Costelão 2012 – A Grande Final – Primeiro Ato: Caxias 1×1 Internacional

Encerrado o primeiro Ato da decisão do COSTELÃO 2012, o cenário segue muito parecido com o que tínhamos no sábado: uma teórica igualdade, com a vantagem do Internacional preservada.

Reforço grená chegando ao estádio. Quase deu!Reforço grená chegando ao estádio. Quase deu!

O primeiro tempo começou com a incógnita grená se dissipando em forma de um time maduro, que jogou de cabeça erguida. Logo nos primeiros minutos as dúvidas geradas pelo mês de FÉRIAS ficaram para trás, com boas chegadas pelos pés de FABINHO, que aplicou uma PEGADINHA e se transformou de desfalque em destaque.
O gol de Mateus, um petardo seco, no ângulo, aos 43 do primeiro tempo, coroou uma atuação consistente do time grená, que havia chegado duas vezes com extremo perigo na meta do Muriel. Infelizmente as chances não foram aproveitadas, o que considero ter sido o grande PECADO do Caxias até agora, nestes primeiros 90 minutos.

Só bate quem acerta. Foto: Jornal Pioneiro/Juan Barbosa

Só bate quem acerta. Foto: Jornal Pioneiro/Juan Barbosa.

Na segunda etapa a falta de ritmo proporcionada pelo HIATO no calendário da UVA MECÂNICA apareceu, bem como a qualidade do Inter. Oscar, o querido trabalhador do RS, aproveitou a chance que teve, cortando pra dentro (meu deus, até minha mãe, que o mais próximo de futebol que conhece é a AVENIDA BRASIL, sabia que aquele corte iria acontecer) e batendo consciente, sem chance (nem culpa) pro goleiro Paulo Sérgio. A partir daí, mais algumas boas chegadas dos dois lados, com destaque a uma bela bola na trave do Caxias. Destaque negativo foi a arbritagem “dois critérios” do VIN DIESEL GAÚCHO, Jean Pierre Gonçalves Lima. Inverteu algumas faltas, protegeu alguns BONITINHOS DO SEU CHICO e CENSUROU o último ataque do jogo, quando o Caxias surgia cara a cara com a não-tão-confiável defesa dos milhões. Se não foi decisivo (o jogo foi realmente equilibrado), faltou bom senso, no mínimo.

No mais, segue tudo em aberto na final do Costelão 2012. Claro que o Internacional tem imensa vantagem, mas ficou muito longe dos prognósticos apocalípticos que ouvi de um pessoal da região metropolitana, que iriam golear duas vezes e etc e tal. O Caxias impôs seu jogo enquanto sustentou o ritmo e VACILOU em um lance, o que frente ao LETAL ataque colorado é sentença de morte. O 1×1 ficou justo, assim como seria um 2×1 para quaisquer dos lados. Agora é aguardar os acontecimentos da semana, como o resultado dos jogos da Libertadores, para traçar novos PITACOS pra domingo. O Inter segue favorito, o Caxias segue vivo.

S.E.R. Caxias 1×1 Internacional

CAXIAS
Paulo Sérgio
Michel
Lacerda
Jean
Fabinho
Umberto
Paraná
Mateus
Wangler (Juninho, 36’/2T)
Caion (Rafael Santiago, 29’/2T)
Vanderlei (Marcos Paulo, 34’/2T)
Técnico: Mauro Ovelha

INTERNACIONAL
Muriel
Nei
Bolívar
Índio
Fabrício
Sandro Silva
Guiñazu
Tinga (João Paulo, 19’/2T)
Oscar
Jajá (Gilberto, 35’/2T)

Técnico Dorival Júnior.

Apitado por Jean Pierre Gonçalves Lima, que foi auxiliado por Júlio Cesar Santos e José Franco Filho
Cartões amarelos: Paraná e Umberto (CAX); Jô, Índio e Bolívar (INT)
Gols: Mateus, 43’/1T(1-0) e Oscar, 10’/2T(1-1);

Durante a semana apareço com novas e atualizadas informações sobre o ATO FINAL do querido COSTELÃO 2012.

Abraço!
Tiago Zilli

Publicado em Caxias, Gauchão 2012. ligação permanente.

4 Respostas a Costelão 2012 – A Grande Final – Primeiro Ato: Caxias 1×1 Internacional

  1. Jaime diz:

    Caxias não podia tomar um contra-ataque como o que originou o gol do Inter. Fora esse lance, conseguiu neutralizar bem os ataques do Inter, e podia ter saído com o 1×0. Um lance sem a devida CAUTELA e a vantagem foi pelos ares.

  2. Por razões ÓBVIAS, minha torcida nesta final é pela ocorrência de um TERREMOTO em ambos os estádios. Não tendo ocorrido em Caxias, que ocorra no segundo jogo.

    Agora, falando MAIS SÉRIO ainda, o gol sofrido em casa matou qualquer chance dos funebreros cobiçarem o título. Com o retorno de alguns jogadores e jogando em casa e no contra-ataque, foi-se o boi com as cordas…

  3. beretta diz:

    O que joga aquele tal de Fabinho é uma coisa de louco. Melhor que todos os laterais da dupla.

  4. Cássio diz:

    Já tava achando que eu era o único que viu maldade no Vin Diesel encerrando a partida no meio de um ataque do Caxias (não que fosse dar em alguma coisa, mas podia ter esperado o desenrolar do lance…)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *