“Lisca!? Não pode ser sério…”

(foto: Pioneiro)

Foi assim que recebi a notícia de que o Juventude, após meses perdidos sob o comando de Luiz Carlos Martins e uma semana após a demissão deste, contratava Luiz Carlos Cirne Lima de Lorenzi, então no Novo Hamburgo, como seu quarto treinador apenas nesta temporada. Um verdadeiro BANHO DE ÁGUA FRIA numa torcida já escaldada pelo fracasso, seja nos últimos anos, seja na atual temporada.

Após a TENTEADA frustrada no nome de Argel, o nome do auxiliar técnico Carlos Moraes, cuja efetivação era descartada pela direção, passou a ganhar força, inclusive sendo confirmado para treinar a equipe no jogo-treino da última sexta, contra o Novo Hamburgo de Lisca, no Jaconi, vencido pelo Ju por 2 a 0, gols de João Henrique e Zulu, e com o aproveitamento de diversos pratas da casa na equipe titular, que antes sequer eram relacionados por Martins.

Carlos Moraes só assou a costela... (foto: Pioneiro)

O próprio histórico de Moraes no clube e na formação de jogadores em sua base levava a crer que, apesar da negativa inicial, seria ele o novo comandante. Além disso, a SURREAL revelação de que ele, Carlos Moraes, seria o treinador do Juventude na Copa Hélio Dourado e no Gauchão 2013 após o término da participação do clube na série D nacional, ao final do contrato de Luiz Carlos Martins, que ia até setembro (explica-se: era o mês em que a série D deveria terminar caso não houvesse a esparrela jurídica que paralisou as séries C e D) apontava para isso, servindo o amistoso de sexta como um teste final para o anúncio.

Dormi a noite de sexta para sábado certo de que seria assim. Afinal de contas, a vantagem que o Juventude teria na troca de comando técnico, além do fator motivacional que a troca traz por si só, seria o tempo de treinamentos que o substituto teria à disposição para conhecer o grupo e pôr em prática sua metodologia de trabalho. Mais elementos que indicavam para o nome de Moraes: já conhecia o grupo, tanto os vindos para a competição como a gurizada da base, e já vinha orientando os trabalhos desde a saída do treinador anterior.

...que acabou no prato de Lisca, então no Noia (foto: Pioneiro)

Mas não. Em pleno sábado à tarde, ABOLETADO no sofá de casa enquanto acompanhava alguma coisa da Olimpíada pela tevê, acesso o twitter e vejo a mensagem do dindo das crianças anunciando a notícia que já havia sido anunciada oficialmente pelo Juventude ainda pela manhã: “Lisca é o novo técnico do Juventude”. Não havia mais escapatória, a notícia vinha até com link confirmando a manchete. Em seguida, a primeira corneta de amigos torcedores do Noia, direto de Curitiba, pelo Zezinho, aqui do Toda Cancha. O fim de sábado estava definitivamente desgraçado…

Lisca tem em seu currículo muito mais destaque comandando jovens na base dos clubes do que com profissionais da bola. Talvez esse seja o único ponto positivo, caso efetivamente dê espaço à gurizada de qualidade do grupo do Juventude. Fora isso, seus trabalhos estiveram longe de qualquer destaque desde que enveredou para o comando dos barbados. De cabeça, lembro apenas de 2011, quando pegou um Caxias montado por Julinho Camargo e o levou até a final da Taça Piratini, perdendo para o Grêmio em uma das clássicas arbitragens de Márcio “ATÉ EMPATAR” Chagas. No dia seguinte, alegando “ameaças” recebidas, até hoje não explicadas, pegou seu boné e PICOU A MULA.

Pouco tempo e desconfiança da torcida: desafios de Lisca no Ju (foto: ZH)

As cornetas vindas de SAPATOLAND me fizeram pensar em outra coisa: não lembro de torcida alguma ter saudades do trabalho de Lisca em seus clubes. Ou seja, é uma escolha que já nasce com grandes chances de equívoco. A impressão que fica é a de que a direção queria confirmar Moraes, mas ficou com MEDO de, caso confirmado o fracasso na série D (e os resultados da rodada em que folgou não ajudaram), ser acusada de ter apostado todas suas fichas num treinador ainda verde.

Chego para classificar o Ju, com base em muito trabalho para mobilizar jogadores e torcida”, disse Lisca em sua primeira entrevista. O tempo para isso é pouco. E a torcida, do time cujo padroeiro é São Pedro, mas que cada vez mais se abraça em São Tomé, demonstra qualquer coisa, menos animação com o novo timoneiro. Da animação com a cogitação de Argel, passando pela aprovação ao nome de Carlos Moraes e terminando com a decepção pela escolha de Lisca, creio que minha semana espelha bem o sentimento da maioria da papada.

Feito um condenado do corredor da morte à espera de um milagre,

Franco Garibaldi (@francogaribaldi)

Publicado em Juventude, Série D com as tags , , , , , , . ligação permanente.

5 Respostas a “Lisca!? Não pode ser sério…”

  1. Luis Henrique diz:

    O Juventude sempre conseguiu fazer coisas assim… Como sou torcedor do Nóia, recebi com muita felicidade esta notícia, principalmente pela chegada de Paulo Porto, que teve grande destaque no Caxias, sendo demitido após classificar a equipe para a final do campeonato. Coisas que só os times de Caxias do Sul conseguem fazer. Muito bom pro Nóia, já que o Lisca não tem condições de comandar nem o meu time de sábado a tarde! Dá-lhe Nóia!!

  2. Felipe Longra diz:

    Pelo menos uma matéria que diz a verdade e não fica fazendo politica, eu como torcedor do JU concordo em genero, numero e grau com tudo que vc falou…Lisca?É sinonimo de confusão e última chance do ju era com o Moraes,rumo a “SEM SÈRIE…

  3. Eduardo diz:

    Não posso acreditar que esse cara tem a coragem de colocar os pés em Caxias de novo, alegou que sua família havia seido ameaçada aqui, como se aqui fossemos um bando de marginas, só a direção di ju mesmo pra aprontar uma dessas não só com a torcida do ju, mas tb com a comunidade de Caxias, eu so um cara que vou a todos os jogos do Ju, mas enquanto tiver esse palhaço aí eu naõ vou mais e faço questão de incentivar meus amigos a boicotar esse circo que o guiotti armou, e quanto ao Carlos Moraes, eles vão sentir quando rlr for pra Caxias e ganhar deles, não que essa seja a minha vontade mas isso já aconteceu antes com o próprio mano menezes

  4. Juarez de Lima da Silva Sauro diz:

    Mordam a língua agora seus …

  5. Realmente, mordi a língua. Mas não são sempre belos os profetas do acontecido? ?:D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *