Novo Hamburgo 3×2 Juventude – Estádio do Vale – Semi-final da Taça Piratini – Gauchão 2012

Jardel abre o placar no Estádio do Vale: torcida do Papo compareceu em bom número. Foto: Jornal NH

Conto sobre um BALÃO

Martini deu um BALÃO, a bola começou a voar, e o jogo também. Gol do Juventude, três minutos e a torcida anilada já via a tragédia tomando forma. O BALÃO DO MARTINI seguia voando. Ao contrário do que todos hamburguenses e seu pessimismo clássico esperavam, o Nóia não se entregou, e antes dos 15 minutos o placar já estava igualado: EL BOTO MENDES meteu um TESTAÇO e comemorou como se jamais tivesse vestido a camisa do Juventude. O BALÃO DO MARTINI seguia voando, e num lance confuso num escanteio, provavelmente por que estavam olhando o BALÃO DO MARTINI o Nóia virou. Até agora não sabemos de quem foi o gol, uns dizem que foi do Juba, outros do Alexandre, e outros que foi mais bonito que o gol do Pelé na Rua Javari.

Veio o intervalo e o BALÃO DO MARTINI seguia voando, nesta hora provavelmente invertendo a sua rota, algo que jamais será explicado. Itamar Schulle certamente pediu para seus comandados FECHAREM TUDO. O BALÃO DO MARTINI seguia voando. Segundo tempo de muita pressão do Juventude, os zagueiros do Novo Hamburgo salvaram umas três bolas e O BALÃO DO MARTINI seguia voando.  Porém Russo, o maior entreguista bêbado eslavo desde BORIS YELTSIN, tentou EMULAR MARTINI, foi dar um balão, mas a bola nem passou da altura deste que está escrevendo o texto (1,66m), isso aos 40′ da segunda etapa, e o Juventude iguavalava tudo. O BALÃO DO MARTINI seguia voando, o Juventude levando o jogo para os pênaltis e um Ca-Ju na final sendo encaminhado.

Márcio Hahn chora, Mendes se ajoelha e Paulinho Macaíba ascende ao panteão dos herois: gol e classificação ao apagar das luzes. Foto: Bruno Colombo/ECNH

O BALÃO DO MARTINI, talvez triste com o que estava acontecendo, começou a cair, e nesta queda ganhou o conforto da cabeça loira de Márcio Hahn. Finalmente O BALÃO DO MARTINI tocava o gramado, e não só o gramado, mas também o peito de Paulinho Macaíba. Não sei o que aconteceu, mas Macaíba, O ARTILHEIRO DO UGHINÃO, se livrou dos marcadores e ficou frente a frente com o arqueiro, frente a frente com a final da Taça Piratini, frente a frente com a imprensa que não fala sobre o interior. Agora foi a vez de um atacante botar a bola em órbita, apesar do trajeto ser muito menor, este BALÃO demorou muito mais tempo para cair. Quando caiu, foi na rede, e eu de joelhos com eles JORRANDO SANGUE ANIL.

A Massa

Jogos como este DEFINEM CARÁTER e unem uma torcida, quem estava lá guardará o Nóia no seu coração, mesmo que tenha outra preferência nos GRANDES TORNEIOS. Hoje vi FINALMENTE uma torcida anilada, pessoas com o brilho nos olhos, pessoas amando o que estavam vivendo, pessoas correndo sem rumo algum (eu) e abraçando quem estivesse pela frente.

Torcida anilada recepciona jogadores na saída do vestiário após vitória heroica. Foto: Maurício Klaser

Placar Moral: Futebol  1 x 0 Resto

Até quarta viveremos este DEVANEIO que é conhecido como FINAL DA TAÇA PIRATINI, uma final do Interior, uma final dos times que mais mereceram isso. Passarão uns 20 anos para o GRANDE DIA chegar, a ansiedade será GIGANTE, mas tudo já valeu a pena, esta aventura me fez enchergar onde está o futebol, ele está no POVO e não nos MILHÕES.

GAUCHÃO 2012
Semi-final da Taça Piratini
Data: 27/02/12
Novo Hamburgo (3): Eduardo Martini; Chicão, Alexandre, André Paulino (Russo) e Pedrinho; Zaquel, Márcio Hahn, Juninho (Pedro Silva) e Marlon; Juba e Mendes (Paulinho Macaíba). Téc.: Itamar Schülle
Juventude (2): Jonatas; Rafael Toledo (Ramiro); Rafael Pereira, Bruno Salvador e Alan (Everton); Deoclécio (Nico Martínez), Jardel, Athos e Nem; Jonatas Belusso e Eraldo. Téc.: Picolli
Gols: Jardel (3′ do 1T), Mendes (9′ do 1T) e Alexandre (33′ do 1T). Athos (39′ do 2T) e Paulinho Macaíba (46′ do 2T)

Dando BALÕES NA VIDA,
Maurício Klaser

Publicado em Gauchão 2012, Juventude, Novo Hamburgo com as tags , , , . ligação permanente.

21 Respostas a Novo Hamburgo 3×2 Juventude – Estádio do Vale – Semi-final da Taça Piratini – Gauchão 2012

  1. Baita texto, baita jogo.
    Comemorei os três gols subindo no alambrado e estou com os dedos doendo.
    E ainda ganhei um prêmio. A bola do gol de Paulinho Macaíba:
    http://twitpic.com/8pdorw

  2. Maurício Klaser diz:

    Acabei de acordar, realmente não foi um sonho, meu joelho está REALMENTE CORTADO, isso tudo foi verdade PUTA QUE PARIU

    BALÕES PARA TODOS

  3. Sagu diz:

    grande jogo, o melhor do gauchão 2012.
    dava um dedo pra tá no lugar de vocês!

    e pau-no-cu da capital!

  4. Marcelo Alves diz:

    Olha, nao tem como o cara nao se emocionar lendo o texto, ainda mais sendo este CARA um torcedor de verdade do Noia e tendo ido no jogo….

    Emocionante mesmo…

    VAMOS MEU NOIAAAAA !!!!!!!!!!!!!!!!

  5. Weber diz:

    Que jogo e que orgulho de ser ANILADO! Meus dedos também estão doendo. Logo no blog da Fogo, fotos dos integrantes e seus ídolos na festa pós epopéia.

  6. William diz:

    Se antes, sem a chance de ter grenal na final do turno, o pessoal da capital já estavam chateados, agora com a certeza de que não terá grenal na decisão do gauchão, eles estão desolados. Eles não sabem o que falar. Nos programas de tv, na radio… eles estão perdidos. Só sobrou o Luxemburgo pra falar…..ehehehehehe
    Agora é final do interior. Nada além disso. Os 2 melhores times do 1º turno. Baita jogo na quarta-feira. E eu como anilado de coração estarei mais uma vez no estádio para acabar com a minha voz. E se o time continuar com esta garra, depois de 7 anos, poderei cantar mais uma vez É CAMPEÃO.
    Viva o interior gaúcho. Viva o Nóia!!!

  7. Gui Rocha diz:

    Baita texto, baita jogo, baita vitória, baita campanha.

    Que final teremos senhores, que final!!!!

  8. Chico Luz diz:

    AOEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE NMOAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

  9. Belo depoimento Chico, exatamente isso

    E O BALÃO SEGUE VOANDO ALTO RUMO A GLÓRIA DEFINITIVA

  10. Caue Braz diz:

    Ai Ai AGUANTE Vale dos Sinos. Vamos CARAJO. Jogo excelente com uma torcida linda in fuegos. A torcida do Juventude muito maneira também, jogaram-nos PEDRAS DE GELO antes da partida, talvez, para conter o calor. Porra, isso sim é se preocupar com o conforto da torcida adversária do time que nunca ganhou nada.

  11. Cara, que raiva não ter um time com sangue nos olhos. é BIZARRO perder a vantagem de fazer um gol logo cedo, na casa do adversário, em jogo único, tão rápido como aconteceu.
    Mas o pior veio depois: conseguiu o empate e, fazendo todos os times da Copa Paquetá MORREREM de vergonha alheia, toma um gol de balão de goleiro num contra-ataque originado de um escanteio a seu favor!
    Pela mãe do guarda! Se não foi pelo pouco futebol apresentado, exceção feita a alguns jogos, só esse conjunto e falta de raça/amadorismo justifica a ausência num caju desejado pela cidade de Caxias.
    Agora é torcer que vehma jogadores, que a dupla do mal siga com foco nas outras competições e que o interior, dessa vez com o Juventude, também chegue à final. E que a final do campeonato seja efetivamente com quem merece chegar lá: os clubes do interior.
    Dói não estar na final. Tanto pelo jogo de ontem como por ver lá o rival local, enquanto o Ju tá de fora. Mas é extremamente positivo para o futebol como um todo os MILLONARIOS estarem de fora.

  12. Jaime diz:

    Grande jogo.

    É bom o Novo Hamburgo aproveitar enquanto o Aimoré segue adormecido para fazer suas estripulias, antes que o verdadeiro dono do futebol do Vale do Sinos volte ao seu lugar de direito.

  13. Jaime diz:

    E apesar de um certo sufoco no segundo tempo, o Novo Hamburgo sempre teve o jogo na mão, podia ter matado várias vezes no contra-ataque.

    O gol do Juventude no fim parecia um golpe injusto no bravo time e na torcida do Nóia, mas os deuses do futebol sabiam o que faziam.

  14. zezinho diz:

    Há alguns dias, li a ‘Edição dos Campeões’ da Revista da Placar de 1986. Minha curiosidade entender o que significou à época o título paulista da Inter de Limeira. Fiquei imaginando como seria isso com o Novo Hamburgo, algo que já presenciei com o Juventude (1998) e o Caxias (2000) – ainda que os títulos serranos não tenham tido a exposição do título da Inter à nível nacional.

    Lendo a matéria, tem-se a impressão que aquele time da Inter era avassalador, único, compacto, com propostas de jogo. No Anilado, vi dois times assim, como capacidade para vencerem o Gauchão: o time de 2005 (que se formou após o Estadual) e o time de 2010.

    Considero o atual time menos forte que os dois citados, mas espanta o pragmatismo e a regularidade. Em DEZ jogos foram SETE vitórias, venceu 70% dos jogos e tem um aproveitamento de quase 77% dos pontos. E as atuações pouco variam. Não há goleadas estrondosas, empates insossos ou derrotas apáticas.

    Desde o início do trabalho do Itamar tem sido assim. Um time que frequentemente faz gol no primeiro tempo, sofre poucos gols e sabe fazer outros gols em momentos críticos da partida. Não gasta balda em chimango: faz o necessário para triunfar.

    Nos dois últimos jogos, no entanto, a variação da atuação fugiu um pouco ao padrão: contra o Lajeadense padeceu devido às lesões e contra o Ju fez uma retranca-braba antes do necessário. Se quiser ser campeão tem que retornar à média das atuações.

    É bom que o Clayton tenha aprendido a lição e veja que ainda é um piá no futebol. Que se motive e reassuma a camisa 10 na quarta. Teremos a volta de Luis Henrique e Pedro Silva. Márcio Hahn em campo é um presente a ele e ao clube, pela história que tem juntos.

    O Caxias tem jogado melhor, é mais compacto, porém acho que o Nóia tem mais elenco. Veremos qual texto eu guardarei para a história, mas já será bom por exaltar um time interiorano

  15. Denis diz:

    Por mérito chegam na final os dois melhores times da competição… Agora é esperar quarta-feira para mais uma batalha, a última do primeiro turno.
    E até lá, tenho que me recuperar das cicatrizes nos braços… Resultado de 5 minutos grudado no alto da cerca, gritando a pleno pulmão!

  16. Salve o futebol do interior. O futebol romântico ainda vive…
    http:futeboldecampo.net

  17. Chico Luz diz:

    bah, Dudu, eu concordo com quase todo teu texto – mas acho esse time de hoje bem superior ao de 2010. Aquele foi passando muito aos trancos e barrancos, e tinha um ataque bem menos efetivo. Tanto que, na pontuação geral, ficou em sétimo ou oitavo.

    Esse time de agora, além de azeitadinho, ainda está TOTALMENTE LIGADO, dando aquela impressão de que TUDO VAI DAR CERTO.

    estou morrendo muito com essa espera.

  18. Maurício Klaser diz:

    Concordo com o Chico, o time de 2010 era inferior, fez só oito pontos na fase de classificação e não tinha VALORES no ataque. Outro fator era a falta de jogadores numa fase SETINHA VERMELHA como estão Juba, Hahn e Marlon este ano.

    JÁ É QUARTA???

  19. Gabriel diz:

    Um dia Eduardo Martini deu um BALÃO. Assim surgia o Universo.

  20. Gabriel,

    Não sei se o Martini deu um BALÃO que fez surgir o UNIVERSO, mas tenho TODA CERTEZA que o de domingo fez TUDO PERDER O SENTIDO

    JÁ É QUARTA???

  21. Pingback: Um médico e dois monstros | Toda Cancha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *