Juventude 2×1 Grêmio – Estádio Alfredo Jaconi

E Golias toma a segunda pedrada na pinha.

Após uma embalada ainda tímida com a vitória sobre o Pelotas, o Juventude tinha pela frente o Grêmio, que após um começo de torneio em que TUBULOU em casa diante do Lajeadense, começava a dar mostras que queria entrar nos eixos. Mas o time de Picoli não deu nem PELOTA para as pretensões imperiais da capital e ENCAIXOTOU a pompa dos seis milhões de reais de folha que teve como adversário.

Assim complica, né Mário? Manda um ABRAÇO pro Grolli.

Para aqueles que não conseguem entender como jogos entre um time hoje da série D contra um da capital possa ser chamado de CLÁSSICO, o jogo de hoje foi mais uma aula. Lances disputados todo o tempo, chegadas fortes, catimba, expulsões e até placa de vidro ESTILHAÇADA. Não faltou nem a choradeira tricolor reclamando de uma suposta e surreal GATUNAGEM da arbitragem. O dia que um clube do interior for favorecido contra a dupla Grenal,é capaz de Francisco Noveletto e Ricardo Teixeira virarem COROINHAS no Vaticano.

Ponto chave: A velocidade e o toque de bola preciso foram o segredo do sucesso do Juventude. Sim, do Juventude. Aliada a uma marcação que deu poucos espaços para o Grêmio, a turma do meio pra frente deu trabalho para a zaga tricolor, que mostra que um ataque em tese poderoso poderá não ser suficiente para carregar nas costas um setor defensivo TENEBROSO.

Homem do jogo: Jonatas Belusso. Apesar de não fazer gol hoje, desfaz a cada jogo a má impressão causada contra o Cerâmica na estreia, quando só faltou errar o caminho de volta pra Caxias. Hoje, foi responsável pelas saídas rápidas dos contra-ataques até ser sacrificado para recompor a defesa, após a expulsão de Bruno Salvador.

As equipes: Como esperado em qualquer jogo , especialmente contra um grande e dentro de casa, o Juventude foi pra cima na base do SUFOCO. Porém quando o “quem não faz, leva” parecia que daria o ar da graça, teve um pênalti a seu favor e ampliou a vantagem já no segundo tempo, justamente depois de ter seu zagueiro expulso. Fez dois e, se fosse mais, não seria surpresa dadas as chances de gol criadas.

Já o Grêmio dá mostras que a BARCELONIZAÇÃO de seu estilo de jogo já começa errado a partir do momento que seu camisa 10 é mero espectador da partida (e sem uma gelada na mão e as pernas pra cima, o que no caso dele faz parecer uma punição).

Arbitragem: Numa partida que já se anunciava interessante desde antes do apito inicial, especialmente para quem DESTRINCHOU uma costela regada a latões de ceva, Anderson Daronco conseguiu desagradar ambos os lados, se mostrando mais perdido que CUSCO em caminhão de mudança.

A massa: Apesar do preço do ingresso estar salgado como CHARQUE, as torcidas fizeram bonito. A do adversário praticamente ocupou seu lote, fato infelizmente tradicional pelo nosso interior, lotado de INFIÉIS que não apoiam seus clubes locais. Pelo lado do Ju, vergonha alheia de quem estava na cidade e preferiu ser refém da transmissão de Jader Rocha e Maurício Saraiva, deixando passar a oportunidade de estar ao lado dos seus testemunhando mais um capítulo da história.

FICHA

Juventude(2): Jonatas; Rafael Mineiro, Rafael Pereira, Bruno Salvador e Éverton; Deoclécio, Nem, Alan (Nico Martinez) e Athos (Tássio); Jonatas Belusso (Ricardo Filho) e Zulu. Técnico: Antonio Picoli.

Grêmio(1): Victor; Mário Fernandes, Saimon e Douglas Grolli; Gabriel, Fernando (Marquinhos), Léo Gago, Douglas (Marco Antônio) e Júlio César (Bruno Colaço); Kléber e Marcelo Moreno. Técnico: Caio Júnior.

Gols: Zulu (32′ 1T) e Athos (14′ 2T) (J) e Kléber (45’2T) (G). – EDITADO: na súmula, Daronco deu o segundo gol para o meia do Ju, que cobrou a falta

Cartão vermelho: Bruno Salvador (J) e Gabriel (G).

Arbitragem: Anderson Daronco, auxiliado por José Inácio de Souza e Vilmar Burini.

Placar Moral: Juventude 3×1 Grêmio

Franco Garibaldi

Publicado em Gauchão 2012, Juventude com as tags , , , , , , , . ligação permanente.

0 Respostas a Juventude 2×1 Grêmio – Estádio Alfredo Jaconi

  1. insane-world diz:

    os caxienses nem ligam mto pra futebol. e qdo vão ver jg nem vibram nem se mexem nem nda qdo o time faz gol…e a cidade é riquissima, porem paradissima e desanimadissima….as pessoas lá pensam só nos negocios que fogem de qqer circo…há mto mais fanaticos pelo interiorzão mesmo, que fogem do eixo caxias-grande porto alegre…por isso vejo que A TORCIDA NÃO INFLUI EM NADA NO RESULTADO…os 18mil no Olimpico perderam pra meia duzia de lajeadenses…a torcida fanatica do Pelotas não impediu o vexame da equipe…e por ai vai…só o Canoas é a exceção..

  2. Jaime diz:

    Juventude perdeu uma boa chance de golear o Grêmio, desperdiçou várias chances depois do segundo gol, e ainda fez um pênalti bobo que quase ressuscitou o Barcelona dos Pampas.

  3. Sancho diz:

    O título de “Barcelona dos Pampas” é do time vermelho de Porto Alegre. O Grêmio, portanto, deveria ser o “Real Madri Bombachudo”.

  4. Tiago diz:

    O sr. “insane-world” nunca foi ao Jaconi. Deve frequentar as fileiras do sofá de casa com assiduidade, entretanto.

    Ficou barato para o Porto-alegrense, esse resultado. Antes de abrir o placar, o Juventude teve pelo menos três chances claras de gol, além do pênalti não marcado. E a Papada, pra variar, deu mais uma aula!

  5. Cícero diz:

    o Grêmio tem que merecer o título de “MURICIBOL DO PARAGUAI”
    Fazia tempo que não via TANTA BOLA ATIRADA NA ÁREA. Parecia mais o campeonato Inglês do que um jogo de gauchão.

  6. Cícero diz:

    bom, parecia jogo de Gauchão mesmo. Só que como se o Grêmio fosse um time pequeno.

  7. Daniel diz:

    O Grêmio tá disputando esse Gaúchão como se fosse mais um dos ditos pequenos.

    Na estreia, uma surpresa, perdeu para o Lajeadense.
    Na partida seguinte venceu. Um dos piores times do campeonato, que só escapa da segundona com sorte.
    Terceiro jogo é contra o Juventude, no Jacone. “Teste de fogo”.

    E ainda tive que escutar os jogadores saírem de campo reclamando da arbitragem pela segunda vez. Jogadores do Grêmio justificando o resultado por conta do juiz. No Gaúchão.

    Tá com cara de Real Madrid mesmo.

  8. Reclamar de juiz no Gauchão, não sendo em Grenal, é digno de vergonha alheia pra qualquer um da dupla da capital.

  9. insane-world diz:

    Interzinho perdeu pra Avenida e Ceramica que vieram da 2a divisão…..jogaram com os reservas? problemas de vcs!!!!

    e Tiago…todo mundo viu que a maioria dos gringos foram torcer pro Gremio…entao se algum time tem torcida na cidade é o Caxias….auhauahuaha

    mané.

  10. Insane, quanto ao primeiro comentário ainda, algumas considerações.

    Noto essa implicância com Caxias faz algum tempo. Pra imprensa (e pra quem come do parato dela, sem ir atrás da real), tem coisas que só acontecem lá. “Só lá” tem racismo, “só lá” se aumentam os preços dos ingressos em jogos contra a dupla grenal, “só lá” vai pouca gente no estádio. Talvez porque só lá o pessoal xinga e trata mal a imprensa da capital que caga e anda pro interior (fato relatado pelos próprios coitadinhos).

    Tem clubes que chegam a cobrar 120 pilas por um ingresso em jogos com a dupla no interior, mas aumento só vira notícia quando é em Caxias do Sul. Quanto ao pouco público, duas coisas: uma que, proporcionalmente ao número de habitantes da cidade, os públicos em Caxias não chegam a ser pequenos. 4 mil pessoas (média) em Caxias seriam o mesmo que 15 mil nos estádios da dupla. É pouco?

    Sem contar que 3/4 da população de Caxias são de gente de fora da cidade, que já vem com seu clube escolhido na infância (e que invariavelmente são de Porto Alegre).

    Na minha opinião, é até pior o cenário nas demais cidades, onde os próprios nascidos nelas já torcem direto pela capital, sobrando poucos viventes para manter os clubes locais.

    Mas, no final das contas, é interessante ver a raiva geral contra Caxias. Sinal de que já incomodou bastante e volta e meia volta a incomodar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *