Caso Brasil-Pel x Fifa, CBF, FPF, STJD e Santo André

CANCHEIROS, visto as últimas notícias (pouco formuladas, erradas ou com algumas intenções) acerca do Brasil e a (não oficial) suspensão vinda da Fifa, escrevo este post para esclarecer o máximo possível.

Voltando no tempo

O Brasil venceu o Santo André, em São Paulo, por 3 a 2, numa partida válida pela primeira rodada da série C de 2011. O lateral Claudio jogou. Porém, tempos mais tarde, o Brasil foi punido com a perda de seis pontos pela escalação irregular do jogador, pois ele havia sido expulso na última rodada da Série C de 2010, quando atuava pelo Ituiutaba-MG, atual Boa Esporte. O Brasil foi absolvido pela 4ª Comissão de Disciplina do STJD por 4 votos a 1. A Comissão acolheu os argumentos do clube gaúcho no sentido de que não teve qualquer culpa no caso. Foram apresentados os documentos de transferência do jogador enviados pela Federação Mineira onde não consta qualquer punição pendente. Também foi apresentado documento da Federação Gaúcha informando que na transferência não havia sido informada qualquer punição ao atleta. Por fim, ainda exibiu a ficha de entrada do jogador no clube com sua declaração de que não possuía qualquer punição a cumprir. Porém, houve o julgamento de um recurso contra o Brasil e o mesmo foi considerado culpado. A partir daí, a luta começou.

Quer mais detalhes sobre o relato acima? Leia um texto muito bem escrito pelo torcedor Bruno Sacramento clicando AQUI.

Xavante ingressa na Justiça Comum!

Depois de uma reunião com conselheiros e sócios do Grêmio Esportivo Brasil, o Xavante decide ingressar na Justiça Comum com o desejo de reaver a vaga. A Constituição permite o ingresso de um clube de futebol na Justiça Comum após esgotarem todas as instâncias desportivas. A seguir, a nota oficial publicada no site do G.E. Brasil:

Na noite desta quinta-feira, em Assembleia Geral realizada no Salão de Honras do estádio Bento Freitas, a Diretoria Executiva do GE Brasil decidiu acatar a vontade dos torcedores, sócios e conselheiros do clube, em ingressar na justiça comum referente ao processo que decretou a perda de 6 pontos e, consequentemente, o rebaixamento na Série C do Campeonato Brasileiro 2011. Depois de ouvidas todas as opiniões dos presentes na reunião, foi decidido através de votação a continuação da instituição no referido processo.

Num primeiro momento, a juíza não deu vitória ao Brasil, pois precisaria de mais documentos – não é a denominação correta, mas sou apenas um mortal. Mas a juíza assegurou ao clube gaúcho a liminar que o protege de qualquer desfiliação, visto que agiu de acordo com a Constituição. O Brasil entrou com um agravo de instrumento e venceu! Veja a nota oficial, clicando AQUI, e a decisão do desembargador Aquino, clicando AQUI. O trecho a seguir é da mesma decisão do desembargador.

Em suma, não há como deixar de considerar, diante do conjunto de elementos narrados: a) que o clube recorrente estaria mesmo de boa-fé quando da utilização do atleta na partida de estreia da Série C do Campeonato Brasileiro de 2011. E, naquilo em que lhe foi possível efetuar busca de informações, obteve apenas respostas evasivas, de que não haveria restrição sobre punições disciplinares ao jogador; b) a evidente ilegalidade cometida pelas entidades agravadas, que, ao arrepio de princípios constitucionais, ultimaram por penalizar o clube agravante com perda de pontos e consequente rebaixamento de divisão no futebol nacional.

Na decisão, a CBF é obrigada a colocar o Xavante na série C 2012. O não cumprimento disso resulta num multa diária de cem mil reais.

O decorrer dos fatos, assim como uma rápida recapitulada nisso tudo, deixo para o ex-presidente do Grêmio Esportivo Brasil, André Branco de Araújo, que faz parte do Departamento Jurídico do clube. A entrevista foi concedida à Rádio Universidade. São 18 minutos, mas diz tudo! Do início até o momento atual.

Clique AQUI, seja redirecionado ao Blog Xavante e escute na íntegra a entrevista.

Espero que, com isso, a maioria dos jornalistas e torcedores deste país entenda que é preciso olhar os dois lados ao invés de sair vomitando o que “parece” ser. O que parece nem sempre é verdade.

Todos sucumbirão! E a justiça será feita.

“Mostremos valor e constância
Nesta ímpia e injusta guerra
Sirvam nossas façanhas
De modelo a toda terra”,

Pedro Henrique Costa Krüger

Publicado em Brasil de Pelotas, Série C, Série D. ligação permanente.

9 Respostas a Caso Brasil-Pel x Fifa, CBF, FPF, STJD e Santo André

  1. Guilherme diz:

    Pois é…. tudo está muito bem explicado e argumentado. Só ficamos com uma dúvida. Como é que o Joinville e o Santo André, um dia após a partida, ingressaram com a ação contra o Brasil? Como os dois clubes sabiam desta irregularidade do jogador Claudio e o GEB, que efetuou a contratação do jogador, não sabia de nada? Aonde estavam os advogados do GEB antes do início do campeonato?

  2. Guilherme, essa é uma dúvida que eu tenho também. Não sei como descobriram e não sei se alguém sabe como foi isso. Lembro de um BOATO de que um jornalista PELOTENSE teria lançado dúvidas sobre a suspensão do Claudio ou de alguém do plantel, fazendo com que o JEC “investigasse” mais a fundo. Mas não acredito nessa versão.

    Sinceramente, é algo que não sei explicar. Outra coisa que não entendo foi o Claudio não informar que foi expulso no último jogo pelo brasileiro. Apesar dele não ter sido intimado para o julgamento – no qual a pena seria convertida em cestas básicas, provavelmente – ele deveria, ao menos, dizer “olha, fui expulso, deem uma verificada”. Foda.

    O negócio é provar que o clube não teve má fé e que recebeu de todo mundo a informação de que o Claudio estava apto a jogar.

    Abraço.

  3. Guilherme. O Joinville pesquisou os jogadores de todos os clubes que enfrentaria na primeira fase da Sèrie C 2011. Foi de jogador em jogador para ver se achava algo. Aliás, o Joinville subiu no tapetão da Série D para a C em 2010 por achar um erro assim no América de Manaus. O que o Joinville fez foge do processo habitual de todos os clubes. Quando um jogador tem punição a cumprir, a federação do estado de onde ele vem tem que informar. E isso não aconteceu quando ele veio do Ituiutaba-MG para o Brasil. A CBF não tem nenhum site, software ou qualquer outra coisa onde os clubes possam consultar. O Joinville foi de súmula em súmula para ver isso. O Brasil poderia ter feito isso? Poderia. É o normal e correto? Não. O Brasil confiou no processo normal e que o sistema oferece. É como o desembargador Aquino disse, o Brasil não agiu de má fé ao escalar o Claudio. O sistema da CBF que é falho e a Federação Mineira de Futebol não informou o que tinha que informar.

  4. Marcos diz:

    O Cláudio preencheu e assinou um documento quando chegou ao GEB informando que não tinha punições a cumprir (procedimento padrão adotado por muitos clubes no país) Federação Mineira enviou documento informando não haver punições a cumprir e o mesmo se deu com a FGF. Foi julgado a revelia e condenado sem ser notificado. Má fé do GEB ? Por favor né…

    O que me deixa mais intrigado é que se nada disso tivesse sido ”desenterrado” o Claudio teria jogado e NADA teria acontecido, vejam como é falho esse sistema da CBF, outro questionamento, se invés do sto andré, fosse um time sem expressão política e favorecimentos ocultos aos interesses da competição o campeonato já começaria no domingo, em uma equação simples e seguindo a os caminhos legais apontados pela Jusutiça, cbf faria uma simples inversão com as duas equipes e tudo seguiria normalmente.

  5. Obrigado pelos esclarecimentos, Marcelo Barboza.
    E é bem isso, Marcos.

  6. Fernanda diz:

    A denúncia não partiu do Joinville e nem do Santo André. Foi feita pela própria CBF a procuradoria. CBF tem um sistema falho sobre a punição dos jogadores, o que já era conhecido por eles e por todos (caso do Duque de Caxias em 2010). Passou a responsabilidade de informar as punições para as federações no momento das transferências dos jogadores. O problema é que a FMF também falhou e descumpriu as ordens da própria CBF e do padrão FIFA por ela adotado. Então, CBF, STJD, FMF = VÁRZEA!!!! E ainda tem coragem de querer punir alguém, quando a punição deveria ser neles.

  7. Pingback: É hora de fardar | Toda Cancha

  8. Alexandre Maciel diz:

    Pra desenterrar o caso e refrescar a memória, queria pedir aos mesmos que comentaram antes do que afirmou a Fernanda se pronunciassem, ao ler o comentário dela.
    Também queria lembrar que até agora estamos aguardando a desfiliação.

  9. Antonio Roxo diz:

    Há coisas que simplesmente não devemos deixar morrer ao esquecimento e o texto aqui no Toda Cancha faz bem ao recordar a grande “sacanagem” que fizeram ao Grêmio Esportivo Brasil. É nosso dever lembrar, lembrar e lembrar. O triste é que tudo isso redundará em NADA a exemplo de tudo o que acontece nesse lixo chamado Brasil. O futebol aqui não anda por via diferente daquela que elege Renan Calheiros presidente do senado, que alia Collor a Lula e Lula ao Sarney e assim por diante. Por esses dias o deputado Romário esbravejava em uma comissão sobre a bancada da CBF lavando a roupa suja da entidade e os deputados pagos por ela ali sentados com cara de bunda com a certeza que tudo sairia a favor deles. Vejam o desespero e tristeza do Ministro Joaquim Barbosa tentando levar adiante o caso do mensalão com os outros ministros (escolhidos pela atual defensora da quadrilha a predidentA dilma) tentando encontrar “brechas” jurídicas para diminuir a culpa dos envolvidos. Eu, sinceramente, não acredito nas instituições desse país. Não tenho esperança que nosso pleito redunde em justiça e que possamos ser recolocados na série C de onde fomos varridos pelas manobras dos interessados na época. Quero crer que voltaremos dentro das quatro linhas … desde que não aconteça o que aconteceu nas semi-finais do gauchão quando desenterraram um árbitro sabidamente ruim e tendencioso para apitar nosso jogo contra o incompetente vice-campeão grêmio depois desclassificado na Libertadores pela mesma incompetência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *