Série C – Tupi/MG 2×2 SER Caxias (Estádio Mário Helênio)

Dois pra lá, dois pra cá: tudo igual em Juiz de Fora (Foto: Fernando Priamo, Tribuna de Minas)

Embalado por duas vitórias consecutivas, o Caxias foi a Juiz de Fora enfrentar o Tupi, lanterna do Grupo B sem quaisquer pontos conquistados. Para o confronto, Mauro Ovelha sacou Nílson e promoveu JUBARTE à titularidade. Já no lado mineiro, Henrique, considerado o craque do time, amargava a reserva por se indispor com o treinador.

No início o time grená encontrou muitas dificuldades pra desenvolver seu toque de bola devido às péssimas condições do gramado, cheio de areia – numa clara tentativa de Los de Aécio aplacarem a falta de um litoral. Mais acostumado às AGRURAS, o Tupi se impôs, com Ademílson assustando na bola aérea, Léo Salino arrematando de longa distância e Alex Travassos atacando em chamas pelo flanco direito.

A nova dupla de ataque do Bepe não se encontrava e foi preciso o Caxiar apelar pra sua jogada ensaiada pra abrir o placar: Diniz cobrou falta no FEDOR e Lino estufou os cordeis da cidadela alvi-negra – terceiro tento do zagueirão no DILMÃO 2012. O Tupi ensaiou o salseiro, mas Paulo Sérgio manteve a vantagem até o intervalo.

Para a etapa final, Henrique entrou no lugar de Magalhães e logo botou fogo no jogo. Depois de Ademílson perder o empate livre na área, Henrique cobrou escanteio na cabeça de Wesley Ladeira, que fuzilou Paulo Sérgio.

Sentindo a polenta escorrer pelo garfo, Mauro Ovelha sacou Juba e colocou Badé, adiantando Diniz e colocando tranca na porteira. Apostando em contra-ataques e com Paulo Sergio catando tudo atrás, Everton Garrone driblou dois na intermediária e soltou o chinelo. A chinoca quicou no gramado e matou o arqueiro do Tupi.

Então, os mineiros se bandearam loucamente ao ataque e Paulo Sergio passou a pegar até pensamento. Num contra-ataque grená, Diogo Roque apareceu como elemento surpresa e foi derrubado dentro da área. Pênalti não-marcado pela arbitragem. Logo depois, Michel Loures recebeu cartão vermelho direto após entrada dura em Alisson – curiosamente, o único jogador da defesa do Tupi que não tinha recebido cartão amarelo.

A pressão alvi-negra se intensificou e, aos 46′, em escanteio cobrado por Henrique, Umberto derrubou Ademílson dentro da área. Dessa vez o árbitro aponto pra marca da cal e o camisa 9 cobrou com categoria, dando números finais à partida.

Assim que trilou o apito final, Mauro Ovelha, dirigentes do Caxias e os jogadores cercaram o trio de arbitragem. A equipe grená reclamou, principalmente, do pênalti não dado em cima de Diogo Roque, a não-expulsão de Léo Salino ao matar um contra-ataque de forma dura nos acréscimo e de uma inversão de falta aos 28 minutos da etapa final. O árbitro entendeu que Diniz retardou a cobrança e inverteu o tiro livre, o que originou um contra-ataque de três jogadores do Tupi contra um do Caxias, desperdiçado bisonhamente pelo time mineiro.

FICHA

TUPI (2): Rodrigo; Alex Travassos (Assis), Wesley Ladeira, Silvio e Michel Loures; George, Léo Salino, Michel Cury e Magalhães (Henrique); Fabinho (Daniel Amorim) e Ademílson.

CAXIAS (2): Paulo Sérgio; Michel (Alisson), Lino, Jean e Mateus; Diogo Roque, Umberto, Éverton Garrone e Diniz; Juba (Badé) e Adriano.

Gols: Lino, 34’/1T. Wesley Ladeira, 11’/2T, Everton Garrone, 36’/2T e Ademílson, 47’/2T

Cobrindo as férias de Tiago Zilli,
Zezinho (interino) 

Publicado em Caxias, Série C. ligação permanente.

2 Respostas a Série C – Tupi/MG 2×2 SER Caxias (Estádio Mário Helênio)

  1. Esse Ademilson, é aquele ex-flu e ipatinga?

  2. Daniel Gremista diz:

    #1
    Não esse a quem te referes está no América-MG, o do Tupi também jogou em Flu e Ipatinga, porém é mais (bem) velho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *