Lição de casa cumprida

Não foi o placar que muitos jaconeros desejavam. Apesar de magro, o 1×0 diante do até então invicto Internacional nos dá a vantagem de jogar por um empate na segunda parte dos 180 minutos que decidem um dos finalistas da Copa RS.

Na tarde de clima típico de primavera, em que ora aparecia o sol, ora dava indícios de chuva, devido ao céu aglomerado por nuvens, o alviverde atingiu a marca de 34 jogos consecutivos sem perder no Alfredo Jaconi. Entrando em campo com o tradicional uniforme verde e branco, a equipe de Lisca – que recebera dias antes do jogo UM dos TRÊS meses de salários atrasados – veio sem surpresa na escalação, tendo por necessidade a única alteração na zaga, com Diogo, lesionado, dando lugar ao jovem Bressan.

O público, que passou longe dos 4.500 torcedores esperados, voltou a vivenciar ares de clássico. Apesar de um lado estar a equipe considerada B dos vermelhos, as camisas de Juventude e Internacional respondiam por si só e, como esperado, a partida foi acirrada do início ao fim. Enfrentando uma forte marcação, o Juve ditou o ritmo do jogo nos 45 minutos iniciais. O problema era encontrado na tentativa de infiltrar o paredão colorado, o qual possuía estatura de time europeu.

Assim, a saída era atacar pelos dois lados. Rodando a bola, as jogadas aconteciam tanto pela ala direita, com o meia e camisa 10 Diogo Oliveira, como pela esquerda, com Alex Telles e Alan. Não é de hoje que vem dando certo a dupla Alex/Alan.  Uma vez mais envolveram a zaga adversária, cavando faltas e realizando jogadas de linha de fundo. Entretanto, quem apareceu mesmo foi – indubitavelmente – Diogo Oliveira, o qual após estar APAGADO até o início da Copa FGF, segue num crescente futebol que o colocou aqui na Serra, sendo destaque do VEC. Assumindo literalmente o posto de número 10, Diogo criou inúmeras chances de gol, com uma inclusive resultando em bola na trave numa conclusão de Alan.

Porém, o meia queria MAIS. Após falta batida por Alex Telles, ele apenas raspou com a cabeça para desviar do excelente goleiro Agenor. O gol merecido fez ecoar pelo Jaconi o som alto e já tradicional pós-gol: JU-VEN-TU-DE!

O intervalo foi comandado pela gurizada, que ao som do samba-enredo da Mancha Verde pro CARNAVAL 2013, batia bola no gramado do Jaconi.

Na volta para a etapa final, Lisca optou por não mexer na equipe titular. Sem grandes emoções, as chances de gol para ambos os lados foram quase nulas. O alviverde caiu muito de produção, parecendo contente com o 1×0. Por outro lado, o colorado não mostrava poder de fogo, não conseguindo assustar a zaga esmeraldina.

As poucas chegadas vinham com ele, Diogo Oliveira, que tentava encontrar Zulu. Aliás, o Z9, apesar de ter saído em branco, realizou uma ótima exibição, fazendo com EXCELÊNCIA o papel de pivô. O principal lance ocorreu com participação do artilheiro esmeraldino, que após contra-ataque puxado por Nem – que substituiu  Alan – tocou para o ZORRO, que deixou cara a cara Diogo Oliveira com Agenor.  Porém, o meia bateu fraquinho, para a fácil defesa do goleiro colorado.

O comandante jaconero ainda colocou em campo Francisco Alex e Rodrigo Dantas, para saídas de Douglas – ontem APAGADÍSSIMO – e Jardel. A baixa da partida fica por conta do meia Alan, que já vinha sofrendo fortes pancadas, e acabou lesionando a clavícula direita, sendo desfalque para o restante do ano. O abatimento e a dor do atleta ficam claros na foto abaixo.

A perda certamente é grande, já que Alan vinha tendo sua melhor fase desde que subiu aos profissionais. Com o resultado, fica aberta a possibilidade de avançarmos com até um empate no jogo de volta. Vencemos a batalha, porém a conquista da guerra fica para o próximo domingo, na Morada dos Quero-queros, em Alvorada, na grande Porto Alegre.

Feita a lição de casa, o trabalho ainda é árduo, mas é assim que deve ser, para que possamos deixar o Esporte Clube Juventude em seu centenário com um pouco mais de dignidade.

(com fotos da Folha de Caxias, Pioneiro, arquivo pessoal e Rádio Caxias)

Estreando com o pé direito entre os cancheiros,

Pedro Torres

Publicado em Copa FGF 2012, Copa RS 2012, Juventude, Resumo da rodada com as tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

7 Respostas a Lição de casa cumprida

  1. Franco Garibaldi diz:

    Bela estreia, Pedrinho! E que o teu PÉ QUENTE siga assim pelos – oremos – 3 jogos que restam no ano (mas fecho por seguir assim no próximo domingo, depois – sendo o caso – REPACTUAMOS pra final).

    Bem-vindo à CANCHA, garoto!

  2. Giaretta diz:

    Diogo Oliveira já tinha destroçado o Ypiranga no Colosso da Lagoa.

    Joga muito!

  3. Natan Dalprá Rodrigues diz:

    Ótimo texto velho!

    Bem-vindo ao nossos QUADROS! hehe

  4. José Luiz diz:

    Grande evolução de Diogo mesmo, até então não tinha mostrado há que veio, já hoje é fundamental na meia cancha.

  5. Pedro Torres diz:

    Valeu gurizada!
    Excelente estreiar em um blog como o Toda Cancha. Que seja o primeiro de muitos…
    Vamo que vamo!

  6. pedrohckruger diz:

    Bem-vindo, xará! :D

  7. Vicente diz:

    Pra verem a caravana da miséria que virou o futebol do interior: o inter b só foi perder a invencibilidade nas semifinais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *