O Lajeadense (até que enfim) voltou

Depois de DILACERAR nossas almas ao fechar as portas em pleno mês de ABRIL, o futebol profissional finalmente REGRESSA ao dia-a-dia do Clube Esportivo Lajeadense. Na última terça-feira, 20, foi dada a largada para a pré-temporada dos celestes do Taquari, visando, obviamente, o Gauchão de 2013, com a apresentação da comissão técnica e dos jogadores contratados no Estádio Alviazul. Apos longos e tenebrosos meses, podemos enfim voltar à vida.

EL AZULÓN dá a largada para a sua terceira participação consecutiva na elite do futebol gaúcho com uma LEVA de jogadores estreantes. É a primeira vez em Lajeado para quase todos os sexagenários apresentados a imprensa: o goleiro Eduardo Martini, os laterais Márcio Gabriel (ex-Coritiba), Márcio Goiano (ex-Santa Cruz) e Cássio Lopes (ex-uma penca de clubes), o zagueiro/lateral Mineiro (ex-Inter), os volantes Ramon Monteiro (ex-Remo) e Reinaldo (ex-Bragantino), os meias Maico Gaúcho e Rennan Oliveira (que estava no Catar), e os atacantes Josimar (que estava no Japão) e Rafael Aidar (ex-Juventude). Eles se juntam aos zagueiros Micael e Gabriel, aos volantes Rudiero e Tales e ao atacante Jandson, que retornam da última ESQUADRA montada em Lajeado, e ao bom filho (que à casa torna) Maycon Bamberg, atacante destaque alviazul da Segundona 2010 que havia deixado o clube rumo às ARÁBIAS após um Gauchão 2011 em que passou lesionado praticamente o tempo todo. Garotos que se destacaram na base, como o zagueiro Laércio, o meia Fernando Urnau e provavelmente o atacante Lucas Pinna, filho do ETERNO ALVIAZUL Vandeco, também ganharão, finalmente, suas primeiras chances no time de cima, e completarão o elenco. Já o lateral Celsinho, emprestado ao Bangu, e o meia Bruninho, que esteve emprestado à Ponte Preta durante o Brasileirão e, obviamente, acabou dispensado de lá, aparentemente não retornarão à capital mundial do refrigerante de guaraná, seguindo suas vidas novamente por empréstimo a outros clubes.

Essa trupe, com sua média de idade de aproximadamente 540 ANOS, será comandada por Flávio Campos, que já está no Vale do Taquari há alguns dias. O eterno capitão do Juventude que, aliás, conta com o MITO Mário Tilico como seu auxiliar, assumiu a bronca deixada por Picoli que, depois de ser anunciado, desistiu do clube para assumir o Caxias na Série C. Depois de alguma ESPECULAÇÃO à espera de algum município que bancasse a pré-temporada do clube, que em 2011, por exemplo, foi realizada na quase vizinha Teutônia, o calendário correu e a preparação será realizada mesmo no Estádio Alviazul.

Oficialmente, o grupo ainda não está fechado. Espera-se ainda a assinatura de um goleiro e, quem sabe, um volante e um meia, que completariam o esquadrão. O meia Ricardo Maria, lajeadense que se formou na base do Grêmio e o atacante Jean, formado no próprio Lajeadense, além de um tal de Souza que não consegui descobrir de quem se trata, treinarão com o elenco e, caso se destaquem, podem vestir EL MANTO FRUKEÑO no verão. Mesmo em construção, já é possível notar alguns movimentos do futebol celeste pra 2013. O primeiro deles, como já citado, é a escolha por um time de atletas RODADOS, diferentemente da predileção por BEZERROS que vinha sendo posta em prática desde a reabertura do Lajeadense, em 2009, e que foi a grande responsável pelo acesso à elite um ano depois. A medida, até onde se sabe, faz parte da busca por alternativas à falta de liderança dentro de campo, apontada como VILÃ da campanha meia-boca construída pelo clube no último COSTELÃO – avaliação justa, se não esquecessem também dos fato de não termos tido nenhum meia ou atacante de velocidade que prestasse e jogarmos em um estádio terrível para a torcida. Resta torcer para que as filas da Previdência Social não acabem com as PERNAS dos mesmos para a maratona de partidas do torneio.

Outro movimento, esse mais passível de QUESTIONAMENTOS (embora inexplicavelmente em nenhum momento o seja por parte da imprensa da cidade), é a quase onipresença da PECBOL SPORTS na montagem do elenco. Apenas entre os atletas já anunciados, a FIRMA do empresário Ricardo Mello, parceiro do clube há já um par de anos, agencia Martini, Márcio Gabriel, Micael, Gabriel, Laércio, Tales, Reinaldo, Rennan, Jandson e Josimar, ou seja, mais da METADE do grupo. É inegável que a parceria ajudou o clube. Mello, até onde lembro, já intermediou transações de jogadores, como o zagueiro Cris Beato e o pior atacante vivo Lucas Precheski (além das frustradas do goleiro-Deus Fernando Miguel e do lateral Bindé), pra Portugal; intermediou a completa SANDICE, que depois se mostrou viável, que é o intercâmbio promovido pelo Lajeadense com a cidade mineira de Pedro Leopoldo, disputando Taças BH e até o Campeonato Mineiro de Juniores (no qual está atualmente nas SEMIFINAIS); sem contar, obviamente, as facilitadas contratações bem-sucedidas de seus agenciados, como MICAEL LAGOA AZUL, em momentos em que o Lajeadense definitivamente não brincava de Tio Patinhas.

Esse ano, porém, a coisa aparentemente saiu de controle. Conhecendo as figuras envolvidas, certamente não houve má-fé nessa brincadeira – é provável que o número tenha se expandido pela simples comodidade e facilidade de fazer negócio com alguém que já é amigo e parte ativa do dia-a-dia do clube, além das sempre dificuldades financeiras (o Lajeadense não recebeu até hoje UM CENTAVO do maldito banco laranja) que sempre emperram contratações mais AUDACIOSAS – mas ninguém com sangue nas veias pode achar que tamanha dependência seja SAUDÁVEL. Em um processo viciado como esse, teme-se pelo que acontecerá caso ocorra alguma quebra na parceria, algo que sempre pode ocorrer, levando do clube basicamente todos os seus jogadores, seus valores da base e tornando ainda mais árduo o processo de prospecção de novos jogadores sem essas FACILIDADES. Caso imagine-se que a solução então seja nunca romper o vínculo, a situação só piora, pois o caminho é nos tornarmos um AUDAX da Classe C. Em resumo, é relativamente bom, talvez até necessário no momento, mas não pode ser INSTITUCIONALIZADO. Mais uns dois passos à frente na parceria e estaremos fadados ao CAOS, independente da grandeza de caráter que, aparentemente, é encontrada no empresário.

Confesso que, até a apresentação oficial do elenco e o anúncio da volta de EL DIABLO MAYCON, me encontrava todo BORRADO temendo pelo pior com a montagem deste grupo ainda sem empatia alguma entre si, com o clube e até mesmo com o próprio campeonato. Desde então, porém, com algumas entrevistas concedidas por Martini e principalmente Cássio Lopes, em que se mostraram dignos de um cérebro e muito superiores em ARTICULAÇÃO a algumas LÊNDEAS que geralmente cruzam nossos caminhos no futebol (e, na verdade, até a nós mesmos, talvez) começo a ficar, aos poucos, ESPERANÇOSO. Excetuando-se alguma bizarrice que aconteça daqui pra frente, estamos  livres de BOLEIROS PELADEIROS JOGA10 FERAHHH, este câncer do futebol, e apostando nossas poucas fichas em atletas capazes de perceberem que não são os maiores gênios do esporte mundial e que, portanto, terão de MEXER AS SUAS BUNDAS para que façamos algo no certame. Em outros tempos, eu chamaria isso de SONHO.

Mesmo que nada dê certo e nos FERREMOS lindamente em todas as contratações feitas, garimpando uma das três vagas reservadas ao Santa Cruz (brincadeira) (nem tanto) uma espinha dorsal formada por Micael-Rudiero-Maycon sempre renderá, ao mínimo, DIGNIDADE e vontade de seguir nessa estúpida vida de torcedor do Lajeadense, algo que todos pensamos em jogar pro alto após a infeliz decisão em relação ao segundo semestre. Tivéssemos ainda Fernando Miguel, Alexandre Bindé e Maurinho, seríamos candidatos dignos a um TÍTULO INVICTO. Como não temos, esperamos ao menos uma honrosa classificação ao mata-mata.

O RETRATO é obra de José Roberto Gasparotto.

Finalmente podendo respirar,
Guilherme Daroit

Publicado em Gauchão 2013, Lajeadense com as tags , , , , , , , , , . ligação permanente.

4 Respostas a O Lajeadense (até que enfim) voltou

  1. Everton diz:

    Hahaha…e para nossa alegria,será que teremos enfim o refrigerante da BR 386 como patrocinador “master” no manto alviazul ?

  2. Putz, a BMG também sacaneou os Fruki Boys? Em Caxias, pelo que se lê e ouve, não é diferente. Entra alguma coisa, mas bem menos do que alardeado quando da “parceria”.
    E o Maycon… lembro dele na finaleira das participações do Ju na série A nacional, em especial 2007, quando voltei pra Caxias. Na época, achava ele, mesmo jovem, muito perdedor de gols. Hoje vejo que talvez a exigência do meio em que se encontrava era demais. Na realidade de hoje do Ju (embora nem possa reclamar da turma da frente), não sei se não seria interessante.

  3. Gustavo diz:

    pelo menos Micael, Gabriel e Maycon estão de volta. Já o Jandson… continuo na espera, mas sem tanta esperança (?). ; ]

    Mas na real, o que mais me preocupa nem é o time, que no final eu tbm acabei gostando. Dá até vontade de vestir a camisa de novo! O que me preocupa mesmo é a nossa casa, que ficou no Florestal.

  4. daroit diz:

    #1

    pois é, pela BOATARIA parece que o véio eggers resolveu abrir a mão pela primeira vez na vida. seria AFUDEZAÇO.

    #3

    Sagu, meu querido, não podia ser mais certeiro. Alguém devolva nossa alma :~~

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *