Campeonato Gaúcho Divisão de Acesso – Santo Ângelo 1 x 4 Clube Esportivo

Sempre é difícil começar um texto e depois de uma derrota, como a da última quarta-feira, a tarefa exige a máxima concentração, para que a criticidade não vire apenas uma torpe indignação repleta de desalento momentâneo.

Desalento missioneiro: Santo Ângelo perde terceira consecutiva. Foto: Fernando Gomes/JM.

Na segunda rodada escrevi sobre a tarde em que a SER caiu nos Campos de Cima da Serra, sendo batida pelo Glória por 1 a 0. As circunstâncias da partida, intensa durante os noventa minutos, e a dificuldade que o Leão da Serra costumeiramente impõe aos adversários nos Altos da Vacaria, fez do revés um fato aceitável.

No último domingo o conjunto missioneiro partiu em direção à metade sul para enfrentar o Farroupilha e a nova derrota, agora por 2 a 0, foi digna de um episódio de Scooby-Doo e sua turma, quando o time das Missões foi terrivelmente amedrontado pelo Fantasma do Fragata. Perder duas partidas seguidas e jogando pouco não soou bem, porém a tabela mostrava que na segunda fase o Farrapo passou a espantar todos os adversários do Nicolau Fico. Desta vez, restava subir no furgão envenenado e voltar pra casa sem a solução do mistério.

A semana começou movimentada na Zona Sul com o desligamento do meio-campo Deivis Tiago e do atacante Eder Ceccon. O noticioso informou que a ruptura contratual dos dois atletas foi amigável. Tiago foi contratado para a disputa da segunda fase do Acesso e Ceccon fazia parte do grupo desde o inicio do certame, começou o ano como titular e depois perdeu essa condição. Também mereceu destaque a dificuldade da Associação em honrar todos os seus compromissos com os jogadores. A folha salarial soma aproximadamente 100 mil por mês, dos quais apenas a metade foi paga em maio. A direção lançou na última semana campanha para expandir o quadro social e garantir o aporte de mais recursos. Foram projetados 200 novos sócios pagando mil reais cada por contrato até final de 2013, mas ocorreram apenas 30 novas adesões.

O pré-jogo ainda dava conta de que a equipe missioneira entraria em campo com três desfalques, o arqueiro Márcio fora por lesão, o volante Amaral expulso em Pelotas e o atacante Éder “El Loco” Machado – artilheiro do campeonato com 14 gols – também suspenso com três cartões amarelos.

A noite fria de quarta chegou para sufocar um dia de chuvas insuficientes que alcançaram, predominantemente, a área rural do município. O interior de Santo Ângelo não recebe chuvas regulares a mais de seis meses e algumas comunidades só conseguem água através de caminhões pipa. A estiagem já casou perdas agropecuárias imensas e, em alguns pontos, falta água até para o consumo da população.

Estiagem castiga região das Missões. Foto: Jornal das Missões.

Apesar de toda sorte de dificuldades, um punhado razoável de missioneiros foi até o Estádio da Zona Sul para apoiar a SER e garantir o borderô. A bola rolou e logo foi possível perceber o peso dos desfalques para o time local e a proposta de contra-ataques do Alviazul de Bento Gonçalves. Aos 18’ do primeiro tempo o quadro das Missões já perdia por 2 a 0. Em duas bolas nas costas da linha defensiva, Anderson Feijão e depois Raone anotaram o para o Tivo. O time missioneiro sentiu os gols sofridos, abusou dos passes errados e das falhas no posicionamento e, aos 24’, Rodrigo Zeferino marcou o terceiro da autodeclarada Polenta Mecânica. Ainda na etapa inicial, depois de indecisão entre a defesa e o guarda-metas local, Cassiano marcou o quarto do conjunto visitante, aos 31′. Inacreditavelmente ao fim da primeira parte, o Tricolor de Missões já perdia por 4 gols a 0.

No intervalo do jogo a maior parte da torcida resolveu abandonar a trincheira e voltar pra casa, quem sabe para um propício mocotó, para reiniciar o fogo de chão, ou mesmo para assistir ao amistoso da Seleção Nacional contra o Tio Sam. Antes, porém, seja para espantar o frio ou por indignação completa, algumas faixas foram consumidas pelas chamas nas arquibancadas da Zona Sul. Não era uma noite comum, não era uma noite fácil. E para deixar tudo um pouco mais dramático, o vinho era um regalo exclusivo da linha adversária.

Na etapa complementar a iniciativa foi do Tricolor, que chegou a atingir o poste da meta alviazul, mas a pelota tinha pouca disposição para cruzar a linha fatal adversária. Isso só mudaria aos 28’, quando Marabá anotou de falta o gol de honra da SER, porém a vantagem construída no primeiro tempo era larga em favor do time da Serra e o jogo ficou em 1 a 4.

A goleada sofrida em casa teve, sem dúvida, contornos dramáticos e no contexto da tabela de classificação tornou improvável a conquista do acesso. Depois de quatro rodadas completas uma diferença de seis pontos separa o time das missões da segunda vaga para o quadrangular final, e considerando o desempenho da equipe fora de casa é difícil projetar mais do que 50% de aproveitamento nos jogos a disputar. Talvez, o único caminho seja reviver Sepé Tiaraju e deflagrar nova Guerra Guaranítica, para ganhar tempo e arrumar a casa. Que eu esteja errado.

Próximos jogos:

Visitante contra o Internacional-SM, o Clube Esportivo e o Guarany-CAM.

Local contra o Internacional-SM, o Farroupilha e o Glória de Vacaria.

Agora azedou a boca da égua,

Balejos

Publicado em Divisão de Acesso 2012, Esportivo, Santo Ângelo. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *