Prévia: Novo Hamburgo x Caxias – Final da Taça Piratini

Dono da melhor campanha geral, o Novo Hamburgo terá a honra de decidir a Taça Piratini no Estádio do Vale, que viverá sua primeira final em menos de 4 anos de vida. Para o confronto decisivo de logo mais, o técnico Itamar Schülle não poderá contar com Chicão (suspenso) e Preto (lesionado), mas terá os retornos de Luis Henrique e Pedro Silva, além de Clayton e André Paulino à disposição no banco de reservas.

Assim, alternativas não faltam ao treinador anilado. Pode jogar no 4-4-2 em quadrado como iniciou os dois últimos jogos, no 4-2-3-1 com Marlon e JUBA pelas pontas ou até o 3-5-2, com André Paulino no lugar de Pedrinho para reforçar a bola aérea. A certeza é que o Noia precisa melhorar em relação às atuações no mata-mata. Acometido por lesões ou posicionando-se defensivamente muito cedo, o Anilado passou com as calças nas mãos sem muita necessidade. Naquele que deve ser o confronto mais equilibrado da série, convem ao time do Vale dos Sinos jogar mais bola do que vem jogando.

Hosana nas alturas: EL BOTO Mendes desencalhou no último jogo, Márcio Hahn pode repetir com o Noia o histórico feito pelo Caxias e Juninho será o motor do time. Foto: Bruno Colombo/ECNH

Ao grupo, o desejo de que a entrega seja a mesma dos demais jogos, que possam dar o primeiro grande passo rumo à glória redentora. Que, em caso de vitória, comemorem muito mas logo coloquem os pés no chão, pois há uma Taça Farroupilha pela frente. E, em caso de derrota, que não se abatam e façam da bela campanha um combustível para o turno seguinte, de modo a conquistarmos as vagas à Copa do Brasil e ao Brasileiro da Série D.
Aos hamburguenses, com caras exceções vivendo num conto de fatas insosso, apenas um pedido:
‘Bote essa estrela no peito,
Não tenha medo ou pudor.
Agora eu quero você,
Te ver torcendo a favor’

Caxias fechou o treino ontem no Centenário. Foto: Cristofer de Mattos/Jornal NH

Como todos sabem, hoje é um dia especial, não apenas para o Toda Cancha, pros anilados e para os grenás, mas também para o futebol do Rio Grande do Sul.

O ano é 1954. Elvis ainda não havia iniciado sua carreira de REI em fevereiro daquele ano. A guerra fria era uma realidade, militares davam ULTIMATOS a Getulio Vargas para a renúncia da presidência, Juan Manuel Fangio conquistava seu segundo título mundial de Fórmula 1 e o Brasil ainda lambia as feridas da perda do título mundial, enquanto via a Alemanha suceder o Uruguai na conquista da Copa do Mundo.
Então, desde o longínquo ano de 1954 uma decisão desde calibre não tem a participação da poderosa dupla grenal. O Renner levou o título, deixando para trás Brasil de Pelotas e Ferro Carril. Ok, o enfastiado entusiasta do futebol poderá falar:
– Mas isso nem é uma final de campeonato! É apenas o turno.
Caro amigo, isso pode ser o começo. 29 de fevereiro, 2012 e seu prometido apocalipse. Nada mais apropriado para um recomeço. Longa vida aos clubes do interior gaúcho.
É nesse clima de noite histórica e festiva que o Caxias encara o Novo Hamburgo, que para mim é o melhor time do campeonato (conforme o Toda Cancha previu). Jogo duríssimo, que deve ser decidido no detalhe. Nada mais reconfortante para a família de Vanderlei Bersaghi, o Pé, diretor de futebol grená morto no inicio do ano em uma colisão de carro no retorno de um amistoso que nunca terminou, em Veranópolis. A torcida grená comparecerá em bom número, agraciada pela disposição de ônibus grátis (conquista do conselho de notáveis do clube, uma espécie de torcedores com grife, como diria o dirigente que assistirá a final pela tv) e deve trazer o clima do Centenário para o VALE DOS CALÇADOS. E, se tudo der certo na Batalha do Vale, voltaremos para a Serra com o caneco do título, vaga na finalíssima e um afago no coração. Faltará vinho.
Avanti Caxias!
Rumando para o Centenário embarcar na CARAVANA GRENÁ e na típica CAU-TE-LA anilada, respectivamente,
Tiago Zilli e Zezinho
Publicado em Caxias, Gauchão 2012, Novo Hamburgo com as tags , , , . ligação permanente.

2 Respostas a Prévia: Novo Hamburgo x Caxias – Final da Taça Piratini

  1. Mendes corno, ONDE ESTÁ O SEU DEUS?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *