Copa RS 2012 (Parte I)

No próximo fim-de-semana começa a nossa querida Copa RS, oficialmente chamada de Copa Hélio Dourado, em homenagem ao presidente do Grêmio que finalizou a construção do Estádio Olímpico, numa época em que as canchas eram frequentadas pelo povo. Teremos 19 clubes de todas as regiões do Estado divididos em 3 grupos em busca do título, de vaga à Série D e à Copa do Brasil.

Criada em 2004 para manter os clubes do Estado em atividade no segundo semestre, a Copa RS chega em sua nona edição ainda em busca de identidade e rentabilidade. Inicialmente, o torneio chamar-se-ia, de fato, ‘Copa RS’. No entanto, com a desculpa de que o público confundiria o ‘RS’ da copa com o RS Futebol Clube, de Alvorada (sério, foi essa a desculpa), o presidente da FGF, Francisco Noveletto Neto, foi atrás de patrocinadores para batizá-la.

Nas suas duas primeiras edições, o torneio foi chamado de ‘Colombo/LG’ (2004) e ‘BIG/Brasil Telecom’ (2005). Em 2006, ‘Copa FGF’. E, desde então, tem homenageado personalidades do futebol gaúcho: Paulo Rogério Amoretty (2007), Lupi Martins (2008), Artur Dallegrave (2009), Ênio Costamilan (2010) e Drª Lacy Ughini (2011). Todos homenageados postumamente. Hélio Dourado é o primeiro a ser homenageado em vida.

Essa mudança constante de nomes tem dificultado sua identidade com o público. Assim, o Toda Cancha promoveu uma enquete entre seus leitores para saber como chamaríamos nosso querido torneio. Com unanimidade deu seu nome original: Copa RS. E assim a chamaremos.

O outro problema enfrentado pelo torneio corresponde às finanças. Em suas primeiras edições a Copa RS contava com quase todos os clubes da 1ª Divisão e da 2ª Divisão profissionais do Estado. Contudo, regulamentos esdrúxulos, a quase nula cobertura televisiva e as verbas escassas tem afugentado muitos clubes da competição.

Somente nessa semana, União Frederiquense e Passo Fundo desistiram de disputar a Copa RS; na semana, foi o Esportivo. Como as equipes da 3ª Divisão não podem disputar o torneio, a Copinha foi reduzida a 19 equipes divididas em 3 grupos. Aí começa outro problema: o regulamento. Das DEZENOVE equipes, DEZESSEIS classificar-se-ão às oitavas-de-final, tornando inúteis, na prática, boa parte das rodadas da 1ª fase à maior parte dos times.

Uma solução seria classificar apenas 8 equipes ao mata-mata, tocando fogo no cabaré desde já. Outra seria classificar 12 equipes à segunda fase, dividi-las em 4 triangulares e classificar o campeão de cada grupo às semi-finais. Porém, convenhamos, é algo complexo demais para quem achava que o nome do torneio seria confundido com o nome de um clube.

Como o Toda Cancha não é afeito a esses PORMENORES, cobriremos com afinco a charmosa y peleadora Copa RS, que tem sua primeira fase disputada em turno e returno dentro dos grupos, com apenas o último colocado de cada chave não avançando ao mata-mata. E pro vivente não se perder na Pampa, trazemos aqui as equipes que disputarão a competição, seus times-base e seus históricos no torneio. Devido à falta de informações e constantes mudanças no elenco, alguns dados carecem não são totalmente fidedignos. Mas atualizaremos todos com o passar da competição.

Na primeira parte, os 7 clubes que fazem o Grupo 1, também chamado de ‘Chave Metropolitana’. Por apenas R$1,70, esses clubes podem viajar pelo Trensurb e incendiar as canchas da Grande Porto Alegre.

Te aprochega, pega o mate e descasca a bergamota, porque o sarandeio só tá começando.

Os campeões da Copa RS

Cerâmica

Time-base: Alexandre Villa; Marcão, Djair e Márcio Nunes; Alexandre Bindé, Nunes, Robson, Rogerinho e Emanuel; Cidinho e Dinei. Técnico: Benhur Pereira

Copa RS

2005 – Não Participou
2006 – Não Participou
2007 – 1ª Fase
2008 – Vice-Campeão
2009 – Quartas-de-Final
2010 – Vice-Campeão
2011 – Oitavas-de-Final

Cruzeiro

Time-base: Fábio; Alex Herber, Rogério, Renato e Bruno; Reinaldo, Cláudio, Abú e Faísca; Davidson e Paulinho. Técnico: Beto Campos

Copa RS

2004 – 1ª Fase
2005 – 1ª Fase
2006 – 1ª Fase
2007 – Quartas-de-final
2008 – Oitavas-de-final
2009 – Oitavas-de-final
2010 – Oitavas-de-final
2011 – Oitavas-de-final

Grêmio

Time-base: Matheus Silva; Carlos Alexandre, Douglas Grolli, Pablo e Leandro; Felipe Guedes, Kappel, Biteco e Wangler; Mamute e Diego Testa. Técnicos: Mabília e Roger

Copa RS

2004 – Oitavas-de-final
2005 – 2ª Fase
2006 – Campeão
2007 – Semi-final
2008 – Oitavas-de-final
2009 – Oitavas-de-final
2010 – Oitavas-de-final
2011 – Semi-final

Internacional

Time-base: Agenor; Cláudio Winck, Jackson, Romário e Massari; Augusto, João Afonso, Fred e Zé Mário; Lucas Roggia e Thiago. Técnico: Osmar Loss

Copa RS

2004 -Semi-final
2005 – 2ª Fase
2006 – Semi-final
2007 – Quartas-de-final
2008 – Quartas-de-final
2009 – Campeão
2010 – Campeão
2011 – Oitavas-de-final

Novo Hamburgo

Time-base: André Sangalli; Márcio Hahn, André Ribeiro, Dimas e Brock; Zaquel, Claiton, Angelo e Juninho; Sato e Wesley. Técnico: Paulo Porto

Copa RS

2004 – Quartas-de-final
2005 – Campeão
2006 – Quartas-de-final
2007 – Não participou
2008 – Semi-final
2009 – Quartas-de-final
2010 – Quartas-de-final
2011 – Semi-final

São José

Time-base: Mauro Machado; Fabiano, Fernando, Anderson Polga (?!) e Juca; Max, Cleber Oliveira, Taianan e Rafael Xavier; Rogério e Matão. Técnico: BADICO

Copa RS

2004 – 1ª Fase
2005 – Não participou
2006 – Oitavas-de-final
2007 – 1ª Fase
2008 – 1ª Fase
2009 – Quartas-de-final
2010 – Oitavas-de-final
2011 – 1ª Fase

Sapucaiense

Time-base: Eliandro; Sperafico, Rodolfo, Valença e Rafael Gaúcho; Douglas T-Rex, Elias, Evandro e Kauê; Juliano e Fusca. Técnico: Luciano Corrêa

Copa RS

2004 -Não participou
2005 – 1ª Fase
2006 – Oitavas-de-final
2007 – Não participou
2008 – 2ª Fase
2009 – 2ª Fase
2010 – Semi-final
2011 – Não participou

Percorrendo o Rio Grande,
Equipe Toda Cancha

Publicado em Cerâmica, Copa FGF 2012, Cruzeiro, Novo Hamburgo, São José, Sapucaiense. ligação permanente.

4 Respostas a Copa RS 2012 (Parte I)

  1. Antônio Dutra Jr. diz:

    Há controvérsias desse negócio de homenagear o Hélio Dourado em vida… há quem diga que ele já morreu há mais de cinco anos.

    Badico treinando o São José foi, sem dúvida, o ponto alto deste belo apanhado.

  2. Eu curto pra caramba a Copinha, apesar de todas as zoadas que a FGF dá nela todo o ano, com a falta de verbas e regulamentos esdrúxulos.

    Em 2005, a segunda fase era disputada em 4 quadrangulares – havíamos mais equipes também. Por que não fazer algo parecido pra não tornar a 1ª fase tão inútil?

    No texto do calendário bagual, já fiz minha proposta de Copa RS. Com as 19 atuais equipes, manteria os 3 grupos iniciais para manter as equipes jogando por mais tempo. Daí, três opções:

    – Passam 8 e fazem mata-mata;
    – Passam 8 e fazem dois quadrangulares;
    – Passam 12 e fazem quatro triangulares.

    A atual proposta só faz com que os clubes invistam pouco porque sabem que se classificarão e tentem a sorte no mata-mata.

    ***

    Engraçado que mesmo com times horríveis, como em 2008 e 2009, o Noia chegou. Em 2005, foi campeão com o time reserva jogando a maior parte da competição: Geovani; Sidiney, Sandro Blum e Emerson; Tiago Rannow, Polaco, Duda, Tiago Moraes e Gerson; Flaviano e Valdiney

  3. Fleck diz:

    Foda é que os clubes também não ajudam a divulgar a copinha…

    Eu tava querendo ir no São José x Grêmio B amanhã, mas nem no site do zequinha tem o valor de ingressos ou alguma divulgação sobre o jogo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *