Gauchão série A2 – Brasil-Pel 1 x 1 Riograndense-SM (Estádio Bento Freitas)

Fui ao estádio sabendo que o adversário seria o mais forte entre todos que enfrentamos até agora na segundona, mas confiava numa boa vitória para manter os 100% de aproveitamento. Infelizmente a nós, Xavantes, não foi o que ocorreu. O Brasil dominou o jogo nos primeiros minutos da partida, buscando criar situações para que o gol surgisse. Entretanto, o Riograndense começou a gostar da PELEIA e dificultou as coisas.

Ezquerra comemorando o gol de pênalti. Foto: Carlos Insaurriaga.

Por volta dos 10 minutos de jogo, o time de Santa Maria pressionou e quase marcou. Kelson, o mito, não marcou porque Uilian Nicoletti desviou a bola para escanteio. O Brasil respondeu com o mesmo Uilian Nicoletti em cabeçada após escanteio e com Alex Goiano após cabecear livre dentro da área, obrigando Goico a tirar a bola em cima da linha. A partida continuou igual durante todo o primeiro tempo, com lances de grande perigo para ambas equipes, mas os gols sairiam apenas na segunda etapa.

Na volta do intervalo, o Brasil veio obcecado pelo gol. Logo no início, Willian Kozlowski recebeu passe de Alex Goiano e chutou no canto, mas o goleiro Goico fez boa defesa. Aos 5, o pênalti: Juninho entrou como um raio dentro da área e foi derrubado. Penalidade máxima bem marcada. O uruguaio Ezquerra cobrou no canto direito, Goico quase pega, mas a bola entra. 1 a 0, Xavante. Mesmo com o gol, o rubro-negro continou em cima e dominou o adversário. Aos 10, Ezquerra chutou a PELOTA com força, Goico fez grande defesa e, no rebote, Alex Goiano chutou novamente, mas a bola acabou sendo desviada pela zagueiro.

Aos 15, a primeira expulsão: Rodrigo Dias, do Brasil, foi para o chuveiro mais cedo por demorar numa cobrança de falta, retardando a partida. Com um a menos, o time da casa procurou se defender um pouco mais. O Riograndense veio para cima, pressionou e chegou ao gol aos 39 minutos com Kelson – ele mesmo -, após chute rasteiro que desviou na zaga rubro-negra, enganando o arqueiro Xavante. Após o empate, houve mais confusão na Baixada. Galego, do Brasil, e Reinaldo, do Riograndense, foram expulsos após ATITUDES HOSTIS no círculo central. Minutos mais tarde, o Riograndense teve outro jogador expulso após dura entrada de Alex Silveira em William Ribeiro.

Numa partida com muita confusão, cinco expulsos e dois gols, o Brasil perdeu os 100% de aproveitamento e a liderança da chave. 1 a 1, placar final no Bento Freitas.

Ficha:

Brasil: Fabiano; Éder Silva, Uillian Nicoletti, Tiago Saletti e Galego; Rodrigo Dias, Wender, Leandro Ezquerra (Willian Ribeiro), Marquinhos (Juninho) e Alex Goiano (Dione); Willian Koslowski. Técnico: Luizinho Vieira.

Riograndense: Goico; Maurício Pizzi, Alex Silveira, Reinaldo e Macaé; Rangel (Odair) (Juninho Oliveira),  Edu Silva, Dênio e Chiquinho; João Cléber (Mauricio Medeiros) e Kelson. Técnico: Tiago Nunes.

Gols: Ezquerra, aos 6′ do 2º tempo (Brasil) e Kelson, aos 39′ do 2º tempo (Riograndense).

Cartões amarelos: Rodrigo Dias, Alex Goiano e Marquinhos (Brasil); Macaé, Reinaldo Edu Silva, Dênio e Goico (Riograndense).

Cartões vermelhos: Rodrigo Dias e Galego (Brasil); Reinaldo, Edu Silva e Alex Silveira (Riograndense).

Arbitragem: David Baquini da Silva, auxiliado por Rodrigo Macedo Guilherme e Itatiã da Silva Nunes.

“Melhor que o Xavante só duas amantes”,

Pedro Henrique Costa Krüger

Publicado em Brasil de Pelotas, Divisão de Acesso 2012, Riograndense-SM. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *