Guarani, paixão e descaso

Hoje, dia 3 de setembro está chegando aos seus 83 anos o Esporte Clube Guarani, uma das tantas “tribos” desse rincão e maior alegria do meu coração.

O amor pelo Índio vem do tempo de guri. Desde piá meu pai me levava para os jogos. Assistíamos o mainstream pela televisão, mas o futebol em sua essência estava lá, na cancha do Edmundo Feix. Peleias contra Santa Cruz, Avenida, Lajeadense, São Gabriel, São José, 15, Santo Ângelo, e tantos outros relegados pelo grande público. Jogadores como Bolívar, Eliomar, Jorjão honravam a camisa rubro-negra naquelas noites de quarta e tardes de domingo.

O aniversário do Rubro-Negro é triste dessa vez. Nesta temporada houve o rebaixamento para o último escalão do Costelão, sem perspectivas de retorno imediato. Só não é pior que estar licenciado, É triste escrever isso: em dia de Gre-Nal a cidade para, porém ninguém paga 5 pila para ver o Guarani, e é isso que realmente incomoda.

Desde que acompanho futebol, o Grêmio foi a Venâncio quatro vezes. O povo se dividiu entre gremistas e colorados. Ver uma cidade quase que inteira vibrando com a goleada gremista dentro de casa foi algo repugnante. Muito mais que isso, uma baita falta de respeito com uma instituição que representa a terra do chimarrão Rio Grande à fora.

Nosso futebol sofre com os tempos de vacas magras. Na época em que Mano Menezes comandava o time, o ano dourado de 2002, era grande o envolvimento da comunidade com o clube, algo que acabou assim que o grande time enfraqueceu no ano seguinte.

Como a população irá apoiar se a imprensa não apoia? Temos apenas um colunista que fala sobre o Guarani, a Folha do Mate dedica um bom espaço a dupla “que vende”. Porque? Quem liga para Grêmio e Inter pode muito bem ler os jornais da capital, ligar a TV na Band ou na RBS ou abrir os sites que dizem falar de esportes.

Não sou anti nada, apenas sonho com o dia em que o meu Índio tenha espaço na mídia (assim como todos os outros), que não seja esquecido pela própria comunidade. Quero ver o Edmundo Feix cheio, com um time brigador e ficar feliz com o desempenho da equipe no gramado.

O sentimento vale mais do que vitórias ou títulos. Algo que jamais senti acompanhando o Inter, era a emoção de estar ali perto do campo, no meio da torcida e ao lado do meu pai. É disso que sinto falta, não das glórias, mas sim dos momentos ali passados.

Parabéns Esporte Clube Guarani por mais um ano sobrevivendo graças à paixão de poucos. E muito obrigado pelos momentos proporcionados e pelos que ainda virão.

As fotos são do Blog do Telmo Kist e da Folha do Mate/Blog do Rui.

Longe e perto ao mesmo tempo, Régis Nazzi.

Publicado em Guarani-VA com as tags , , , , . ligação permanente.

5 Respostas a Guarani, paixão e descaso

  1. daroit diz:

    Esse texto deveria ser CENSURADO por ligar o nome de DEUS Jorge Benjamin Duarte a esse clube inferior :~~~~~~~~

    de qualquer forma, parabéns ao Guarani, que sempre me passou uma imagem de CLUBE INSERIDO NA COMUNIDADE de verdade, pelos fatos e relatos de um tio meu que mora lá e é – ou era, já que até voltou a ir a jogos do Inter – fanático, e de conversas com a galera que vinha pra Lajeado ver o time tomar um pau do maior dos vales (hehe), Lajeadense. Por um lado espero que SUMA, mas por outro espero que se reerga para que voltemos a ter algum sinal de rivalidade pros lados de cá do estado.

    E à imprensa de Venâncio: VÃO SE FUDER. é RIDÍCULO, pra não ser tão ofensivo, que não cubram o clube decentemente pra dar espaço a Inter e Grêmio. Vocês são umas vergonhas.

    PS: Aliás, pensando nisso agora, que culpa tem (provavelmente de forma indireta) a ASSOEVA nesse declínio do Guarani?

  2. Régis diz:

    A imprensa até cobre o Guarani, só que cubrir Inter e Gremio é desnecessário, digo o mesmo para todos os outros jornais do interior, para ver sobre a dupla já temos a televisão, o Correio do Povo, a ZH, o Diário Gaúcho…

    O “problema” da ascensão da ASSOEVA é que o povo gosta de quem ganha, e acabou deixando o Guarani de lado.

  3. Juve na alma diz:

    mas é extamente isso que a dupla gre-nal quer, apenas dois times no RS…

  4. Frederico diz:

    O panorama é o mesmo em praticamente TODAS cidades gaúchas hoje em dia… Ampla cobertura da dupla grenal e descaso com os representantes locais, tornando cada vez mais fortes os grandes da capital e enfraquecendo os clubes do interior… vide comparação com Santa Catarina, que possui Figueira na elite; Avai, Criciuma e JEC na B; além de Chapecoense na C e mais alguns na D… no RS, hoje, só existe a dupla da capital, infelizmente.

    Mas, parabéns e força ao Guarani… apesar de algumas ranheiras que meu Galo Carijó teve e sempre terá (pelo bem do futebol) em alguns clássicos dos vales, sempre torço e espero que clubes quase centenários retornem a elite do futebol gaúcho nos lugares desses clubes empresas ou de prefeituras, sem história e sem torcida.

  5. Pingback: Oca de vidro | Toda Cancha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *