Verás que um filho teu não foge à luta

No jogo de ida, a tribo Xavante – devidamente SERVIDA pela copa local – expulsou o Leão da Montanha, na capital. Como previsto, o Cruzeiro-POA veio em busca de vingança no estádio Bento Freitas.

A partida iria começar às cinco horas da tarde. O sol estava castigando. A sombra, rara por estas bandas, estava sendo trocada por um radinho de pilha. O picolé feito com água e corante era vendido a TRÊS PILA. E ninguém reclamava enquanto sujava o BEIÇO com aquele produto gelado de origem desconhecida.

O Brasil, time da casa, a princípio teria o desfalque do zagueiro Cirilo, autor do gol da vitória na partida realizada no Estrelão, dias atrás. A razão: a morte do pai às vésperas do jogo decisivo. No entanto, o jogador formado na base Xavante decidiu concentrar e ir a campo. No minuto de silêncio, foi ovacionado por cerca de cinco mil rubro-negros presentes na Baixada.

O jogo, em si, foi bem fraco. Poucas chances para ambos os lados. O melhor lance da partida foi a defesa SENSACIONAL do goleiro Fábio, após cabeçada de Fabiano Eller. O Xavante investia em escanteios, mas pouco produzia. O Cruzeiro, por outro lado, não conseguia atacar. A sólida defesa Xavante impedia qualquer tentativa, principalmente com Cirilo. Jogando com o coração na ponta da chuteira, não mostrou timidez ao distribuir BICOS na pelota.

O primeiro tempo terminou como começou. Bom ao Brasil, que possuía a vantagem do empate.

No intervalo, por sua vez, o inusitado acontece. O Brasil, com o intuito de atrair mais público, promoveu o sorteio de uma moto e de um CAVALO CRIOULO. Pois então, minha irmã foi contemplada com o animal. Prevejo o Monza TUBARÃO cedendo lugar ao CAVALO. É o nosso meio de transporte evoluindo ao sair da água rumo à terra firme. Lindo.

O Cruzeiro voltou para o segundo tempo com mais ímpeto, mas não resultou em grandes lances. A indiada rubro-negra controlava bem a partida e não se arriscava. O regulamente estava embaixo do braço e o tempo passava depressa. Seguindo a doutrina do mestre Miyagi, o Xavante exercitou a paciência.

Com o final da partida cada vez mais próximo, a torcida do Brasil decidiu fazer festa e comemorar a classificação numa copa de enorme importância ao anseio Xavante de garantir novamente o calendário nacional. Com o apito final, os jogadores carregaram nos ombros o zagueiro Cirilo que não fugiu à luta mesmo quando podia (e até devia, na minha opinião). Novamente, o jogador foi ovacionado.

Ainda não há adversário confirmado para as quartas de final da copinha. Há rumores de que pode ser o clássico Bra-Pel. Apesar de arriscado um jogo desses agora, é bom para a cidade e temos muitos (mas muitos mesmo) motivos para querer jogá-lo.

FICHA

Brasil: Luiz Muller; Wender, Cirilo, Fabiano Eller e Edu Silva; Leandro Leite, Washington, Moisés e Marcos Paraná (Alexandre); Alex Amado (Anderson Ataíde) e Marcos Denner (Márcio Jonathan). Técnico: Rogério Zimmermann.

Cruzeiro: Fábio; Cláudio (Maxwall), Rogério e Léo Carioca; Alex, Reinaldo (Adilson), Helton, Bruno (David) e Faísca; Paulo Sérgio e Welder. Técnico: Beto Campos.

Cartões amarelos: Wender, Edu Silva, Leandro Leite e Marcos Paraná (Brasil); Cláudio e Reinaldo (Cruzeiro).

Arbitragem: Leandro José Alflem, auxiliado por José Javel Silveira e Júlio Cesar Espinosa de Freitas.

“Direto do estádio que estremeceu Zico”,

Pedro Henrique Costa Krüger

Publicado em Brasil de Pelotas, Copa RS 2012, Cruzeiro com as tags , , , , , , . ligação permanente.

5 Respostas a Verás que um filho teu não foge à luta

  1. Como é que o DETALHE FAMILIAR do sorteio do intervalo passou batido no boletim pro
    Toda Cancha no rádio, Pedrinho? NÃO PODE ISSO! uhueahaeuh

  2. Brauner diz:

    O bom é que dá para deixar o cavalo amarradinho às margens do arroio Pepino e ficar cuidando lá da arquibancada!

  3. pedrohckruger diz:

    #1

    hahahaha!

    Eu ia colocar, Franco, mas preciso ver como será a entrega do prêmio para fazer um comentário completo.

  4. Natan Dalprá Rodrigues diz:

    “No intervalo, por sua vez, o inusitado acontece. O Brasil, com o intuito de atrair mais público, promoveu o sorteio de uma moto e de um CAVALO CRIOULO. Pois então, minha irmã foi contemplada com o animal. Prevejo o Monza TUBARÃO cedendo lugar ao CAVALO. É o nosso meio de transporte evoluindo ao sair da água rumo à terra firme. Lindo”

    MORRI

  5. Daroit diz:

    PORRA, MANO, e a gente ia pedir ao vivo pro ganhador aparecer. exijo cobertura COMPLETA do caso cavalo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *