TAC afiado, peleador e invicto

Na tarde nebulosa de sexta-feira (07/09), feriado nacional, o duelo dos jalde-negros foi intenso na cidade de Três Passos. E o TAC seguiu à risca a faixa estendida por sua torcida: foi peleador do início ao fim. E por ter sido assim, saiu da cancha com a vitória e a liderança da Chave-B.

O Bagé mostrou em campo o porquê de ser apontado como um dos favoritos ao acesso. Uma equipe bem estruturada, com boas alternativas de ataque, um bom padrão de jogo. Talvez a zaga tenha destoado um pouco, sendo uma preocupação a mais para o técnico Tiago Nunes. Por outro lado, o TAC mais uma vez demonstrou que não está para brincadeira nessa temporada. Após dois empates em 1 a 1 contra a dupla Ba-Gua, fora de casa, intercalados por uma vitória de 3 a 1 frente ao São Borja, a equipe do treinador Leco está demonstrando regularidade, qualidade técnica, planejamento, muita valentia e aguerrimento. São cinco partidas e nenhuma derrota.

Vitória para o técnico Leco

O time três-passense entrou em campo com uma fita preta nas camisetas, em sinal de luto pelo falecimento do irmão primogênito do técnico Leco, ocorrido durante a semana. Um minuto de silêncio também foi respeitado antes da bola rolar. Esse fato ajudou a mobilizar ainda mais o grupo, que buscou com todas as forças os três pontos, como um consolo para o seu comandante.

A primeira etapa

Como o gramado do velho Medeirão não proporciona as condições para um toque de bola mais preciso, o jogo foi truncado nos primeiros trinta minutos. O Bagé assustou primeiro, perdendo uma boa chance após bobeada da zaga do TAC em cobrança de falta.

O atacante Marcão apenas foi responder para a equipe da casa aos 31′, com chute cruzado, à direita da meta de Diego. Aos 36′, aconteceu o lance mais polêmico da partida. Cleberson foi derrubado na área e o árbitro deu a lei da vantagem, com Marcão concluindo em cima do goleiro. Comissão técnica, atletas e torcedores foram a loucura com a não marcação de uma penalidade clara. O fato acabou incendiando as arquibancadas e a própria equipe taqueana.

A segunda etapa

No segundo tempo, os comandados de Leco dominaram praticamente todas as ações. Aos 5′, Dudu experimentou de fora da área, num chute forte e rasante. O goleiro Diego não segurou e a bola caprichosamente bateu na trave.

Aos 8′, a resposta do Bagé. Luli deu rebote e Rodrigo perdeu boa chance para os visitantes, chutando em cima do arqueiro três-passense.

O gol do TAC surgiu aos 10′. Diego Saraçol limpou dois marcadores e tocou para Donovan na ponta direita. O volante levantou na área, a zaga não cortou e Cleberson, oportunista, completou para as redes.

Depois do gol, o TAC continuou dominando a partida, sem sofrer grande pressão. Aos 23′, Aldair cobrou falta na entrada da área e a bola passou à direita de Diego, assustando a equipe visitante. O Bagé apenas chegou novamente aos 27′, em conclusão fraca da entrada da área, que Luli defendeu sem dificuldade.

Aos 44′, Marcão fez boa jogada pela esquerda e chutou com força, por cima da meta bajeense. Nos instantes finais, aos 47′, outra boa jogada do TAC. Após levantamento na área, Jonas cabeceou em diagonal e a bola raspou a trave. Fim de papo! No duelo dos jalde-negros, melhor para o Peñarol missioneiro.

Torcida satisfeita e confiante

A torcida saiu do estádio satisfeita com a entrega e a determinação demonstradas pelo TAC nos 90′. Destaque para as atuações seguras de Darzoni e João Carlos, na zaga, assim como para Aldair, Cleberson e Donovan.

Com o resultado, o TAC continua invicto na competição, assumindo pela primeira vez a liderança de seu grupo. Na próxima rodada, a equipe vai até São Borja enfrentar o time local que tem remotas chances de classificação e já entra um tanto desmobilizado. O Tupi de Crissiumal também segue invicto e com o mesmo número de pontos do TAC, mas perde no saldo de gols. O Bagé folga na próxima rodada e apenas poderá secar seus concorrentes diretos que estarão em campo.

Com muita luta e peleando a cada 90 minutos, haveremos de conseguir a taça.

As fotos são do Vini Araujo/Jornal Observador e do Carlos Grün/Jornal Atos e Fatos.

Resumo da partida

Três Passos Atlético Clube 1 x 0 Grêmio Esportivo Bagé

Estádio Luiz de Medeiros

TAC (1): Luli; Leandrinho, Darzoni, João Carlos e Jonatã (Diego Saraçol); Donovan, Aldair, Dudu (Japa) e Thiago Saraçol; Cleberson e Marcão. Técnico: Leco.

BAGÉ (0): Diego Machado; Pedro Jr., Marcelo Oliveira, Aguinaldo e Ânderson Son; Tiago Rocha (Fernandinho), Rodrigo Dias e Luciano Rita (Gêison); Tiago Rodrigues (João Cléber), Michel Lugo e Rodrigo Santos. Técnico: Tiago Nunes.

Arbitragem: Douglas Perdomini, auxiliado por Edemar Palmeira e Feliciano Tansini. 

Gol: Cleberson (TAC), aos 10 minutos do segundo tempo.


Cabrito, uma das maiores lendas artísticas da nossa terra!

Diretamente da terra de Cabrito, o verdadeiro sucessor de Elvis Presley,

Vini Araujo – @viniaraujo87

Publicado em Grêmio Bagé, Segunda Divisão 2012, Terceirona, Três Passos com as tags , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

5 Respostas a TAC afiado, peleador e invicto

  1. Natan Dalprá Rodrigues diz:

    Baita texto do político cancheiro! Hehehe

  2. Giaretta diz:

    Chê, o gramado estar ruim tem relação com a seca que estava prejudicando o norte gaúcho antes deste final de semana londrino?

  3. Junior II diz:

    O zagueiro João Carlos subiu com o Pelotas em 2009, a zaga titular era Rudi e Cirilo, mas o João Carlos jogou algumas partidas !

  4. Vini Araujo diz:

    Tenho de admitir que o gramado do Luiz de Medeiros nunca foi uma maravilha.. mas com certeza a falta de chuvas e os treinamentos quase que diários, acabam prejudicando muito o estado do campo…

    sobre o João Carlos, jogou aqui em 2008, quando fizemos grande campanha, chegando ao Octogonal Final da Segundona.. voltou esse ano e vem mostrando um bom futebol novamente.. Darzoni e ele estão conseguindo um bom entrosamento, um completando o outro.. Goleiro Luli tem demonstrado boa segurança, o lateral-esquerdo Jonatã é muito bom, e o Donovan se encaixou bem no meio… o atacante Marcão, que estreou semana passada, contra o próprio Bagé, surpreende pela entrega, pela força física e pelas conclusões.. com a dispensa de Fabio Buda (por indisciplina), parece que o Marcão não deixará a dever nada, muito pelo contrário.

  5. Rafael diz:

    Graande texto! E isso é TAC, nunca foi fácil para nós.
    Realmente o gramado do Medeirão tá muito acabado. Mas as condições climáticas do RS não contribuem nem um pouco para melhorar a situação.
    Sobre o time, temos um goleiro regular, que passa confiança. Não é um gênio entre as traves, mas sabe se posicionar e vem crescendo juntamente com o resto da equipe.
    A dupla de zaga parece bem entrosada. Darzoni (o xerifão) parece um pouco traumatizado ainda pelo lance que o tirou do futebol por tanto tempo, mas é tranquilo e seguro. Seu ponto fraco talvez seja a velocidade, mas com o bom entrosamento com o João Carlos, completando um ao outro em seus defeitos. Os laterais são seguros, a meia cancha talvez seja o principal setor, e o ataque ressurgiu com o recém chegado Marcão, que com muita dedicação já caiu nas graças da pequena mas animada torcida.

    VAMO SUBI TAC ♪

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *