Taça Farroupilha – Lajeadense 0x0 Internacional – Estádio Alviazul

Pelo segundo ano consecutivo, foi o Inter o escolhido da Dupla pra pisar as terras embebidas em Fruki. E pelo segundo ano consecutivo, o máximo que os porto-alegrenses levaram de Lajeado foi um saco de balas Flópi. Dessa vez, porém, o EMBATE foi realizado no novíssimo Estádio Alviazul,que pela primeira vez viu lotar seus auto-declarados 6 mil e poucos lugares. Algo não suficiente para D’Alessandro e cia, que passaram duzentos dias de 2011 reclamando dos vestiários, dos chuveiros, das cabines de imprensa, da torcida, da arbitragem, do clima, do hotel, da ascendência gêrmanica, da troca de sentido na Alberto Pasqualini, de Deus e de si mesmos para justificar o empate mal-e-mal conquistado perante os alemães de celeste no velho Florestal, e que neste ano deram um jeito de não voltar. Dessa vez, porém, quem pegou a BR-386 elogiou o Lajeadense, que de novo não jogou pior que o milionário e incensado Inter, e ainda levou pra casa um know-how de como se construir um estádio no século XXI.

Sobre o jogo: …

É, não há o que falar. Para quem não era um torcedor do Lajeadense completamente bêbado na noite fria de quarta-feira, foi certamente um dos jogos mais chatos da história. Absolutamente NENHUMA chance clara de gol foi criada, graças principalmente à volta da tática conhecida como FERROLHO NEONAZISTA, ressurgida dos grilhões celestes da Segundona de 2010. O maior perigo causado pelo mais uma vez inoperante ataque do Lajeadense veio em um escanteio, como sempre nesse Gauchão, dessa vez cabeceada por Jandson pra fora. Já pelo Inter, uma ESTOCADA de João Paulo na quina da área que não teria forças pra chegar nem em Cruzeiro do Sul foi facilmente parada por Fernando, após desvio em Micael, que, aliás, foi um dos grandes destaques do jogo – talvez o único – não dando o menor espaço para o ataque vermelho.

Além do zagueiro cosplay de A Lagoa Azul, tiveram boa atuação o volante Rudiero, o lateral Bindé, e, para deleite do apaixonado Maurício Saraiva, até mesmo de Bruninho, que sempre joga bem quando há transmissão televisiva dos jogos. Pelo lado do Inter, é difícil apontar algum destaque após perder seus primeiros pontos na Taça Piratini, mas pelo que se (não) esperava, o garoto Jackson, improvisado na lateral-direita, ficou beeem longe de ter uma má atuação.

NO PASARÁ. Fotos: C.E. Lajeadense.

Com o resultado, o Inter está classificado pras quartas-de-final (oh, jura?!), e agora terá de abandonar suas POUPANÇAS para o jogo contra o Santos pela Libertadores e precisará entrar com GANAS no jogo contra o Canoas, no domingo, no Beira-Rio para recuperar seu alto-astral, o que é um bom sinal para todos os secadores do artifical time trensurbista.

Já o Alviazul aumentou radicalmente suas chances de classificação, pois agora terá pela frente dois dos piores times do Gauchão para tentar FINALMENTE deslanchar e acabar com sua não-proposital tática não-toma-mas-também-não-faz, que assola o time durante todo o rodar do COSTELÃO. No sábado, o Lajeadense vai até Santa Cruz enfrentar o moribundo Galo e tentar manter a boa fase iniciada pelo Bira durante a semana, antes de fechar sua participação na TEMPORADA REGULAR contra o praticamente falecido Ypiranga.

Mais do que isso, o Lajeadense continuou a comprovar sua SUPERIORIDADE perante a dupla Grenal, atingindo o segundo ano consecutivo sem derrotas contra os dois bonitinhos do estado. Em 2011, empates em 2×2 (após estar perdendo injustamente por 2×0) com o Grêmio no Olímpico, e em 1×1 com o completíssimo Inter no Florestal, além de massacre contra o Grêmio B em Lajeado por 4×2 na Copa Laci Ughini, antes de um novo empate contra os tricoloresinhos, dessa vez por 0x0, que garantiu a vaga celeste na final da competição. Já em 2012, o Alviazul repetiu a dose batendo incontestavelmente o time de cima dos da Azenha, por 2×0 em pleno Olímpico em festa com a estréia do trilhonário Kléber, além do empate com o Inter.

Esperando a continuação do movimento frukista anti-grenal na final da Taça Farroupilha,
Guilherme Daroit

Publicado em Gauchão 2012, Lajeadense. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *