Copa RS – Brasil-Pel 0 x 0 Guarany de Camaquã (Estádio Bento Freitas)

Marcos Paraná não conseguiu dar a vitória ao Xavante. Foto: Carlos Insaurriaga.

Na noite de ontem, 15, o Brasil de Pelotas recebeu o Guarany no Bento Freitas. Como de costume, fui ao estádio acompanhar a peleia. A partida, válida pela Copa Hélio Dourado, foi especial para o experiente Galego que completou cem jogos com a camisa rubro-negra. Tirando isso, o jogo foi sofrível de se ver, além do resultado que, obviamente, não agradou.

Rogério Zimmermann surpreendeu a muitos torcedores quando o time entrou em campo, pois foram os titulares que surgiram no gramado. A partir daí, a expectativa era de uma boa apresentação do grupo que, em breve, enfrenta uma decisão pelo campeonato brasileiro série D. Porém, o que se viu foi uma pífia atuação.

O Xavante não apresentava um bom futebol e o Guarany não incomodava. Aparentemente o time de Camaquã estava satisfeito com o “andar da carruagem”. O lateral direito rubro-negro, Tiago Rannow, usava da velocidade para tentar alguma coisa. Marcos Paraná também aparecia bastante, mas sofria com os erros e a forte marcação adversária. Matão praticamente não tocou na bola no primeiro tempo e o pequeno Alex Amado corria de um lado para o outro perdido entre os zagueiros adversários.

Para piorar a situação, num lance infeliz – o qual nem cheguei a entender direito –, Tiago Rannow lesionou-se. Pelo rádio ouvi que a lesão é no joelho e que o departamento médico irá dar um parecer no dia de hoje, mas receio quanto a gravidade. Espero que não seja nada tão crítico.

Na segunda etapa os dois times voltaram da mesma forma como estavam jogando. Porém, o Guarany apresentava sinais de que iria arriscar mais, principalmente em escapadas para tentar matar o jogo. Sinais que se confirmaram principalmente com Esquerdinha que, com velocidade, não deixava chances para Galego. Na primeira oportunidade, passou por ele e quase marcou para os visitantes. Na segunda tentativa, invadiu a área e foi derrubado por Galego. Realmente o lateral esquerdo do Brasil não estava tendo sucesso em marcar o veloz jogador de Camaquã.

O próprio Esquerdinha foi para a cobrança e mandou um forte chute no lado direito, mas este foi bloqueado pelo MONSTRO Luiz Muller numa defesa sensacional. Há muito tempo não via uma defesa tão bonita numa penalidade máxima na Baixada. Após o pênalti o Brasil cresceu e foi para cima, tornando a partida muito mais interessante. Parecia, enfim, que a vitória ficaria com o time da casa.

A Xavantada foi ao ataque e Matão tentou marcar de rebote após potente chute de Marcos Paraná. Tempos depois, após má cobrança de escanteio, a bola foi novamente alçada na área e encontrou Jonas livre que cabeceou, mas o goleiro Mateus fez linda defesa. Mais tarde foi Alex Amado que tentou num incrível voleio – seria um GOLAÇO –, mas a bola esbarrou no defensor adversário. A chance mais clara foi quando Marcos Paraná deu linda assistência para Matão que, de primeira, tirou do arqueiro, mas a pelota passou ao lado da trave. Um gol que não se pode perder.

Perto do fim do jogo o Guarany chegou a marcar com Flaviano, após cruzamento vindo da direita. Entretanto o gol foi anulado, pois, segundo a arbitragem, o atacante empurrou a bola com o braço. Sinceramente não sei se houve o toque, mas minha localização não permitia maiores detalhes da jogada. O pessoal de Camaquã, inclusive, reclamou bastante da decisão.

Pouco tempo depois o árbitro apitou pela última vez e a partida terminou empatada. Brasil 0, Guarany também 0. O Xavante tem cinco pontos enquanto que o Guarany apenas dois.

Agora a atenção rubro-negra volta-se totalmente para a decisão do próximo domingo, 19, no estádio Bento Freitas, às 15h30, contra o Juventude, em partida válida pelo campeonato brasileiro série D. Apenas a vitória interessa, caso contrário a competição termina no mesmo dia. Oremos.

Depois disso há clássico Bra-Pel válido pela Copa Hélio Dourado, dia 22 de agosto, no estádio da Boca do Lobo. O Pelotas conta com o retorno de Sandro Sotilli e o Brasil com a grande invencibilidade em clássicos. Fiquemos atentos.

FICHA

Brasil-Pel: Luiz Muller; Tiago Rannow (Éder Silva), Jonas, Fabiano Eller, Galego (Cirilo); Leandro Leite, Wender, Dione (Alexandre), Marcos Paraná; Alex Amado e Matão. Técnico: Rogério Zimmermann.

Guarany-CAM: Mateus; Alex Pereira (Douglas), Fábio, Gustavo, Alan Delon; Índio, Júnior, William Silva, Ivan Lima; Esquerdinha (Mateus) e Kleyton (Fabiano). Técnico: Fabiano Daitx.

Cartões amarelos: Galego, Leandro Leite e Marcos Paraná (Brasil); Gustavo, Alan Delon e William Silva (Guarany).

Arbitragem: Maicon Zuge, auxiliado por Vinícius Palau e Itatiã da Silva Nunes.

“Rezando por um futuro melhor ao Xavante”,

Pedro Henrique Costa Krüger

Publicado em Brasil de Pelotas, Copa FGF 2012, Guarany de Camaquã com as tags , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *