Quando o destino ajuda mais que a própria FGF

Deve impressionar pra quem é de fora (ao menos do mundo do futebol do interior ao qual pertencemos) essa doentia COMPULSÃO da entidade capitaneada por Chico “aquela loja de discos vazia que não falamos o nome” Noveletto em avacalhar com as próprias competições. Não satisfeita em transformar todos seus torneios – exceção feita ao televisionado COSTELÃO – em campeonatos fantasma, faz o que pode para afugentar os raros torcedores dos estádios.

Como bem colocou El Viejo Balejos durante o Toda Cancha no rádio da última segunda-feira, tudo fora o Campeonato Estadual da 1ª Divisão é tratado como se fosse uma mera competição de juvenis (e não que concordemos que a gurizada mereça tal tratamento). O caso mais simbólico até então aconteceu na semana passada, quando a FGF transferiu, do nada e com motivos aparente precários, o jogo de volta entre Juventude e o time aspirante do Inter, válido pela semifinal da Copa Hélio Dourado. Com uma só canetada, o que era pra ser “Domingo, 18/12, às 17 horas, em Alvorada” virou “Segunda, 19/12, às 20h15min, no Passo D’Areia”.

Um jogo que, por si só, atrairia apenas a torcida do Juventude e cuja data favorecia o deslocamento de sua torcida, especialmente a que viria da serra gaúcha, passava para um dia morto, num horário problemático até para quem mora na capital. E, para piorar, justo na primeira e (graças ao bom Pai) única quadra de SHOWBOL da primeira divisão. Por sorte e apesar do meu tradicional otimismo às avessas, o Juventude confirmou a classificação contra os comandados de Osmar LOST (aqui um sorriso interior irônico diante das últimas notícias…) aplicando 2 a 0, com gols de Zulu e Fabrício, que ficou barato a exemplo do que já havia ocorrido no jogo de ida no Jaconi.

Segundo informações de nosso HOMEM-BOMBA Guilherme Daroit, que se fez presente na quadra sintética onde realizada a partida válida pela – agora mais do que nunca – Copa HD (Sport Center*), apesar da pressão do Papo logo no começo da partida e das chances perdidas, o placar fez jus ao visitante, inclusive pela inoperância e pouca VOIA da gurizada colorada, talvez impregnada pela malemolência demonstrada pelo time de cima na temporada. Para COROAR a noite, a cancha com grama que cavalo não come teve problemas com a iluminação, que caiu por duas vezes por causa da chuva durante o segundo tempo, obrigando o árbitro a acabar com a palhaçada assim que completados 30 minutos da segunda etapa. Mudar tudo pra ISSO, Chico? Sério?

Agora vem a final desejada e/ou esperada por todos que acreditam em algum futuro pro futebol do interior (nem que esse futuro seja apenas celebrar o presente enquanto possível): Xavantes e Papos brigarão com foice no escuro pela taça, embora o foco realmente esteja na MEIA vaga, destinada ao campeão, para a Série D 2013. Primeiro jogo no Alfredo Jaconi e finalíssima no Bento Freitas. Tudo nos conformes? Quase, amigos, quase…

Ah, a FGF, sempre ela… Quem disse que a ENTIDADE-MÃE se daria por satisfeita com esta final? Com a desculpa da transmissão pela TV Com (que sequer sabemos se jogará algumas moedas para os finalistas), socou o primeiro jogo da final nesta próxima quinta-feira, às 19 horas, em Caxias, com o jogo de volta, em Pelotas, marcado para o domingo (25/11), no mesmo horário. Se não for represália à carta aberta do Juventude (respondida pela FGF), deve ser decorrência de alguma lógica extremamente complexa, que foge de minha compreensão, espremer justamente a FINAL de uma competição dessa forma enquanto todos os mata-matas anteriores foram espaçados por uma semana e ambos os jogos em finais de semana, o que favorece o torcedor que vai a camp… desculpem, por um momento esqueci que o torcedor, esse DETALHE do futebol atual, é componente completamente DESCARTÁVEL nessa equação novelettiana.  Ah, lembrei agora o motivo dessa final a toque de caixa: a federação está mais preocupada com os campeonatos nacionais sub-17 e sub-20, mais conhecidos como “espeto corrido de jovens promessas para empresários“, do que com sua própria competição.

Dentro de campo, enquanto a indiada rubro-negra virá BABANDO, o Juventude, que apesar embalado por eliminar as duas melhores campanhas da competição (Inter e Ypiranga), deveria estar focado apenas na final, se vê em meio à crise que faz os salários seguirem atrasados, o que causa a preocupação da boleirada não só com o final de ano, mas com 13º, férias e até com o Gauchão que está logo aí. Não sei até quando essa bomba-relógio seguirá intacta. Mas se não explodiu até aqui, que siga assim por mais dois jogos ao menos…

(com fotos do site do Juventude e do Pioneiro.com)

Torcendo por bons e disputados jogos, mas acima de tudo pela taça e pelo que pode representar a esperança em 2013 para o time que veste verde,

Franco Garibaldi (@francogaribaldi)

* cobraremos devidamente o merchan no bar da ImpedCopa, donos da HD!

Publicado em Brasil de Pelotas, Clubes Gaúchos, Copa FGF 2012, Copa RS 2012, Juventude com as tags , , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

4 Respostas a Quando o destino ajuda mais que a própria FGF

  1. felipe diz:

    Olha, o juventude que abra o olho com esses salários atrasados, pois podemos até ganhar essa copinha, mas ano que vem no gauchão com o mesmo elenco e salário atrasado, e como sabemos que money é o ópio da boleirada, se preparem para um gauchão muito modesto.

  2. Pedro Torres diz:

    Concordo com o Felipe e, consequentemente, discordo de Lisca, o qual teria dito que caso ganhe a Copeta, optaria pela vaga na Copa do Brasil 2013, já que para ele o grupo tem totais condições de ser o Campeão do Interior.
    Se não vier a meia-vaga agora, o centenário alviverde já irá começar agoniante…

  3. Lisca é bom treinador, embora prove a cada dia que ou é louco ou curte substâncias psicotrópicas pra afirmar essa barbaridade…

  4. Pedro Torres diz:

    Sem dúvida, Franco. Quanto a esse quesito, ele prova a a cada dia ser um baita treinador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *