Uma Gurizada Buena

A ausência já completava quase a maioridade. Dezessete anos depois da última participação em divisões do futebol profissional gaúcho, o E.C. Igrejinha – o verdadeiro clube das estrelas – voltou a disputar um certame CAMPEIRO e PELEADOR.

Com uma participação ativa da comunidade, o tricolor do Vale do Paranhana, começa a despontar como um clube capaz de figurar brevemente na série maior do POLARZÃO.  Inflamados pelos DEUTSCH-FANS que compareceram sempre em bom número ao estádio Alberto Carlos Schwingel, ou simplesmente LA ALEMONERA, e pela campanha apresentada, é possível começar a acreditar em um futuro promissor para o clube.

Com um time tão jovem disputando o campeonato, a realidade máxima era mesmo uma classificação para o mata-mata, que embora não tenha acontecido, pelo menos deixou uma sensação de dever cumprido a uma diretoria que, quando assumiu o comando, nem plantel havia à disposição. Atualmente, os STARS mantêm categorias de base e praticamente já confirmaram a disputa no GAUCHÃO DE JUNIORES e na TERCEIRONA do ano que vem.

Mas a pouca experiência mostrou seus olhos pequenos e seus lábios rosados em duas oportunidades CRUCIAIS, para quem disputa campeonatos por essa REPÚBLICA de céu azul.

Na primeira, os GERMÂNICOS venciam o SC Gaúcho, em casa, pelo ótimo placar de 1 a 0 e o cronômetro já beijava os quarenta e cinco do segundo tempo, quando, num chute da entrada da área, os cansados ESMERALDINOS conseguiram o empate. Isso ainda depois de o time de Passo Fundo ter se desesperado por ter perdido um penal, que atingiu o travessão do goleiro SAMUEL.

E ainda, na penúltima rodada, quando uma simples vitória jogando também em casa, sobre o Garibaldi, praticamente garantiria os PIÁS na fase boa do COSTELÃO, acabou por terminar em 1 a 0 para os fazedores de ESPUMANTE da Serra.

Ao final, a última rodada, ainda vivo, reservou o confronto contra o Aimoré, no Cristo Rei. O Igrejinha precisava vencer ou teria que depender de um tropeço feio do Gaúcho, que enfrentava a Associação Nova Prata, em casa. Os irmãos PONTES acordaram sei lá de onde para ajudar e o jogo em Passo Fundo terminou num tranquilo zero a zero. Enquanto isso, na FERVENTE São Léo, ficou claro que parar os CAPILÉS esse ano, se não for como fizeram os bad boys do Clube Atlético de Carazinho, é quase como segurar uma TROPA com um laço só. No final, Aimoré dois a zero e a eliminação depois de ter ficado todas as rodadas anteriores na ZONA de classificação.

Fica a tristeza por não poder ver mais em campo a valente dupla de zaga formada por VACA (Cleiton) e PATROLA (Natan), e também por não poder mais saborear durante os jogos os fleischpastete, servidos pelas simpáticas FRIDAS da copa.

O time base do técnico ÉVERTON LUIZ durante a competição contou com SAMUEL, DIOGO, CLEITON, NATAN, GUILHERME, LUAN, GELSON, DENER, MIKAEL, PITOCO e CROUCH. Também participaram da campanha: MATEUS, PIRES, MAIKE, BELOIR, MAICON, DAYGON, ISAC, DIDU, CLEITON, MAICON FIRMINO e RODRIGO.

A foto é do site do clube.

Com a colaboração de Fernanda Lanz e Fabiel C. Port.

Infelizmente fora do mata-mata, mas contando os dias pra OKTOBERFEST,

Mateus Dal Castel Trevizani

Publicado em Igrejinha, Segunda Divisão 2012, Terceirona com as tags , , , , , , . ligação permanente.

8 Respostas a Uma Gurizada Buena

  1. “…e também por não poder mais saborear durante os jogos os fleischpastete, servidos pelas simpáticas FRIDAS da copa.”

    E depois querem me convencer que só há vida em arenas, com seus habibs da vida.

  2. Balejos diz:

    #1
    Quando meus olhos alcançaram a parte citada e mais essa:

    “… na FERVENTE São Léo, ficou claro que parar os CAPILÉS esse ano, se não for como fizeram os bad boys do Clube Atlético de Carazinho, é quase como segurar uma TROPA com um laço só”.

    Parei para refletir.
    Bonita estreia do igrejinhense.

  3. Maurício Klaser diz:

    Parei no LA ALEMONERA

    Tchau

  4. Natan Dalprá Rodrigues diz:

    Aliás, o pastel servido em Igrejinha é fora de série. Estive lá esse ano e dou meu AVAL gastronômico ao Alberto Carlos Schwingel.

  5. Merece uma excursão cancheira nossa na próxima copa “nome do próximo falecido – ou quase – habilitado”.

  6. Natan Dalprá Rodrigues diz:

    Franco, vale mesmo a pena ir até essa cancha. Ainda tem o charme de ser um campo INVERTIDO e ter um edifício com um elevador panorâmico verde em uma das MARGENS.

  7. Mateus Dal Castel Trevizani diz:

    E o parque da Oktoberfest é a menos de cem metros da cancha…uma pena mesmo não ter se classificado pra jogar esse final de semana…

  8. Brauner diz:

    Fui a muitas Oktober em Igrejinha no final dos anos 90. Saia de Porto Alegre de tardezinha e volta no outro dia de manhã, pegando o Citral para voltar bem defronte a La Alemonera.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *