Copa RS – Pelotas 2 x 2 Brasil-Pel (Estádio Boca do Lobo) – Bra-Pel 350

Bra-Pel 350. Foto: Carlos Insaurriaga.

O clássico da noite de ontem, 22, apresentou com um minuto de jogo o primeiro DESENTENDIMENTO da partida – outros ainda viriam. Treinador expulso, João Sorrisão, golaço, flechada, torcidas e muita emoção foram os ingredientes principais do clássico de número 350 da história.

Nervos à flor da pele! A cada volta no relógio a tensão aumentava. Às 18 horas grande parte da torcida rubro-negra saía do estádio Bento Freitas juntamente com uma escolta ARMADA. O destino era o estádio Boca do Lobo. A torcida áureo-cerúlea já colocava as faixas e fazia os últimos preparativos para a festa. A noite prometia. Em casa escutava no radinho, por motivos diversos e menos importantes do que os detalhes desta BATALHA CAMPAL, enquanto a ansiedade começava a aumentar.

Torcida Xavante. Foto: Carlos Insaurriaga.
Torcida do Pelotas. Foto: ECP

Os tambores Xavantes iniciaram o seu tradicional batuque e o ritual estava pronto. Milhares de corpos pulavam numa frequência ensandecida. No meio do povão Xavante havia a presença do ilustre João Sorrisão – vestido à caráter! A torcida do Pelotas não estava contente com aquilo e começou a agitar a sua barra brava junto com sombrinhas azuis e amarelas. O palco estava montado para o show antes mesmo de a bola rolar.

Os jogadores do Esporte Clube Pelotas surgiram primeiro no gramado e foram recepcionados pela massa áureo-cerúlea. Fumaça azul e amarela começou a surgir e a tomar conta da arquibancada. Tempo depois, fazendo meu coração bater mais forte, os jogadores rubro-negros saíram do túnel e foram ovacionados pela Xavantada. O duelo mais fervoroso destas bandas estava acontecendo.

O time da casa começou pressionando, empurrado por sua torcida. Eles queriam a vitória e nada mais. A busca da conquista era tão grande que logo no primeiro minuto de jogo já rolou a primeira PELEIA. Dedos em riste, “gentilezas” e empurrões foram trocados. Com a bola rolando, o Pelotas pressionou até que o gol saiu, perto dos 15’, fazendo-me demorar a entender e aceitar o tento. A narração do gol que ecoava no quarto parecia arranhar o cérebro. Digitando – lentamente – anunciei no twitter do Toda Cancha que o primeiro gol da partida era do Esporte Clube Pelotas. Tiago Renz foi o autor do golo ao cobrar falta com maestria, enganando o goleiro Luiz Müller. Não pensando duas vezes, Renz tirou a camisa e foi para a galera.

“E agora, Brasil?”, pensava. O placar era adverso, o estádio estava em chamas e a derrota na série D insistia em voltar à mente para o nosso sofrimento. Os minutos não passavam até que o Xavante começou a mostrar alguma reação. Primeiro num chute de Washington, o qual resultou num escanteio. O time da Baixada crescia, ia para cima, enfrentava os onze em campo, além dos milhares de amarelo ao redor. Tal valentia deu resultado e Marcio Jonatan empatou a partida. Gritei gol como se estivesse naquele palco assistindo ao espetáculo humano que acontecia. O guri autor do gol foi para a galera e fez a flecha do nosso eterno e guerreiro Claudio Milar – nunca o esqueceremos, castelhano.

Agora era a torcida Xavante que soltava o grito e ditava o ritmo com os seus grandes tambores de cor rubra. Em cima, Saletti quase marca de cabeça o segundo gol. Entretanto, os Deuses do futebol deixaram para Marcos Paraná fazer o serviço: deu um corte no zagueiro e mandou um CHUTAÇO no ângulo. Com olhos em chamas partiu para o abraço. O maior vencedor do clássico passava a frente no marcador. O time de vermelho dominou as ações até o fim da primeira etapa.

Golaço de Marcos Paraná. Foto: Diário Popular.

Com a bola rolando para o segundo tempo do Bra-Pel 350, o Pelotas iniciou as ações ofensivas. Bruno Salvador levou perigo ao arqueiro Xavante após cabeçada. O Brasil respondia em rápidos contra-ataques. Os nervos estavam exaltados e houve mais confusão, mais empurra-empurra. Sobrou até para o gandula! Rogério Zimmermann soltou o verbo, os jogadores de ambos os times também não deixavam por menos e o técnico rubro-negro foi CONVIDADO a retirar-se. A bola já estava rolando novamente e o comandante expulso recusava-se a deixar o gramado. Saiu após ser GENTILMENTE escoltado pela BM. Zimmermann, mesmo assim, conseguiu ficar na SURDINA e acompanhou a peleia por ali mesmo.

O Pelotas estava melhor, com mais posse de bola, mas o ataque não surtia efeito. A torcida da casa, então, começou a clamar por “Sotilli!, Sotilli!, Sotilli!”. Beto Almeida cedeu aos anseios da massa e chamou o goleador para a briga. Entrou, foi ovacionado, mas pouco fez. O jogo encaminhava-se para o fim e era só festa a torcida visitante e inquieta. Até que aos 45’ da segunda etapa, Éder Silva comete pênalti em Filipinho. Em casa eu transferia alguns socos ao inocente travesseiro. Brida cobrou com perfeição no canto, Luiz Müller até foi nela, mas não deu. Festa da torcida do Lobo. 2 a 2, placar final.

Ao desligar o rádio, coloquei para tocar o hino Xavante. Mais uma vez a tradição foi o bastante.

Clique e assista a vídeos do clássico Bra-Pel 350 selecionados pelo Impedimento.

FICHA

E.C. Pelotas: Bruno; Igor, Bruno Salvador, William Paulista, Brida; Tiago Gaúcho, Tiago Renz, Cleiton e Maicon Sapucaia (Carlinhos); Clodoaldo (Filipinho) e Nconco (Sotilli). Técnico: Beto Almeida.

G.E. Brasil: Luiz Muller; Eder Silva, Jonas, Cirillo e Thiago Saletti (Galego); Leandro Leite, Wender (Moisés), Washington e Marcos Paraná (Willian Kozlowski); Alex Amado e Marcio Jonathan. Técnico: Rogério Zimermmann.

Gols: Tiago Renz e Brida (Pelotas); Marcio Jonathan e Marcos Paraná (Brasil).

Cartões amarelos: Bruno Salvador, William Paulista, Tiago Renz, Carlinhos e Nconco (Pelotas); Thiago Saletti, Marcio Jonatan, Cirilo e Wender (Brasil).

Árbitro: Márcio Chagas da Silva, auxiliado por Júlio César dos Santos e Lúcio Flor.

“Rubro-NegrooÔ”,

Pedro Henrique Costa Krüger

Publicado em Brasil de Pelotas, Copa FGF 2012, Copa RS 2012, Pelotas com as tags , , , , , , , , , , . ligação permanente.

20 Respostas a Copa RS – Pelotas 2 x 2 Brasil-Pel (Estádio Boca do Lobo) – Bra-Pel 350

  1. Leandro Maia Ramalho diz:

    Perfeita descrição do jogo Pedro, só faltou dizer que o gol do Pelotas foi um FRANGAÇO do Luis Miller, e quanto a tradição acho que o Pelotas tem tanta quanto o Brasil. Grande abraço!!!

  2. pedrohckruger diz:

    #1

    Com certeza, Leandro. Falei da tradição para cornetear mesmo. haha

    Realmente não citei a falha do Müller :/ Inclusive ele assumiu que errou na rádio.

    Forte abraço!

  3. Xavante diz:

    Torcida com SOMBRINHA E PURPURINA. Essa torcida é que queima o filme da cidade.
    Ano que vem o Lobo debuta: 15 anos sem vencer o Xavante na Boquete do Lobo.

  4. Murilo diz:

    Não queimaram o filme da cidade não.

    Depois de alguns anos ruins do xavante, até agradeço à torcida do Pelotas por levar a rivalidade a sério e contribuir para elevar o clássico a uma condição merecida. Espero que os clubes se enfrentem no mata mata da próxima fase para mostrar para a cabital o que é um clássico do nosso estado.

  5. Zezinho diz:

    Confesso que sinto uma (boa) inveja de vocês. Que coisa linda a Boca do Lobo lotada. Gostaria muito de ver isso nas minhas paragens.

    E parabéns pela cobertura no Twitter e aqui, Pedro. Ontem não sabia quem estava nas cabines. Mostrou i$enção ;)

  6. Outro xavante diz:

    Na minha humilde opinião este “Zezinho” não é Brasil. Sentiu inveja de uma torcida daquelas, que não lota a parte destinada a elas nem no maior clássico do interior? Da torcida que começa a esvaziar o estádio no intervalo de jogo? Eu tenho pena, não inveja! E concordo que esse é o maior clássico do interior do RS, disparado.

  7. André da Rocha diz:

    o futebol respira.

  8. pedrohckruger diz:

    #5

    Valeu, Zezinho! :’D

  9. pedrohckruger diz:

    #6

    Cara!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Ele não é de Pelotas. Sentiu uma inveja – BOA, aliás – da gente ter um clássico assim.

    Não confunde. haha

    Abs.

  10. Fabinho diz:

    A última vez que eu perdi Bra-Pel Big Mac bauru do Circulu’s custava R$ 4,50 e meus amigos pelotinhas me achacaram no IRC. Faz tempo!

  11. Junior II diz:

    Este é um clássico que só quem o vive de coração pode dimensionar ! Certamente é o maior do universo na minha opinião, não apenas o maior do interior !
    Criticar os guarda chuvas da torcida do Pelotas cheira à dor de cotovelo, lembro que também criticaram os cachecóis em 2009, depois também os adotaram !
    Como moro no estado de SP tive que assistir pela internet, mas mesmo assim estou sem voz até agora, de tanto gritar quando do gol do Brida !
    Pode ser que minha opinião esteja contaminada pela paixão, mas as declarações do treinador xavante, o RZ24, me pareceram indignas do clássico, ele é um personagem ultrapassado do futebol !

  12. Tiago diz:

    Maior clássico do interior?? Vcs só podem estar de brincadeira…hehe.. Mas valeu pela piada, vcs sempre foram bons em publicidade mesmo.

  13.  diz:

    Ok não é o maior Clássico do Interior, e sim do MUNDO. Sem mais! Pfv.

  14. jonathan diz:

    o brapel e un dos maiores classicos do rio grande do sul eu so pelotas e to morando em porto alegre eu fui nun grenal e dps fui num brapel nei se compara o brapel tem mais garra mais raça e o amor pelo o clube do interior e maior do que pelo un clube grande da capital.eu eu estou feliz por o brapel ser assin.na proxima vez vai dar o lobão!!!!!!!!!!!

  15. thiago diz:

    vcs xavantes se achan os bons sempre falando mal das ideias que a torcida do lobão demonstra.e o pelotas que queima o filme da cidade?.vcs tão enganado, pq nos ultimos anos o pelotas que vem orgulhando a cidade na primeira divesão do gauchão. e quando o gremio e o inter vem em pelotas eles poden ate ganhar mais e de pouca diferença,pq so existe un lugar que o gremio e o inter ganhan de goliada que e no bento freitas.como o inter soco 8 gol aquela vez isso e que umilhação para cidade.então dps que vcs sairen da segundona gauchã ai vcs poden ate querer esculachar o clube do pelotas.parebens para a upp e a fjp que tão sempre inovaldo n são como a torcida xavante que n tem criatividade.

  16. pedrohckruger diz:

    #15

    Não foram 8 gols, mas 7. Porém, a torcida do Pelotas e todo mundo pode nos esculachar pelo cinco a zero que sofremos em 2008 para o mesmo Internacional. Aquele perdemos feio mesmo. Entretanto, este 7 a 0 – em 2009 – foi consequência de uma maratona absurda de jogos por causa de uma fatalidade. Todos sabem disso, mas a maioria se nega a entender.

    Eu sofri com o cinco a zero em 2008. Em 2009 sofri por outra razão.

    Abraço.

  17. Marcos diz:

    Esse thiago é uma bichona…

    Sou Xavante, mas em um ponto sou obrigado a discordar da maioria. Apesar de nossa torcida ser muito maior e mais fiel que a do Pelotas, pouca coisa evoluiu desde a época do biri-boró e gangue da farinha.

    A lobogay soube como de fato como torcer ao melhor estilo Sul Americano e nós sem evoluirmos ainda continuamos dependentes do sambão da charanga.

  18.  diz:

    BraPel >>>> Real Madrid vs Barcelona

    #FATO

  19. Junior II diz:

    # 18

    Ontem no bate bola 2 da ESPN o Flávio Gomes disse que o bra-PEL é maior de que Barcelona e Real Madrid duas vezes, ao citar o andamento do clássico espanhol.
    Claro que ele usava de ironia, mas pelo menos conhece e valoriza a resistência de alguns clubes do interior !

    # 16
    A fatalidade realmente foi fator determinante do 2009 xavante, mas se não me engano a maratona foi no primeiro turno, no segundo as datas foram iguais para todos os clubes, e a goleada do inter foi no segundo turno.

  20. Vini Araujo diz:

    Realmente nos enche de orgulho ver um clássico como esse, flamante, brioso, peleado, com duas torcidas que honram a tradição de seus clubes.. o Bra-Pel é exemplo para todos nós..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *