Série D – Brasil-Pel 2 x 0 Metropolitano/SC (Estádio Bento Freitas)


Num jogo importantíssimo para o Brasil no campeonato brasileiro da série D, o vaiado (e veterano) Marcos Denner marca duas vezes, levando o rubro-negro à primeira vitória e à liderança da chave. Seria um milagre?

Foi uma tarde de muito frio e pouco público no estádio Bento Freitas. Apesar disso, o clube de Pelotas precisava vencer. Os três pontos eram FULCRAIS para os interesses do clube no brasileiro. Ciente disso, o time da casa entrou em campo destinado a arrancar uma vitória do time catarinense.

Porém, o Xavante não teria vida fácil. A partida começou, entretanto, calma. Quem primeiro chegou com perigo foi o Metropolitano ao carimbar a trave rubro-negra. Apesar disso, a tarde seria de Marcos Denner. Através de seus EXPERIENTES PÉS, Denner marcou aos 30 minutos da primeira etapa, após receber lançamento de Dione, matar a pelota no peito e mandar no canto. 1 a 0, Xavante.

Na segunda etapa, o time de Santa Catarina veio com a ideia de envolver mais os donos da casa e marcar gols. A partida estava fria – assim como o clima – e foi decidida no detalhe. Aliás, não só nisso, mas também na velocidade do amado Alex Amado: num contra-ataque FULMINANTE, aos 16 da segunda etapa, passou por todo mundo e, de frente para o goleiro adversário, rolou a redonda para Marcos Denner. 2 a 0. Era o nascimento da primeira vitória do Xavante.

Depois do gol o time de Santa Catarina ficou desnorteado. O Brasil tratou, então, de errar MUITOS gols. Chegou com Amado, Denner, Willian Koslowsky e cia. Enfim, o Brasil de Pelotas chegou a 4 pontos e lidera, juntamente com o Juventude, o grupo A8. O próximo compromisso será no domingo (15) às 15 horas, na “Cidade Amiga” (Mirassol/SP), frente ao Mirassol no estádio José Maia.

FICHA
Brasil-Pel: Luiz Muller; Tiago Rannow, Jonas, Fabiano Eller e Tiago Saletti; Leandro Leite, Dione, Wender e Willian Koslowsky; Alex Amado (Márcio Jonatan) e Marcos Denner (Gustavo Papa). Técnico: Rogério Zimmermann.
Metropolitano: Flávio (Dida); Nequinha, Thiago Couto, Ribamar e Rodrigo Ninja; Alex Albert (Renan), João Neto, André Ricardo e Felipe Pinto (Bruno Rangel); Rafael Costa e Pantico. Técnico: Cesar Paulista.
Gols: Marcos Denner (2x).
Cartões Amarelos: Willian Koslowsky (Brasil-Pel); Thiago Couto e Rodrigo Ninja (Metropolitano).
Arbitragem: João Batista Arruda, auxiliado por Eduardo Souza Couto e Michael Correia.

A foto é de Carlos Insaurriaga.

“Com a esperança renovada”,
Pedro Henrique Costa Krüger

Publicado em Brasil de Pelotas, Série D. ligação permanente.

2 Respostas a Série D – Brasil-Pel 2 x 0 Metropolitano/SC (Estádio Bento Freitas)

  1. Giaretta diz:

    Fui ao Bento Freitas ontem e presenciei o jogo.

    Estava atrás da trave onde o jogador do Metropolitano errou o gol, bem no início do jogo. Foi um gol imperdível, digno do INACREDITÁVEL, num momento da partida onde quem controlava a partida era o Metropolitano.
    O Brasil pareceu afoito, não conseguindo jogar com seu meio campo (que já me parece muito desorganizado desde os tempos de luizinho vieira), partiu para as ligações diretas com o Fabiano Eller. O gol do Denner foi um acaso, num momento onde os xavantes pareciam perdidos em campo.

    No segundo tempo o Brasil continuou envolto pelo meio campo do Metropolitano que era comandado por um camisa 7 que me lembrou o Perdigão nos seus bons momentos no Inter mas, num contra-ataque com o sempre efetivo Amado, o Brasil fez o segundo, e depois de então controlou o jogo, tendo mais chances de fazer o 3º do que de sofrer gols.

    A vitória vale mais pelos pontos do que pela atuação, acho que o Zimermann tem o desafio de mudar o jogo do Brasil de time de série B do gauchão, onde se joga muito com os laterais, para um time de série D, onde o meio campo funcione.

  2. Franco Garibaldi diz:

    EStive em Caxias e Bento ontem e… nenhum dos times (Ju e Esportivo) jogavam em casa. Fiquei escutando o jogo do Juventude em Mirassol e acompanhando o plantão pro resultado de Pelotas.
    O Juventude tem uma co-liderança enganosa. O time não consegue apresentar uma melhora na mecânica de jogo do time nem já com a competição em andamento. Agora, ficará de folga na próxima rodada (os gaúchos já têm um jogo a mais no grupo), pra jogar novamente só no dia 22/7 e, novamente folgar, até pegar o Arapongas fora de casa novamente.
    Tá tudo muito aleatório ainda. As próximas 2 rodadas (ou dois jogos pra cada time) é que irão começar a definir alguma coisa em termos de classificação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *