O renascimento começa a aqui

É chegada a hora da primeira final! Não, o jogo deste final de semana não dará ao vencedor a vaga na Série C 2013. Talvez sequer encaminhe verdadeiramente um dos times para a classificação para as quartas de final da competição, verdadeira decisão de vaga, já que os quatro semifinalistas garantem o acesso. Só que TUDO passa pelo jogo do Alfredo Jaconi neste domingo. Ao menos para o Juventude.

Diferente de 2011, quando o Ju passou de fase com um pé nas costas, para logo depois morrer na praia, a classificação no Grupo A8, esse ano, foi parida a FÓRCEPS (e com direito a troca do obstetra em meio aos trabalhos). Porém, foi justamente isso que pilhou time e torcida, a partir da entrada de gurizada da base na equipe e das vitórias que se sucederam.

Aliás, a entrada das eternas promessas da base, da juventude que dá nome ao clube, mesmo que na base do NÃO TEM TU, VAI TU MESMO, um clássico do futebol moderno quando a bruxaria que vem a reboque de todo e qualquer treinador não dá certo. O zagueiro Bressan, que ao lado de Follmann, Alex Telles, Ramiro e Fabrício, compõe a turma do SANGUE NOVO, apesar da pouca idade, parece espelhar bem como o grupo encara essa primeira partida.

Em resposta à tradicional e óbvia pergunta pré-jogo sobre a importância do mesmo, cravou: “Não só é o mais importante do ano como um dos mais importantes da história do Juventude, porque é o renascimento do clube”. Bressan, DEZENOVE anos. Mas com conhecimento de causa suficiente para fazer tal afirmação, tendo acompanhado desde piá, ainda em formação nas categorias de base, a ASCENSÃO e QUEDA do reich alviverde.

Até mesmo a NEBLINA causada em Caxias do Sul com o Caso Picoli, que transferiu todo o foco da imprensa para los funebreros da Thomas Beltrão de Queiroz, me parece positiva para o Juventude. Se a PILHA é necessária e até fundamental para encarar uma decisão como essa, talvez o excesso de expectativa – da torcida e da mídia – em relação a um time recheado de piás pudesse resultar numa VIRADA DE FIO. Melhor assim (e valeu por mais essa, Picoli).

E todo essa preparação, esse clima de decisão, tem motivo. Do outro lado está um clube que, se ainda não tem grande expressão, mostra a cada ano que quer crescer. Além de ter um treinador que conhece, e bastante, a aldeia polenteira.

Do Vale do Ivaí, o Leão vem com fome

Primeiro colocado do Grupo A7, com 18 pontos, invicto e terceira melhor campanha geral. O excelente desempenho do Cianorte não é surpresa para quem acompanha o Leão do Vale do Ivaí no RICHÃO e nas séries iniciais do DILMÃO. Apoiado pela forte indústria têxtil da região, o Cianorte aproveitou o vácuo deixado por Operário (de Ponta Grossa), Londrina e Grêmio Maringá para se tornar a força do interior paranaense. Em 2011, conquistou o Título do Interior e teve o artilheiro do campeonato: Giancarlo, ex-Novo Hamburgo, Juventude e Glória.

No começo de julho, o Cianorte sofreu um grande golpe com a Série D já em andamento: o meia Marcos Tora faleceu, em acidente automobilístico, quando estava de folga. Ele fora contratado para substituir Felipe Pinto, destaque do Estadual. Com o bom trabalho do primeiro semestre mantido, o Leão conseguiu ver seu grupo mais unido ainda para dar a classificação à segunda fase em homenagem ao antigo colega. E o fez com sucesso.

Tudo isso sob a égide do técnico Paulo Turra, zagueiro campeão gaúcho pelo Caxias, em 2000. Após um começo claudicante na casamata – foi mal com o Novo Hamburgo, no Gauchão e na Copa RS de 2009, e foi rebaixado com o Esportivo, em 2010 -, Turra fez boa campanha na Segundona de 2011 com o Brasil de Farroupilha e faz brilhante trabalho no Noroeste Paranaense. Enérgico e disciplinador, o gaúcho de Tuparendi aposta no bom goleiro Fabrício, no volante CLEITÃO (aquele mesmo!) e no meia Thiago Santos para triunfar diante do seu velho rival citadino.

Paulo Turra, então no Boavista, se livra de Ruud van Nistelrooy – um ZÉ ALCINO com grife

[Fotos do jornal Pioneiro, Futebol do Interior e Google]

Franco Garibaldi e Zezinho, nosso cancheiro exilado em solo araucariano

Publicado em Juventude, Série D com as tags , , , , , , , , . ligação permanente.

5 Respostas a O renascimento começa a aqui

  1. Hud diz:

    “Paulo Turra, então no Boavista, se livra de Ruud van Nistelrooy – um ZÉ ALCINO com grife”

    Épico!

  2. Maurício Klaser diz:

    Pelo jeito a Kombi da Esperança já virou um ÔNIBUS hahha

  3. Franco Garibaldi diz:

    #2
    Lento e gradual, mas CRESCIMENTO :D

  4. cristiano diz:

    Sou anilado, mas torço pelo juventude. Acima de tudo, apóio o futebol gaúcho, até porque assim, o time de caxias sai do caminho das pretensões do Nóia para a série D do ano que vem. Força zuventude!!

  5. Lisandro andré Ló diz:

    Primeira batalha ganha, faltou gas senão tinhamos goleado, agora vamos pra cianorte, jogar com coração e tentar classificação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *