Gauchão série A2 – Brasil-Pel 1 x 2 Guarani-VA (Estádio Bento Freitas)

Apesar da noite gelada, fator que faz de casa um lugar ótimo para ficar, a torcida Xavante saiu do conforto de sua residência e migrou ao Bento Freitas. Infelizmente, enfrentar o frio foi em vão, visto que o time dentro de campo não correspondeu e fez a sua pior exibição até aqui. Feliz foi o Guarani de Venâncio Aires que soube jogar e marcar os seus gols.

O Brasil entrou em campo sabendo que a vitória garantiria a classificação à próxima fase, mas quem entrou obcecado pela vitória foi o time de Venâncio Aires. Numa marcação forte, controlou o meio de campo e conseguiu atacar diversas vezes o time da casa. Num desses ataques saiu o gol, mas este foi invalidado por impedimento. O empate, assim, manteve-se, mas não por muito tempo. O Guarani abriu ao placar com Jailson, após cobrança de escanteio, no fim do primeiro tempo. 1 a 0. A atuação Xavante foi realmente muito fraca.

Torcida Xavante viu a pior atuação do ano no estádio Bento Freitas. Foto: Carlos Insaurriaga.

Na segunda etapa, o torcedor Xavante mantinha acesa a esperança de que o time conseguisse o empate e a virada, visto que sair perdendo é quase uma rotina ao rubro-negro pelotense. Entretanto, para a infelicidade dos torcedores (que estavam com frio) nas arquibancadas, o jogo continuou a ser dominado pelos visitantes. Perto dos 30 minutos, após grande jogada de Arpini, Rodolfo ampliou o marcador. 2 a 0. O estádio foi abaixo e alguns torcedores deixaram o Bento Freitas.

Numa tímida reação, o uruguaio Ezquerra marcou um GOLAÇO de falta, aos 35 minutos. Com o dois a um, a torcida viu que o empate poderia vir e começou a jogar junto como podia. O estádio inteiro estava empurrando os jogadores, mas a reação parou por aí. Houve vaias após o apito final. Foi, sem dúvidas, a atuação mais fraca do ano.

Apesar do resultado adverso, o Brasil ainda é líder da chave 1, com 24 pontos. O próximo compromisso é nesta quinta-feira (26), no estádio Bento Freitas, às 20h30min, contra a Riopardense.

FICHA:

Brasil: Júlio Cézar; Tiago Rannow (Pierre), Anderson Bill, Uillian Nicoletti e Dione (Berg); Rodrigo Dias, Ezquerra, Alex Goiano (Marquinhos) e Alexandre; Alex Amado e Gavião. Técnico: Luizinho Vieira.

Guarani: Paulo Roberto; Felipe Zang, Jailton e Bruno Sá; Michel, Carlos Alberto, Samuel, Japa (Douglas), Gambeta (Arpini) e Branco; Victor Hugo (Rodolfo). Técnico: Marcelo Rospide.

Gols: Jailton e Rodolfo (Guarani); Ezquerra (Brasil).

Cartões Amarelos: Pierre, Alex Goiano e Marquinhos (Brasil); Michel e Branco (Guarani).

Arbitragem: Eleno Todeschini, auxiliado por Jorge Luis Cardoso e Júlio Cesar Espinoza.

Notícia: o técnico Luizinho Vieira foi demitido

Por volta do meio-dia de hoje (23), o site do Grêmio Esportivo Brasil anunciou a saída do treinador Luizinho. O nome especulado é o de Rogério Zimmermann, treinador que levou o time da Baixada à primeira divisão em 2004, numa extraordinária campanha, e ao título do campeonato citadino – vencendo dois clássicos Bra-Pel na Boca do Lobo (3 a 1 e 3 a 2, este com dois homens a menos) – clique aqui e relembre. Naquele campeonato gaúcho da segunda divisão, o Brasil teve apenas três derrotas, além dos 33 gols marcados por Claudio Milar na competição (o uruguaio marcou 40 gols em 40 jogos naquele ano).

Avaliando a notícia acima, não achei correta a demissão do Luizinho. A atuação de ontem foi horrível, é verdade, mas a campanha é boa e dá esperanças. Apesar disso, gosto muito do nome de Zimmermann. Torço para que seja ele, então, o novo treinador rubro-negro.

“Rubro-Negroô”,

Pedro Henrique Costa Krüger

Publicado em Brasil de Pelotas, Divisão de Acesso 2012, Guarani-VA. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *