Lajeadense 0x2 Caxias – Estádio Alviazul

Sobrou discurso e festa. Faltou futebol e pastel.

É melhor descrição possível para a partida de inauguração do novo estádio do Lajeadense. Antes do pontapé inicial, TRÊS HORAS de jogo festivo entre prefeitos do Vale do Taquari, show de bandinha executando o Hino do clube pela primeira vez em 13 anos, discursos do presidente, do ex-presidente, do filho da puta da FGF, do representante da prefeita, do padre, do pastor, da imprensa, do Papa… E uma única banca de pastel, símbolo-mor da existência alviazul, o que acabou formando uma fila que ia mais ou menos até ESTRELA. Pra falar a verdade, ainda acredito que este texto seja apenas um sonho e eu ainda esteja na fila, desmaiado, e mesmo assim atrás de pelo menos 34 pessoas.

O estádio porém, é muito bonito. Afastado da cidade o suficiente pra ser a única luz acesa em um raio de CINCO KM, dá à partida a impressão de que todo o MUNDO gira em torno dela. Uma experiência muito INTENSA. Além disso, de QUALQUER ponto do pavilhão se tem uma visão perfeita do gramado. Engenharia alemã.

Ponto chave: Porém, esqueceram de avisar aos jogadores do Lajeadense que o jogo valia 3 pontos. No primeiro tempo, o sono foi tanto que em 10 minutos já haviam entregue três chances de gol ao Caxias, que converteu uma e deu a Lacerda a honra de marcar o primeiro tento da história da CANCHA. No fim do primeiro tempo, em uma recaída, entregaram mais uma, que resultou no segundo gol grená, o suficiente pra sepultar qualquer chance de virada. Para o próximo jogo, farei a boa ação de doar um DESPERTADOR para o elenco alviazul.

As equipes: Jogo do Lajeadense se dividiu em duas fases: no primeiro tempo, dormiu e entregou 450 bolas no pé dos jogadores do Caxias, resultando em dois gols contra. E, no segundo tempo, criou chances e desperdiçou, todas. Três delas na trave, uma a milímetros do gol e outra no peito do goleiro que até agora não entendeu o que se passou. O ótimo Benhur Pereira também ajudou, escalando Juninho Tardelli, pior em campo ao lado do lateral-esquerdo Baroni, e substituindo errado no intervalo, tirando Tatá e Willian, os únicos jogadores com alguma capacidade de criação em campo, ainda que Robert tenha entrado bem.

Já o Caxias fez o jogo correto: resguardou-se e atacou nos erros do adversário. Sem grande esforço, abriu 1×0 em uma bola parada, depois de ter perdido dois gols feitos dados de presente pela zaga alviazul. Na mesma arma, marcou o 2×0, com tranquilidade. E, no segundo tempo, contentou-se em segurar o resultado, quase marcando mais gols nos contra-ataques. Destacaram-se o volante-meia Mateus, gênio desde o Criciúma, e o meia-atacante Wangler, que passou o jogo inteiro ESPECULANDO. Já o destaque negativo ficou por conta do goleiro Paulo Sérgio, que conseguiu a proeza de tomar duas bolas na trave em chutões fracos para o alto que caíram exatamente onde estava. Fraco.

A massa: Torcida do Lajeadense compareceu em número razoável, muito afetada pela marcação do jogo no mesmo horário em que o Inter jogava pela Libertadores. Mesmo assim, superou em muito a média do Florestal. Atordoada com o gol logo no início, passou o jogo inteiro xingando jogadores e familiares, sem demonstrar muito apoio e tolerância. O destaque, como sempre, ficou por conta da corneta no bandeirinha que corre pelo lado do pavilhão, que ouviu impropérios até então desconhecidos na língua portuguesa. Muda-se de estádio, mas a galhofa no bandeira não perde o seu lugar. Porém, com a nova casa veio também a nova modalidade: o xingamento ao 4º árbitro. Ainda escuto palavrões mentalmente após o OFICIAL intimidar os jogadores alviazuis com: “Calem a boca ou eu vou escolher um pra assistir o Big Brother no vestiário”.

Já a torcida grená compareceu em um bom número, ainda que chegando em sua maioria a cerca de QUINZE SEGUNDOS do início da peleia. Com suas faixas viradas e músicas como “XÔ, SATANÁS”, “AE AE AE AE Ô Ô Ô Ô” e playlist completa de Sidney Magal, foi pela maior parte do jogo o único barulho escutado nas redondezas.

No fim, todos saíram ao mesmo tempo, sem qualquer incidente. Bonito.

FICHA

Lajeadense(0): Fernando; Bindé, Micael, Gabriel e Baroni; Rudiero, Ramos, Willian(Jean Silva) e Juninho Tardelli(Adriano); Tatá(Robert) e Jandson. Técnico: Benhur Pereira.

Caxias(2): Paulo Sérgio; Alisson, Lacerda, Jean e Fabinho; Umberto, Paraná, Mateus, Diego Torres(Lucas Galvão) e Wangler; Caion(Everaldo). Técnico: Paulo Porto.

Gols: Lacerda 8, Fabinho 45 1T (C).

Cartão vermelho: Jean (L) e Alisson (C).

Arbitragem: Diego Almeida Leal, auxiliado por José Franco Filho e Jorge Eduardo Bernardi.

Placar Moral: Lajeadense 1×2 Caxias

Perdi o jogo e nem ganhei a moto sorteada no intervalo,

Guilherme Daroit

Publicado em Caxias, Gauchão 2012, Lajeadense com as tags , , , , , , . ligação permanente.

11 Respostas a Lajeadense 0x2 Caxias – Estádio Alviazul

  1. Everton Marques de Siqueira diz:

    Escrevo ainda meio atordoado com o que vi hoje…
    São duas da manhã e o sono ainda não chegou,domingo estaremos novamente na Cancha,quem sabe dessa vez com melhor sorte!

    Ps: muito bonito teu sub título…hahahahahaha

  2. tiagozilli diz:

    Muito bonito o estadio. Certamente conhecerei.

    Não gosto de ser ESTRAGA PRAZERES, mas obviamente fiquei feliz pela vitória do meu time.
    Quanto ao Lajeadense, gostei do que vi. Anos-luz a frente do Ypiranga e Avenida, clubes que vi contra o Caxias esse ano. Acho que belisca alguma coisa, apenas teve má sorte e sonolencia (festa, confiança demais pelo jogão contra o gremio) ontem.

  3. daroit diz:

    hahaha, roubei na cara dura o subtítulo! ia colocar o teu twitter do lado, mas tava dormindo e com preguiça :/

  4. Jogo com muita festa antes SEMPRE dá merda… lembro de um Juventude x Inter-SM, reinauguração do Jaconi, com novo gramado. Resultado: 0 a 1. Menos mal que no jogo da volta se ganhou por 4 a 2, se não me falha a memória (o problema da memória começou após a final daquele ano, 2008…).

  5. Sivinski diz:

    Na real, o clima do jogo tava bem estranho ontem, acho que foi muita festa por parte da torcida e imprensa, e não adianta, isso chega no jogadores.
    Que este tombo fique de lição, e a gente confirme a classificação.
    Abraço.

  6. Everton Marques de Siqueira diz:

    Já disse rapaziada…lotou o estádio o crime acontece!

  7. Segundo a Rádio Caxias, coube ao Gabriel (contra) a primazia de ser o autor do primeiro gol do novo estádio.

  8. Paulo César Machado diz:

    Olha…..sei não.. Mas ali na região de voces, o melhor time e estrutura é do Avenida de Venâncio. Segundo me informaram, é clube com piscina, com eficiente apoio técnico e o apoio do Paulo Brito. Ficaram campeõs da segundona, e sabem fazer futebol. Pelo que vi aqui no Centenário e lá em Sta.Cruz, o Avenida, tem tudo para ser o campeão do interior. Vais deixar o Juventude e o meu Caxias para trás.

  9. Everton Marques de Siqueira diz:

    Ok …parei em AVENIDA DE VANÂNCIO!
    Paulo Brito e piscina ganham jogo?
    Hahahahahahahaha…”eu me divirto”

  10. “é clube com piscina”

    hahahahah melhor frase!

  11. “Feitoooooooo! O Avenida chega lá em…. Venâncio? Aí complica, heinhô, Batistaaaaa…”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *