O discurso e as mudanças no Ypiranga


Raphael, Mateus Magro e Juninho Botelho. Foto: Luciano Breitkreitz/DM

Dirigente assumindo com discurso de “profissionalização do futebol” é uma situação que nunca me convenceu. Em primeiro lugar, pelo simples fato de se tratar de DIS-CUR-SO. Futebol se faz na cancha, com o ALEMÃO BUFANDO no alambrado e o BIXO PEGANDO dentro da zona limítrofe das quatro linhas. Em segundo lugar, porque é vazio de sentido. As palavras perdem o rumo no exato momento que partem da boca do dirigente FANFARRÃO que as pronunciam. Puro estoque de ARTIMANHA retórica batida PRA MAIS DE METRO. Pode convencer o vendedor amendoim torrado do Colosso da Lagoa – com todo respeito que este merece -, pode enganar algum torcedor DESLUMBRADO e de fácil CONVENCIMENTO. Entretanto, esse papo não leva nem até Barão de Cotegipe se não for seguido de trabalho sério no futebol.

Analisaremos o caso do Ypiranga. FINADA a parceria com o Instituto Barão do Rio Branco, a nova direção assumiu exatamente com a promessa da profissionalização do futebol. Nesse momento, nem foi preciso que PAI OGUM jogasse suas pedrinhas. Qualquer gaudério com o mínimo de CULHÃO poderia ler o futuro nos restos das cinzas daquele COSTELÃO de domingo: o canarinho lutaria para não ser rebaixado em 2012. Depois de apenas três rodadas com mato sendo pisado Rio Grande afora, a previsão está confirmada. O Ypiranga tem duas derrotas, um empate e NENHUM gol marcado. Além disso, a direção confirmou a demissão do técnico Karmino Colombini e DEFENESTROU quatro jogadores pelas janelas do Colosso da Lagoa na direção das valetas da avenida Sete. Os dispensados são o zagueiro Egon, o volante Fábio Duarte, o meia Luizinho e o atacante Lucas Prechelski.

Para tentar acalmar o POVARÉU e botar o bonde nos eixos, o diretor de futebol Rafael Jacques efetivou o ex-auxiliar Joel Costa como novo treinador, além dos preparadores físicos César Andreis e Anderson de Lazari. A direção também foi atrás de uns PIAZITOS com passagens pela base do Grêmio. Foram apresentados o volante Matheus Magro, o meia Juninho Botelho e o zagueiro Carlos Heitor. Na mesma leva, também chegou o lateral direito Raphael Victor, do Toledo-PR. Os atletas contratados já participaram de coletivo e devem ser opções para o jogo contra o Pelotas, quinta-feira, às 19h, na Boca do Lobo. Aguardemos.

Rumo à capital da amizade,

Luiz Eduardo Kochhann

@luizkochhann

Publicado em Gauchão 2012. ligação permanente.

2 Respostas a O discurso e as mudanças no Ypiranga

  1. daroit diz:

    Já disse em dezembro: Lucas é o pior centroavante que eu vi na vida. E olha que a concorrência é dura. Ypiranga até que demorou pra mandar ele embora, não achei que aguentasse 3 rodadas.

  2. Icaro diz:

    Daqui a duas semanas manda mais uma turma embora pra chegar com o argumento de “estamos reformulando o elenco”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *