Série A2 – Brasil-Far 0 x 2 Brasil-Pel (Estádio das Castanheiras)

“Ainda não!”, diz o índio em desafio ao mundo do futebol. Apesar de todas as dificuldades, e precisando torcer por resultados paralelos, o rubro-negro vence mais uma partida. E fica evidente para todo mundo que o técnico Rogério Zimmermann, o mesmo que levou-nos ao acesso em 2004, chegou um pouco tarde. Porém, talvez, não tão tarde assim!

Índio Xavante flechou o Gigante das Castanheiras. Foto: Comunicação/Brasil-FAR.

O Xavante foi à serra gaúcha para enfrentar o xará Brasil, este de Farroupilha. Foi em busca de uma vitória FULCRAL para permanecer na competição com chances de classificação à próxima fase; além da vontade de vingar a derrota que sofreu este ano, por 2 a 0, no Bento Freitas, e o empate que ocorreu ano passado que eliminou o time de Pelotas da mesma competição. Para vencer essa épica batalha, o time contou com a ajuda de cerca de cem torcedores Xavantes, os quais representaram a grande tribo nas arquibancadas das Castanheiras.

O primeiro tempo estava tão equilibrado que o jogo estava chato. Para piorar, poucas chances de gols foram criadas por ambos os times, além de um número alto de passes errados. Enquanto isso, torcedores nervosos. O empate eliminaria os dois Brasis.

Na segunda etapa, o jogo melhorou. O time da casa tinha mais controle da partida e o Xavante buscava o contra-ataque, principalmente com Tiago Rannow. Para mim, a vitória rubro-negra começou quando Zimermann sacou Koslowsky e colocou Alexandre. O meia entrou bem e mudou a partida. Testando o CARDÍACO da Xavantada, aos 41 minutos do segundo tempo saiu o TENTO e veio o alívio, o oxigênio, a esperança! André Ribeiro, o zagueiro GOLEADOR, testou com FÚRIA ao fundo da rede. Delírio da massa em Farroupilha, em Pelotas e festa de um torcedor que esperava a namorada sair do serviço – este era eu, enquanto gritava como um louco no meio da rua. Foguetes e carros buzinando, no entanto, não me deixaram comemorar sozinho.

Num misto de felicidade e ânsia pelo fim da partida, a torcida Xavante estava. A galera de Farroupilha torcia para, pelo menos, conseguir um empate, pois assim eliminaria o adversário que comemorava em sua casa. Mas os Senhores lá de cima sorriram para nós e num contra-ataque FULMINANTE, aos 46 da segunda etapa, Alex Amado passou pela marcação, driblou o goleiro William Lago e… “pimba na gorduchinha!”. Foi o segundo gol Xavante e a manutenção da esperança de ocorrer um MILAGRE.

Agora o Brasil torce por vitória do União Frederiquense contra o Passo Fundo, em partida que ocorre hoje (21). Caso o Passo Fundo vença, o Xavante está fora. Oremos.

FICHA:

Brasil-Far: Willian Lago; Dudu, Anderson, Heverton e Rodrigo Vareta; Wilson, Tiago Renz, Eduardinho e Miro Bahia (Jean Michel); Leandro Kíwel (Leandro Branco) e Hyantony (Mazinho). Técnico: Marcelo Caragnato.

Brasil-Pel: Luiz Muller; Tiago Rannow, André Ribeiro, Fabiano Eller e Tiago Saletti; Leandro Leite, Wender (Willian Ribeiro), Dione (Jonas) e Willian Koslowsky (Alexandre); Marcos Denner e Alex Amado. Técnico: Rogério Zimmermann.

Gols: André Ribeiro e Alex Amado (Brasil-Pel).

Cartões Amarelos: Anderson, Heverton, Tiago Renz e Eduardinho (Brasil-Far); Tiago Saletti (Brasil-Pel).

Arbitragem: Francisco Silva Neto, auxiliado por Tatiana Jaques de Freitas e Max Augusto Guimarães Vioni.

A  charge é do André Macedo.

Do cancheiro Xavante,

Pedro Henrique Costa Krüger

Publicado em Brasil de Farroupilha, Brasil de Pelotas, Divisão de Acesso 2012, Sem categoria. ligação permanente.

3 Respostas a Série A2 – Brasil-Far 0 x 2 Brasil-Pel (Estádio das Castanheiras)

  1. Maurício Klaser diz:

    Nunca duvidem do Beretta, ele falou pro Brasil de Pelotas largar os tribunais e FARDAR, olha oq deu hahaha

  2. Maurício Klaser diz:

    Alex Amado é o melhor jogador baixinho parecido comigo do Mundo FIFA

  3. Zezinho diz:

    Tiago Rannow craque, outra cria do Noia (volta!)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *