Divisão de Acesso 2012 depois das primeiras nove rodadas

A semana marcou a disputa da nona rodada da Divisão de Acesso. A metade da primeira fase foi jogada e a esperança reina entre os ponteiros. Agora, para outros, a luz do acesso parece cada vez mais distante. Tem time que anda mais perdido que cego em tiroteio. Ainda é tempo de combate, mas uma coisa é certa: o céu pertencerá a poucos e o inferno causa aflição para a maioria. A peleia conta com vinte clubes, dos quais doze passarão para a segunda fase, seis tomarão o caminho da terceirona e dois terão o limbo como destino.  Que os religiosos encaminhem suas preces ao Patrão Velho e os mundanos façam suas apostas na Loteca.

BOLA ROLANDO

Foram jogadas 89 partidas, totalizando aproximadamente 8.010 minutos de disputa, e a pelota rolou, pererecou, subiu e desceu; foi pro mato no jogo do campeonato, recebeu carícias do pé habilidoso e quando caiu na frente do tosco foi violentamente rejeitada; se encheu do sereno da noite, de suor na tarde e da saliva dos beijoqueiros de mandinga; esteve em mãos vigilantes. Correu, correu e foi morrer nas redes 230 vezes. O certame alcançou média de 2,5 gols por partida.

DOIS TEMPOS, TRÊS SENTENÇAS

De todas as partidas realizadas, 19 acabaram em igualdade, 55 foram vencidas pelos donos da terra e 15 pelo conjunto visitante. De modo geral, o fator local prevaleceu até o momento e os gritos das arquibancadas têm empurrado os homens da terra para a vitória.

O Juventus de Santa Rosa é o “rei do empate”, com cinco igualdades. O Sexagenário Signore Santa-Rosense também carrega o peso de ser o único clube que ainda não venceu na Segundona. Santo Ângelo e Panambi, ao contrário, ainda não empataram nenhum jogo na competição. Quem mais perdeu foi o Milan de Júlio de Castilhos. O conjunto Rubro-Negro já amargou seis derrotas no campeonato.

UM VISITANTE INDESEJADO

Os xirús do Guarany de Camaquã não fazem cerimônia na terra alheia e já buscaram oito pontos fora de seus domínios. O bugre também tem a melhor defesa da competição, com apenas três gols sofridos. Esse desempenho colocou o quadro camaquense na liderança da chave um.

LIÇÃO DE CASA

O Quadricolor Missioneiro costuma apresentar armas no Estádio da Zona Sul e venceu todos os jogos em casa, figurando com seis vitórias, a SER Santo Ângelo foi quem mais triunfou e lidera a chave dois.

O MILAGRE DO GOL

Milan de Júlio de Castilhos e 14 de Julho de Livramento foram os que menos balançaram as redes adversárias até agora, cada um marcou apenas sete gols na peleia. Acertar o pé e fazer as pazes com o gol é preciso. O rossoneiro castilhense segura a lanterna na chave dois e o leão da fronteira está no limbo da chave um.

LINHA DEFENSIVA

O que dizer do Índio Rubro-Negro de Venâncio Aires? O Guarani tem a pior defesa do campeonato, com dezenove gols sofridos. O conjunto da terra do mate tem dificuldade de parar os adversários e amarga a penúltima posição de seu grupo.

NO ATAQUE

O São Paulo de Rio Grande tem o melhor ataque da Segundona com dezesseis gols marcados. Mas o Leão do Parque anda mais faceiro que guri de bombacha nova e também tem saldo de gols zerado na competição.

ARTILHARIA PESADA

A última pesquisa do Toda Cancha revelou que Eder Machado, Kelson e Jaja são os matadores da Divisão de Acesso. “El Loco” Machado já anotou 9 vezes com a camisa do Santo Ângelo, Kelson do Riograndense e Jaja do Glória chegaram até as redes em 8 oportunidades.

Da esq. para dir.: o Missioneiro Eder “El Loco” Machado, Jaja da Vacaria e Kelson do Pequito.

A luta continua,

Balejos

Publicado em Brasil de Pelotas, Divisão de Acesso 2012, Glória, Guarany de Camaquã, Inter SM, Santo Ângelo, Sapucaiense. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *