Deu coluna um na CAMPEREADA 2012

O final de semana foi marcado por mais uma rodada da CAMPEREADA 2012. Na oitava VOLTA do certame prevaleceu o CALOR local. Dos cinco jogos disputados, dentro dos dois grupos, três triunfos dos da casa, uma igualdade e outra vitória dos forasteiros. Faltando duas FECHAS para esvair-se a fase de grupos, as melancias começam a se ajeitar na CARRETA.

A viagem começa pelo reduto BRIZOLISTA, onde escreveu não leu, o pau comeu! Mas isso, apenas isso, já foi largamente comentado. Na tarde de sábado, o GALO da SERRA recebeu o TRICOLOR do PARANHANA, no Paulo Coutinho. O Atlético local buscava reabilitação, depois do revés da última rodada contra a Associação Nova Prata, na Serra. Do outro lado do campo, o Igrejinha ostentava três jogos sem vencer e na última partida havia perdido para o SC Gaúcho, no Planalto Médio. O apito trilou e os da IGREJA foram ao ataque desperdiçando chances com o trio Cleiton, DIDU e PITOCO. O quadro da casa não conseguiu o ABAFA inicial e frequentava o campo adversário apenas com cruzamentos e arremates de fora da área grande. Do jeito que a coisa vai isso deve mudar, mas o futebol ainda é decidido com BOLA NA REDE e não com OPORTUNIDADES, exceto nos quase extintos TORNEIOS-INÍCIO, quando os CÓRNERS eram o fiel da balança (ns). Voltando. Aos 41’ da etapa inicial, JACKSON abriu os trabalhos para o conjunto de Carazinho, após cobrança de tiro de canto. Os visitantes do Vale teriam perdido seu futebol no maior entroncamento rodoviário do país? Quinze minutos para reflexão.

Na etapa complementar, o Igrejinha voltou com FIRMINO no lugar de Cleiton e o ingressante logo justificou a alteração quando, aos 10′, sofreu falta dentro da área. Pênalti! Dener cobrou e igualou o jogo no Paulo Coutinho. Não satisfeito, FIRMINO seguiu fazendo BAGUNÇA na linha local e, aos 22’, virou o jogo completando cruzamento de cabeça para as redes locais. Abraçado na LANTERNA da chave A, o Rubro-negro Carazinhense se jogou ao ataque e tomou o contra veneno. Beloir, sim, BELOIR, aos 39’ da etapa final, marcou o terceiro e fechou a conta na terra da MAIOR CANCHA RETA da Latinoamerica.

No domingo, dia mundial da COSTELA e do FUTEBOL, teve encontro de ASSOCIAÇÕES regado a muito champagne no Alcides Santa Rosa, em Garibaldi. O time local voltava pra casa depois da derrota para o Aimoré no Monumental do Cristo Rei (e nós estivemos lá). Do outro lado, Nova Prata saía depois de vencer o Atlético Carazinho no Mario Cini e jogava a garantia do segundo lugar do grupo A. Além disso, os PRATENSES viajaram contanto apenas uma derrota na competição, justamente contra os Capilés do BARRANCO.

Vamos ao que interessa. A querida rolou e o jogo foi bastante equilibrado, típica FUMACEIRA PAMPEANA. Os da ANP RONDARAM o arco Rubro-negro por mais vezes, mas não alcançaram o tento na etapa inicial. Nos 45’ minutos derradeiros, o jogo continuou disputado e a CORNETA sobre os HOMENS de PRETO pegou forte. Os Pratenses reclamaram, especialmente, de uma suposta penalidade não marcada. Bueno, o baile seguiu e o TRAGO já estava no fim no Alcides Santa Rosa quando, aos QUARENTA E OITO MINUTOS, o time local abriu o placar e fechou o jogo. Finalmente, depois de 93’ jogados e dos envolvidos terem flertado com um 0 a 0 SEM CARÁTER, o escore mínimo foi imposto pelos locais.

Nos jogos do grupo B, tivemos notícias de cerro-baj que pintaram um jogo TENEBROSO na Pedra Moura. Abre parênteses. Bagé deveria ser alçada a CAPITAL MUNDIAL COM OS MELHORES NOMES DE CANCHAS. Fecha parênteses. O Jalde-Negro resolveu o jogo no primeiro tempo, batendo o Bugre Missioneiro por 2 a 0. Anotaram Pedro Junior (que não é aquele) e Rodrigo (quase sempre presente entre os onze de qualquer time). Na bonita tarde na Rainha da Fronteira, mereceram destaque as tuitadas dos companheiros da Missão Esportiva, que trouxeram declarações de Giuliano Julião, dirigente da AESB, colocando em pauta a continuidade ou não do futebol profissional no clube em 2013. A AESB não tem mais chances de avanço na Segunda Divisão Gaúcha e a relatada inadimplência dos sócios foi trazida aos microfones da Rádio Cultura. De nossa parte: BUGRE no se va!

O outro time da CAMPANHA viajou até o Pouso dos Três Passos e voltou ao ESTRELA DALVA sem pontuar. Os do Medeirão triunfaram com placar mínimo. Jonas anotou para o TAC e foi o artilheiro solitário da tarde no noroeste riograndense. A próxima FECHA está reservada para os clássicos no grupo B, com TA-TU em Crissiumal e BA-GUA no Estrela Dalva. No primeiro turno, no Medeirão, TAC e Tupi FC ficaram no 1 a 1 e, na Pedra Moura, o GEB fez 3 a 0 nos de GABIRU. Para os índios alvirrubros o milagre de ADRIANO parece cada vez mais improvável. Preces começam a ser dirigidas ao matador de bolas que serpenteiam: ADÃO.

Fechando a rodada, o Índio Capilé não conseguiu BARRANQUEAR o SC Gaúcho em São Leopoldo. O Periquito do Boqueirão levou um ponto na mala de garupa para Passo Fundo e briga com o E.C. Igrejinha, pela quarta vaga do grupo.

No grupo B, o Tupi de Crissiumal folgou na rodada. Na próxima não joga a AESB. Confira a classificação atualizada e os próximos jogos da TERCEIRONA.

Sua vida inteira foi assim
Achando lindo, dando risada.
Como quem colhe uma flor no inverno
Se foi com Deus
Pra outra campereada…

Pirisca Grecco y La Comparsa Elétrica com o tema “Outra Campereada”.

A primeira foto é da Assessoria de Imprensa da AGE.

As informações e a foto de Atlético Carazinho 1 x 3 Esporte Clube igrejinha foram remetidas pelo Fabiel Port.

A terceira foto e os detalhes de Associação Garibaldi de Esportes 1 x 0 Associação Nova Prata de Esportes foram enviados pelo Gustavo Morelo.

Ouvindo quarenta e oito rádios simultaneamente,

El Viejo Balejos – @balejos

Publicado em Aimoré, Associação Garibaldi, Associação Nova Prata, Atlético Carazinho, Bagé, Gaúcho de Passo Fundo, Grêmio Bagé, Guarany de Bagé, Igrejinha, Resumo da rodada, São Borja, Segunda Divisão 2012, Terceirona, Três Passos com as tags , , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

Um comentário em Deu coluna um na CAMPEREADA 2012

  1. Régis diz:

    Pedra Moura e Estrela D’alva são sensacionais, mas não superam Taba Índia, Morro dos Ventos Uivantes e Vila Ferroviária de Cruz Alta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *