A difícil arte de conter a empolgação

Passo a passo, jogo a jogo. Pelo visto, a cartilha para voltar à Série C foi muito bem ENCADERNADA pelo Juventude. Apoiado pela papada de fé que compareceu ao Jaconi, o Ju foi pra cima do Cianorte como se a tão vaga sonhada vaga estivesse em jogo ontem mesmo. Bom, sendo coerente com o dito até agora, realmente estava.

O placar, apesar de elástico e transparecer facilidades para o time da casa, não mostra o que foi a partida. Mesmo para quem, como eu desta vez, só estivesse presente em espírito – sem IBAGENS, restrito às ondas do rádio via interwebs em uma região de cobertura 3G ridícula, além de seu característico DELAY (só pra terem uma leve noção do que é estar na quarta divisão nacional) – o jogo, em função do Juventude buscar os gols que lhe dessem boa vantagem, dava margem para que o Cianorte tivesse espaços para tentar o valioso gol qualificado.

Num início de peleia FRENÉTICO, o esmeraldino serrano abriu o placar numa cobrança perfeita de falta do garoto Alex Telles (aliás, dizem por aí que a presença do Murtosa no estádio ontem era pra dar um confere no futebol dele e do João Henrique, a mando de Felipão). Muitas chances perdidas depois, já no final da primeira etapa, os paranaenses conseguem o que queriam: empatam o jogo com Alexandre Luz.

Tava desenhado o crime, golzinho do visitante (tudo o que sonhavam) no final do primeiro tempo, aquela verdadeira DUCHA GELADA no time da casa que precisa abrir vantagem correto? Errado. Logo depois, pênalti pro Ju, que o juiz não marca, dizendo que foi fora da área. Falta cobrada rapidamente pra Zulu, no meio da área, que escorou pro gol, botando o Juventude na frente de novo. Aliás, impressionante a frieza do BICUÍRA matador nas entrevistas do intervalo, parecendo mais estar saindo da hora do café pós-rango do que recém fuzilado o Leão do Ivaí.

O segundo tempo foi ainda mais ALUCINANTE, tanto em campo como nas sucessivas quedas de sinal de celular que me deixavam na mão. Menos mal que consegui ouvir a segunda bucha do REI ZULU, que aproveitou o cruzamento de um ENSANDECIDO João Henrique, única herança positiva deixada por Luiz Carlos Martins (e que, curiosamente, não era utilizado pelo treinador). Daí até o final, a correria seguiu frouxa, com o Ju se safando em defesas sensacionais de Follmann, ou pelos zagueiros, em furadas lamentáveis do jovem goleiro.

Pra se ter uma ideia do que era a tensão do jogo, nem após finalizados os noventa minutos as coisas se acalmaram. Lisca, grande responsável pela virada esmeraldina no campeonato, literalmente ESPIROCOU na coletiva, chamando na CHINCHA quem achava que a ausência de Marcel (ontem e, agora se sabe, do jogo da semana que vem, por lesão muscular) fazia parte de algum “migué”, berrando repetidas vezes para a reportagem presente que ele não era disso. Desnecessário. Sorte que, já na segunda pergunta, o efeito alucinógeno desta droga linda chamada adrenalina já havia acabado e tudo seguiu normalmente.

Agora, uma semaninha pra baixar a bola e levantar as orelhas. O Cianorte não chegou com a melhor campanha até aqui por nada. Não se garantiu nada até o momento. Nem a classificação pras quartas, muito menos a vaga. Três partidas, pensadas UMA a UMA, Lisca! Depois disso, e tendo obtido sucesso, pode espirocar o quanto quiser, malandro…

[As fotos do post são do jornal Pioneiro]

Dividindo uma cartela de ritalina com o nosso treinador,

Franco Garibaldi (@francogaribaldi)

Publicado em Juventude, Série D com as tags , , , , , , , , , , . ligação permanente.

20 Respostas a A difícil arte de conter a empolgação

  1. Maurício Klaser diz:

    Lisca é MUITO DEMENTE, no jogo Noia x Independiente tava arrumando tretas mirabolantes em um AMISTOSO, é um Muricy sem glórias

  2. Franco Garibaldi diz:

    #2
    Eu só REZO para que essa demência toda seja possível de ser contida por apenas mais 3 jogos. É só o que peço…

  3. Felipe Ornaghi diz:

    vamos que falta pouco, não amarelem agora gurizada

  4. Pingback: A difícil arte de conter a empolgação | impedimento.org

  5. Natan Dalprá Rodrigues diz:

    Na torcida pelo Ju!

  6. Cassol diz:

    Graças ao Toda Cancha eu estou conseguindo acompanhar – com emoção – a saga do Juventude na Série D. Obrigado.

  7. Maurício Klaser diz:

    #6
    Mesma coisa aqui Cassol, o Franco e o Toda Cancha estão conseguindo fazer eu acompanhar, COM EMOÇÃO TB, o Juventude

  8. Franco Garibaldi diz:

    Pôxa, gurizada… admito que nunca pensei nesse aspecto quando passei a colaborar com o Toda Cancha, mas comentários como esses me deixam muito satisfeito. De coração :D Valeu!

  9. TMarcon diz:

    Vamo que dá Ju!

  10. Quando o Luiz Carlos Ferreira foi demitido, o gerente de futebol do Ju levou o Franco pro vestiário e disse:

    – SE A PORRA DESSA VAGA NÃO VIER, TODO MUNDO FICARÁ NU DE FRENTE PRA PAREDE E O GRINGO AQUI SÓ DEIXARÁ VOCÊS SAÍREM QUANDO ELE QUISER.

    E tá dando certo. Aguante

  11. Mr.Mar diz:

    Na torcida pelo Juventude, HAHAHA grandeeee ZULU BICUIRA DO CAPÃO grande jogador merece as glorias do clube, dizendo mais esse colono Felipão vai nos tirar a revelação. É FLOYD !!!!!

  12. Franco Garibaldi diz:

    #10
    Bizarricidade. São os quadros pintados a caracteres pelo Zezinho nos comentários :D

  13. Fleck diz:

    Baita resultado…

    Força pro Ju… Falta pouco

  14. Natan Dalprá Rodrigues diz:

    A demência serrana do Franco é tão grande que ele conseguiu transformar a todos nós em PAPOS na desventurada Série D.

  15. Ueiler diz:

    Muito bom o texto e as dorgars do Lisca =D!!! Está de parabéns, mas nem começou ainda a peleia!

  16. Lisandro andré Ló diz:

    Se o Ju não cansa no segundo tempo, talvez teriamos liquidado o confronto com mais gols. Até porque o Ju foi bem, e achei o cianorte mediano, porém cada jogo é um jogo, não tem nenhum time muito melhor que o outro, vale a raça, vontade e organização, e espero que o Ju mantenha isso em cianorte.

  17. Magnus diz:

    Bamo, Xubentúdi!

  18. Leonardo diz:

    Vitória que premia a organização e a garra que o Lisca deu para a equipe, coisa que, desde 2007, eu só tinha visto com o Picoli. A Papada tá junto, de novo, e como sempre, em bom número. O jogo da volta promete ser muito complicado, pois o Cianorte provou que tem um bom time, e que a sua campanha na primeira fase não foi por acaso. Mas eu acredito, ah se acredito.

  19. Luhcas diz:

    Temos que tomar muito cuidado com o time do Cianorte, deu pra ver que eles são bons na bola aérea.
    Mas com o que jogamos domingo eu acredito que passaremos.
    AVANTE PAPADA!!!!!!!!!!!!!!

  20. baldasso diz:

    avante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *