Taça Farroupilha: Lajeadense 2×1 Juventude – Estádio Alviazul

E acabou a quarentena do Lajeadense, que finalmente criou vergonha na cara e resolveu CORRER em campo, o que garantiu uma vitória celeste depois de impensáveis QUARENTA DIAS. Já o PERIQUITO, ainda sem técnico e sem demonstrar a menor empolgação pela vitória acachapante sobre o Operário de Ponta Grossa, segue sua tortuosa caminhada no CALORÃO 2012.

O jogo: Na verdade, nada de mais aconteceu no baixo gramado de Lajeado regado à Fruki. No primeiro tempo, o Lajeadense começou atacando mais, contrariando as suas últimas atuações, onde finalizar era uma tarefa mais árdua do que um PARTO,  expondo-se ao contra-ataque parmalatero. Dessa forma, os verdes abriram o placar em uma cobrança LINDA de Athos, em uma falta frontal a quatro DEDOS da área, que todo mundo sabia que acabaria em gol.

Mesmo assim, os azuis não perderam o pique e continuaram ASSOLANDO o gol de Jonatas, ajudados também pela tremenda LENTIDÃO dos jogadores juventudistas. No total, o Lajeadense teve DEZOITO finalizações, quantia 958% maior do que todos os outros jogos do time no ano SOMADOS. E assim, chegou ao gol de empate, em um CABEZAZO lindo do ótimo e subaproveitado centroavante EL NEGRO JANDSON, em um dos DEZ minutos de acréscimos dados pelo alucinado Márcio Chagas. O árbitro, corriqueiro na arte de dar acréscimos como quem CHEIRA COLA, ergueu os dedos das duas mãos para o assistente após interromper o jogo, em um tremendo BREU pelo anoitecer repentino, até que o Lajeadense parasse de FRESQUICE e ligasse os refletores do estádio.

No segundo tempo, logo no início, o caxiense Alan recebeu o segundo amarelo e foi mais cedo pra FESTA DA UVA, o que fez com que a pressão alviazul chegasse ao seu ápice, culminando com o segundo gol, marcado pelo zagueiro Gabriel em jogada áerea trabalhada dentro da área com Jandson. A partir daí, só enrolação, com Élder Granja e Athos CAMINHANDO em campo na velocidade da construção da Rota do Sol, até que Márcio Chagas finalmente apitasse o fim do jogo, esse momento quase inexistente em sua vida esportiva.

Destaque do jogo: Jandson. Jogou – e bem – em todos os primeiros jogos do campeonato, quando o Lajeadense garantiu 75% de aproveitamento. Depois, com sua contusão, só tragédia, somando SEIS jogos seguidos sem vitória, os três últimos já com ele em campo, sofrendo pela completa falta de abastecimento do limitado e egoísta setor de criação Alviazul. Agora, com um mínimo de ajuda, já voltou a mostrar seu futebol, sendo o melhor em campo. Já pelo lado juventudista, o destaque positivo ficou por conta de Léo Maringá, que dominou o meio-campo até onde foi possível, e do próprio Athos, que apesar de ter feito no máximo DUZENTOS metros no jogo inteiro, foi o melhor do ataque.

Seleção alemã presente pra apoiar o Lajeadense.

A massa: Ajudada pelo corte nos exorbitantes preços do Estádio Alviazul, a torcida local praticamente lotou a arquibancada superior, embora  espaços ainda tenham restados vagos nas cadeiras. Dessa vez sem vaias e murmurinhos, se prestou a apoiar, aplaudir e festejar o time, empurrada também pela própria atitude dos jogadores em campo, muito diferente das últimas partidas. Fica o registro da presença da revitalizada Fúria Alviazul, que liderou a muvuca no pavilhão e infernizou a vida dos jogadores do Juventude, com pérolas como “já tá cansado, Granja? mas tu ficou TRÊS anos descansando, filho da puta”.

Já do lado alviverde, cerca de 20 torcedores se fizeram presentes com faixas e instrumentos, mas não mostraram grande empolgação com o futebol mostrado pelo seu time e praticamente só fizeram barulho após o gol de Athos.

"Jogo do Inter e do Grêmio, camisa do Inter e do Grêmio. Jogo do Lajeadense, CAMISA DO LAJEADENSE.", diz um da dezena de cartazes colados em protesto no estádio por esse que vos escreve e amigos.

FICHA DO JOGO:

Lajeadense: Fernando; Alexandre Bindé, Micael, Gabriel e Baroni; Rudiero, Ramos (depois Celsinho), Willian e Bruninho (depois Juninho Tardelli); Osmar (depois Robert) e Jandson. Técnico: Ben Hur Pereira.

Juventude: Jonatas; Elder Granja, Rafael Pereira, Bruno Salvador e Everton; Alan, Nem, Léo Maringá,  Jardel (depois Mithyuê) e Athos; Jonatas Belusso (depois Michel). Técnico: Alexandre Barroso.

Arbitragem: Márcio Chagas da Silva, auxiliado por Jorge Luiz Cardoso da Silva e Júlio César Espinoza de Freitas.

Gols: Athos (Juventude), aos 40 minutos do primeiro tempo; Jandson (Lajeadense) aos 48 minutos do primeiro tempo; Gabriel (Lajeadense) aos 15 minutos do segundo tempo.

Cartões Amarelos: Lajeadense: Celsinho, Rudiero e Gabriel; Juventude: Bruno, Alan e Mityhuê.

Cartão Vermelho: Juventude: Alan

Aliviado e esperançoso,

Guilherme Daroit

Publicado em Gauchão 2012, Juventude, Lajeadense. ligação permanente.

3 Respostas a Taça Farroupilha: Lajeadense 2×1 Juventude – Estádio Alviazul

  1. Esse esquema do cartaz sobre as camisas temos que começar a fazer em todos os estádios, bela iniciativa

  2. Ótima resenha, site massa, já está favoritado!
    Até domingo!

  3. beretta diz:

    Bah eu pilhei muito essa do cartaz, Daroit! Vou expandir pelo Vieirão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *