Das coisas que fazem o futebol

O repórter de campo, tal qual um profeta, anuncia: “É AGORA, É AGORA!”. O narrador respira fundo e pigarra a garganta, preparando a voz. O torcedor se acomoda na cadeira e aumenta o volume do rádio. O cenário é dos mais acalentadores em uma partida de futebol: 21 jogadores agrupados no diminuto espaço da grande área. Tomados pela ânsia da glória ou pela não menos digna ambição de evitar um revés desalentador, aqueles homens lutam por cada centímetro do terreno castigado.

Nos segundos em que o solitário batedor faz o lançamento, silêncio absoluto na cabine de imprensa. Para o torcedor, que angustiado aguarda a descrição do lance, atento a qualquer som captado pelos microfones, parece decorrer uma eternidade. Quando, enfim, o narrador enche os pulmões e DESABA um GOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOL quilométrico nas caixas de som, é o ÊXTASE – a DEMÊNCIA do futebol no seu mais puro estado.

Foi assim no Amaro Cassep, em Rio Pardo, quando o Ypiranga venceu o Riopardense no último lance do jogo. Não bastasse, o Canarinho já havia derrotado o Juventude no meio da semana, no Colosso da Lagoa, com um gol aos 45 minutos do segundo tempo pela CopaRS. O atacante Nícolas, de 22 anos e passagens apagadas por São Luiz e Chapecoense, marcou nas duas ocasiões. Foram suas primeiras partidas no clube. Alçando-o, no imaginário futebolístico erechinense, à categoria de TALISMÃ CANARINHO.

São dessas circunstâncias que VERDADEIRAMENTE fazem o futebol valer a pena.

Luiz Eduardo Kochhann
A foto é do Gelson Pereira, de Rio Pardo.

Publicado em Copa RS 2012, Riopardense, Ypiranga com as tags , , , . ligação permanente.

5 Respostas a Das coisas que fazem o futebol

  1. Vítor Dias diz:

    Com esse uniforme da Associação Riopardense não há jogo às escuras

  2. Maurício Klaser diz:

    Que foda a foto, comemorações de gols no fim sempre são sensacionais, jogadores no auge da demência correndo sem rumo para todos os lados

  3. Nicolas passou pelo Noia e até fez uns golzinhos. Tem que deixá-lo jogar. Tem um perfil semelhante ao de Juba.

    Quiçá, agora, o Canário embale de vez

  4. Giaretta diz:

    O Ypiranga, a exemplo do Leão da Fronteira, está começando a reconquistar a confiança da torcida depois de um início de ano ruim.
    É difícil acreditar mas alguma coisa começa a nos empolgar mesmo que a vitória no último momento seja sobre um time bem fraco e o jogo tendo um nível técnico mais fraco ainda.

  5. Zacarias diz:

    Nicolas que foi oferecido ao técnico Lasca de pedra dias antes de sair do anilado. Treinadorzinho pornográfico que afundou o NH. Dioguinho e Wesley devem ser as soluções mesmo. Jesuis mi credo!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *