assegura relativa tranquilidade para uma equipe que até sabado era uma grande incógnita. Temos time pra beliscar algo, não pensando ainda em título gaúcho, mas em um bom desempenho. Já o time do Ypiranga se mostrou esforçado, porém com limitações que podem comprometer a campanha no PRENDÃO 2012. Não acredito que caia, mas não aposto na classificação do time de Erechim. Nota 6 pro Ypiranga.

Próximo jogo do Caxias acontece em Lajeado, frente a SENSAÇÃO do momento, o Lajeadense, que vem de acachapante vitória na capital gaúcha. Empate não é de todo mal.

Notas individuais:
Paulo Sérgio – só assistiu, e nem pagou ingresso: 7.
Alisson – 7.
Lacerda – não foi muito exigido, mas segurou as pontas quando necessário: 7.
Jean – Solicíto nas duas áreas – 8.
Fabinho – 7.
Umberto – mandou bem. 8.
Paraná – 8.
Mateus – 8.
Diego Torres -6.
Caion -7.
Rafael Santiago – 6.
Juninho, Wangler e Everaldo, todos no segundo tempo: 6.

UPDATE (Antes que o Daroit coma meus rins na ponta da faca)

Ficha:

Caxias(2): Paulo Sérgio; Alisson, Lacerda, Gean, Fabinho; Umberto, Paraná, Matheus (Juninho), Diego Torres (Wangler); Caion, Rafael Santiago (Everaldo). Téc.: Paulo Porto

Ypiranga(0): Vizzoto; Jeferson Feijão, Amaral Rosa, Èder Gaucho, Égon (KANU, 17/2°); Cleber Luis, Fábio Duarte, Serginho (Edinho), Luizinho (Lucas Precheski); Rodrigo Jesus, Tiago Duarte. Téc.: Karmino Colombini

Árbitro: Leandro Vuaden.

Cartões amarelos: Rodrigo de Jesus e Éder (Y)

Cartão vermelho: Jeferson Feijão (Y)

Gols: Matheus (pênalti) 3/2T, Paraná 13/2T.

Abraço!

Publicado em Caxias, Gauchão 2012, Ypiranga. ligação permanente.

Um comentário em Caxias 2×0 Ypiranga – Estádio Centenário

  1. A dispensa do Umberto pelo Ju após a eliminação contra o Mirassol pela série D ano passado, apesar de justificada pela necessidade de corte na folha salarial, foi foda.
    Apesar da maldição que assola a todos os jogadores que trocam de lado na dupla CaJu, esse eu tinha mais certeza de que seguiria bem no Funebrero caxiense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *