Taça Farroupilha – Cerâmica 1×2 Grêmio – (Estádio Antônio Vieira Ramos)

Existem algumas injustiças nessa tal coisa conhecida como futebol e uma delas chama-se derrota sem merecimento. Alguns times merecem vencer, outros praticamente fazem questão de perder e acabam merecendo isso, sempre. Pois o que as mais de 7.500 pessoas que foram ao Vieirão no domingo viram foi um time que perdeu sem merecer perder. Correndo feitos DIABOS FUGINDO DA CRUZ e com uma vontade inédita nesse Ruralito, o Cerâmica não recuou ou rebaixou-se para os grandes da capital.

Pedro, que é canhoto, tenta o chute de direita, no início do jogo.

O primeiro tempo foi de uma equipe buscando a vitória enquanto a outra jogava só mais um jogo. Apesar da falta de vontade, a equipe azul mostrou tranqüilidade pra manter-se VIRGEM na primeira etapa, não sem a ajuda clara do senhor de preto. Sabemos todos que juiz nenhum presta, porém o choque entre Rafael Carvalho e Marquinhos na entrada da área ceramista não me pareceu penal. Revendo as imagens, entendo a marcação, apesar de manter a opinião contrária. Sendo assim, aos 13 minutos Kléber bateu e converteu a penalidade em favor do Grêmio, abrindo os trabalhos em Gravataí. Cidinho, o CHEVETTE ENDIABRADO, fez boa jogada na seqüência, driblando toda a triste zaga dos tricolores da capital, finalizando de forma fraca, pelo lado do gol. De resto, poucas chances EFETIVAS de gol e muito ESTÁGIO pelas beiras do gramado.

Cidinho lutando contra a marcação gremista. Time do Cerâmica foi valente o jogo todo.

No início da segunda etapa o Cerâmica voltou meio perdido entre jogar futebol, xingar a décima geração da família do Márcio Chagas e descer a lenha no fiasquento Kléber, que tenta acertar cotovelaços o jogo todo e chora quando recebe um pequeno PONTAPÉ NO ESÔFAGO. Aliás, apesar dos elogios ao avançado gremista, ele produziu pouco, sempre recebendo marcação forte de Robson, que acompanhava o baixinho invocado em todo metro cúbico do campo. Aos 4 minutos, Saraiva chutou bem de dentro da área para mais uma defesa monumental de Victor, que duelava em alto nível com César pra ver qual goleiro defendia de forma mais sensacional os arremates adversários. No contra-ataque, Marco Antônio aumentou o placar para os azuis após boa jogada de Marcelo Moreno. Aos 14, Cidinho faz boa jogada e toca pra Zeferino, em chamas, diminuir para o tricolor da Aldeia. Depois dos gols, muita correria sem sentido fez os dois times pararem nas defesas dos arqueiros, sempre bem posicionados. No final, uma derrota injusta para uma equipe que lutou bravamente pelos 3 pontos.

Como diriam por aí, não foi o Grêmio que ganhou, mas sim o Cerâmica que perdeu. Abaixo, os melhores momentos da partida. As fotos são do site do Cerâmica.

Cerâmica: César Luz; Saraiva, Djair, Fábio Silva, Pedro (Marcão); Robson, Rafael Carvalho (Leo Mineiro), Maurinho, Rogerinho; Cidinho e Dinei (Zeferino. Técnico: Hélio Vieira

Grêmio: Victor; Gabriel, Gilberto Silva, Naldo, Julio Cesar; Fernando, Léo Gago (Pará), Marco Antônio, Marquinhos (Bertoglio); Kleber e André Lima (Marcelo Moreno). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Gols: Zeferino (Cerâmica); Kléber e Marco Antônio (Grêmio)

Arbitragem: Márcio Chagas da Silva, auxiliado por Carlos Henrique Selbach, João Lúcio Monteiro de Souza Jr. e Jonathan Benkenstein Pinheiro

Cartões amarelos: Rafael Carvalho, Rogerinho, Dinei, Saraiva, e Leo Mineiro (Cerâmica); Naldo e Marquinhos (Grêmio)

Toco y me voy
Douglas Beretta

Publicado em Cerâmica, Gauchão 2012 com as tags . ligação permanente.

Um comentário em Taça Farroupilha – Cerâmica 1×2 Grêmio – (Estádio Antônio Vieira Ramos)

  1. Diego Augustin diz:

    Belo texto… E não foi foi penal no Marquinhos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *