Série A2 – Brasil-Pel 3 x 1 União Frederiquense (Estádio Bento Freitas)

ERRATA: Rogério Zimmermann comandou oito jogos na série A2, vencendo cinco e perdendo três. Desculpem-me pela falha.

Ontem (27), no estádio Bento Freitas, viu-se um Brasil destinado a conquistar os três pontos. É bem verdade que o time de Frederico Westphalen não estava com a sua força máxima, além de já estar classificado. Porém, temos que reconhecer o trabalho de Rogério Zimmermann à frente do rubro-negro pelotense: foram seis jogos, cinco vitórias e uma derrota. Uma melhora considerável.

O Xavante iniciou o jogo com vontade. Marcava forte e ia com fúria em direção ao gol. Tal empenho deu resultado, quando o guri Alex Amado invadiu a área e foi atropelado. Pênalti! Marcos Denner pegou a PELOTA, colocou-a embaixo do braço e foi em direção à marca penal. Chutou rasteiro no canto esquerdo do goleiro de Frederico. A bola chegou a beijar a trave. Gol do Brasil. Festa da Xavantada.

A pressão não parava. E o grito vindo das arquibancadas também não. Em grande lance, Alex Amado fez uma jogada de PLAYSTATION, onde invadiu a área, deu uma meia volta com velocidade carregando a bola e chutou rasteiro no contrapé do arqueiro. Brasil 2 a 0. Para coroar a atuação, perto do fim da primeira etapa, Marcos Denner recebeu lançamento incrível de Willian Kozlowski e cruzou para a área. O mesmo Kozlowski subiu no terceiro andar e deu um TESTAÇO à queima roupa. Xavante 3 a 0! E final de primeiro tempo na Baixada.

Em Passo Fundo, partida que interessava ao Brasil, o São Paulo de Rio Grande estava vencendo o time da casa por 1 a 0. O resultado não servia para o rubro-negro; apenas o empate interessava.

Na volta do intervalo, o Brasil veio disposto a tocar a bola e deixar o tempo passar. O União Frederiquense também não exigia. Não estavam dispostos a tomar mais nenhum gol, mas também não demonstravam muita vontade de atacar. No estádio Bento Freitas, porém, houve comemoração. O Passo Fundo tinha uma penalidade máxima a seu favor. Era o empate que servia. O jogador de Rio Grande foi expulso, deixando o seu time com um a menos. O time da casa converteu a penalidade, empatando em 1 a 1 a partida.

Em Pelotas, num contra-ataque rápido, o time de Frederico descontou com Douglinhas que, cara a cara com Luiz Muller, chutou no canto. 3 a 1. A alegria da torcida, porém, durou pouco: o Passo Fundo virara o marcador. 2 a 1. Resultado que não interessava nem um pouco.

A partida no estádio Bento Freitas estava calma e seguiu assim até o fim do jogo. O juiz finalizou o confronto, mas a torcida permaneceu. Em Passo Fundo, o São Paulo perdia alguns gols, o que resultava em Xavantes arrancando os cabelos – os que ainda têm, é claro. Na outra partida, o juiz deu cinco minutos de acréscimo. Enquanto isso, no sul do Rio Grande do Sul, a torcida Xavante cantava como se fosse a última vez que poderia cantar. Pulava como se conquistasse o maior dos títulos. Porém, na realidade, o time estava sendo eliminado da competição, encerrando as chances de jogar a primeira divisão do estadual no ano de 2013. Encerrado os cinco minutos, o Passo Fundo comemorou a vaga e, em Pelotas, a torcida rubro-negra aplaudiu os jogadores e entoou o que toda torcida adversária já ouviu em seu próprio estádio: Rubro-Negroô! Rubro-Negroô! Rubro-Negroô!

A paixão que vi naquelas arquibancadas nenhuma TV mostrou. E ela está acima de qualquer tentativa de entendimento.

O próximo confronto do Brasil ocorre na série D contra o Juventude, no Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, no próximo domingo (1º) às 15h30min. AVANTE!

FICHA

Brasil-PEL: Luiz Muller; Tiago Rannow, André Ribeiro, Fabiano Eller e Tiago Saletti; Leandro Leite, Dione, Wender e Willian Koslowsky; Alex Amado e Marcos Denner (Alexandre). Técnico: Rogério Zimmermann.

União-FW: Rafael; Carlão, Maurício e André Gaúcho; Alex, Manivela, Willian Paulista (Froner), Piccinini (Douglinhas) e Ítalo Baiano; Gabriel e Thales. Técnico: Rodrigo Bandeira.

Gols: Marcos Denner, Alex Amado e Willian Koslowsky (Brasil-PEL); Douglinhas (União-FW).

Cartões Amarelos: André Ribeiro e Dione (Brasil).

Arbitragem: Márcio Chagas da Silva, auxiliado por Carlos Selbach e Sedenir Martins. 

As fotos são do Carlos Insaurriaga.

“Rubro-Negroô!”,

Pedro Henrique Costa Krüger

Publicado em Brasil de Pelotas, Divisão de Acesso 2012, União Frederiquense. ligação permanente.

4 Respostas a Série A2 – Brasil-Pel 3 x 1 União Frederiquense (Estádio Bento Freitas)

  1. Junior II diz:

    O texto informa que o União não estava com a força máxima, não é bem assim, não havia desfalques, eram os reservas reforçados por alguns sub-20, em uma escandalosa tentativa do União de carregar um adversário mais fraco para fase final !
    O texto também informa que com RogérioZimmermann foram cinco vitórias em seis jogos, também não é verdade, foram OITO jogos e cinco vitórias, foram três derrotas com Zimmermann, uma para o São Paulo-RG e duas para o Passo Fundo do mito Sandro Sotilli !
    E talvez seja a última vez que a torcida tenha cantado por um bom tempo, vai que o clube seja suspenso do futebol por um período no julgamento de hoje e a torcida vai ficar sem time !! Nenhuma novidade, uma vez que este clube já fechou as portas nos anos 70, entre 1973 e 1975 !

  2. #1

    Realmente foram oito jogos. Contei uns jogos pensando ainda no Rospide. Perdão pela falha.

    O União não estava com força máxima MESMO. Para mim, força máxima é ter o time titular completo. Mas é opinião de cada um.

    E sobre a torcida… ela irá cantar, sim. Há 100 anos, canta, apesar de ter fechado por um ano. E sobre jogar futebol… o único em funcionamento em Pelotas, no momento, é o Brasil.

    Abraço!

  3. Junior II diz:

    #2, não existe motivo para perdões, enganos acontecem, e duas trocas de técnico aumentam a chance de equívocos !
    Quanto a “força máxima” entendi seu conceito !
    Eu acredito que vá seguir cantando, também não acredito que haverá suspensão, a chance é pequena, mas o canto também não vem sendo como já foi no século passado. Já quanto à atividade dos clubes seu argumento não é muito válido, o campeonato da Primeira Divisão acabou, por isto o Pelotas não está jogando, mas na próxima Segunda ocorre a apresentação oficial do elenco para o segundo semestre, vários atletas já estão treinando. Se estivesse na Segunda Divisão o Pelotas estaria jogando, afinal de contas na nossa exagerada passada por lá entre 2005 e 2009 só não chegamos a fase final em um ano ! Eu prefiro não voltar para Segundona !

  4. #3

    Ok, cara. Concordo que prefiras não voltar à série A2. Realmente é complicado. Porém, eu disse que só o Brasil estava jogando porque o Pelotas rejeitou a vaga da D. Eu sei que ele irá disputar a copinha, disputar Bra-Pel, mas ainda não está jogando. Está nos treinos. Porém, isso não vem ao caso e não importa tanto.

    Continue acompanhando o Toda Cancha, cara.
    Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *