“Bicampeão!” com orgulho – e, aos poucos, humildade

Foi difícil buscar na memória os FLASHES do que aconteceu ontem no Bento Freitas. Impossibilitado de me fazer presente nos dois jogos da final por uma decisão conjunta ESTÚPIDA da federação e da detentora dos direitos (ainda quero saber se os clubes levaram algum pila nessa) que marcou as finais para uma QUINTA e um domingo, assim, nas coxas e no toque de caixa, só me restou beber o dia inteiro em busca de algum artifício que me deixasse mais próximo do palco da decisão. 

O dia da finalíssima da Copa Hélio Dourado estava até tranquilo. Pela manhã, a virada obtida no primeiro jogo no Jaconi me dava a certeza de que era bem possível a conquista da taça. Porém, à medida que a tarde ia passando, o receio de que um mísero gol xavante poderia jogar tudo por terra começou a me angustiar. Afinal de contas, estavam em jogo o bicampeonato da copa e a vaga (MEIA vaga o cacete, FGF… pra mim, vale o que tá no regulamento) pra Série D em 2013.

No caminho até a casa do dindo das minhas crias, lugar que me possibilitaria assistir à partida, lia no twitter que o ônibus da delegação do Juventude era apedrejado pela torcida local – fato este que deve surpreender a mídia tradicional que invariavelmente só registra o lado positivo do que é feito pelos torcedores xavantes. Menos mal que nada aconteceu com os viajantes, que certamente deveriam estar mais preocupados com a papada que teria que acompanhar o jogo pela TVCom e seu show de DESINFORMAÇÃO e preconceito por insuportáveis 90 minutos.

Na real, não sei o que foi mais TENSO durante a partida: aguentar o Maurício Saraiva comentando (calma, Franco, poderia ser o Nando Gross…) ou a ineficiência ofensiva da meia-cancha alviverde. A mudança de esquema de Lisca para o 3-5-2, com a saída da LESMA Francisco Alex para a entrada do zagueiro Juliano, que por um lado reforçou a defesa para conter a tática adversária do CHUVEIRO NA ÁREA Y ME VOY, acabou isolando o setor defensivo dos atacantes papos.

Os dois tempos de jogo me pareceram bastante iguais, seguindo o roteiro “jogo modorrento/início de pressão xavante/estocadas jaconeras/vamo que vamo do time da casa nos minutos finais”. Não que isso tenha evitado de deixar a papada com o cu na mão em alguns momentos. Na primeira etapa, no gol corretamente anulado por impedimento por Leandro Leite, digo, Vuaden (o Leite, capitão do Brasil, bem que tentou apitar o jogo, mas não rolou), até ver o replay do lance tinha ficado na dúvida, mas a câmera lenta confirmou que o último toque na bola antes da conclusão tinha sido mesmo do xavante Márcio Jonathan.

No segundo tempo, após o ENTREVERO do intervalo entre os dois bancos de reserva, onde sobraram chutes e cusparadas (vejam só, não é exclusividade do futebol caxiense como alguns querem fazer parecer…), duas faltas na meia lua da grande área do Ju quase me matam. Já passava dos 40 e Vuaden queria jogo até os 49. “Para nossa alegria” (ns), ambas passaram perto mas foram pra fora do gol defendido por Fernando, vice em 2011 com o Lajeadense e disposto a escrever sua história no Jaconi com a taça nas mãos.

Fim de jogo, locomotiva alviverde fumegando no gramado comandada pelo REI ZULU, taça no alto, choro, festa, desabafos, RADINHO jogado na nuca de Lisca e mais confusão, o que obrigou a celebração a seguir no vestiário da Baixada. Pra não passar batido e só falar da parte negativa da torcida da casa (embora seja necessário, para não parecer que a beleza da festa justifique tudo), bonita demonstração de reconhecimento ao seu time, que lutou o tempo todo, se entregando para compensar a qualidade que faltou.

A conquista da Copa Hélio Dourado (não consigo tirar da cabeça que alguém na FGF pensava que o velhinho já tivesse morrido, uma vez que a taça sempre leva o nome de alguém já falecido) faz jus a um grupo de jogadores que, se não é o time sonhado pela papada, ao menos mostrou hombridade e CARÁTER. Especialmente neste final de ano. Mesmo protestando até com paralisação contra o atraso de salários, em momento algum o grupo se jogou nas cordas, se entregou. E isso é o que, no final das contas, mais importa ao torcedor que quer se ver em campo através dos boleiros.

Jogadores como Alex Telles, que devia ser observado por onde passasse no Alfredo Jaconi, por colegas boleiros e funcionários do clube, como o SACO DE DINHEIRO salvador do ano, e que mesmo assim jamais se escondeu ou se omitiu, sempre sendo destaque nas partidas e fundamental para a conquista. E que ontem, fazendo seu último jogo com a camisa do Juventude, se emocionou por poder marcar assim a passagem pelo clube que o formou e projetou.

Além dele, Zulu. Ele, o centroavante pouco valorizado por grande parte da torcida até 2011, mas que se mostrou fundamental para o time, ajudando tanto no ataque como na defesa, com o time sentindo muito sua ausência, especialmente durante o COSTELÃO 2012, quando era destaque e teve dura lesão no tornozelo. O capitão Rafael Pereira, jogador que manteve uma regularidade impressionante durante a temporada inteira, com o treinador que fosse, na posição que o escalassem, sempre firme e sereno. O que dizer do goleiro Fernando, que assumiu as traves após a desclassificação da Série D deste ano e, claramente emocionado ao final da partida, prometia a classificação pra Terceirona nacional em 2014 “NEM QUE SEJA NO GRITO”?

E a gurizada formada na base? Bressan, Ramiro, Fabrício – além do próprio Alex Telles – que não tremeram uma vez sequer em dois batismos de fogo no Bento Freitas ao longo do ano, fora as demais decisões. Conforme declarou Lisca, ontem eram OITO guris formados no Jaconi na delegação, incluindo Maurício, que acabou fazendo o gol do título ainda no jogo de ida.

Lisca merece um parágrafo à parte também. Eu, que GELEI ao ver seu nome anunciado em meio ao naufrágio da primeira fase da série D, tenho que tirar o chapéu. Mesmo assustado com a DEMÊNCIA com que ele dirige sua equipe, passando ao mais desavisado a impressão de que tem algo mais ali naquelas veias de tão ALOPRADO que se porta na casamata, foi muito por ele que essa esticada de corda no grupo levou o Juventude a conseguir ao menos projetar um 2013 que se desenhava ainda mais tenso que os anos anteriores, como se isso fosse possível.

Mas para mim, o MAIOR troféu que o Juventude poderia ter conquistado ontem ele recém começou a ganhar: a CONSCIÊNCIA de seu torcedor. E digo isso por mim mesmo, mesmo já me considerando bastante pé no chão em relação ao clube. Na conquista de 2011, sobre o Lajeadense, eu ainda via a conquista da copinha como mera obrigação, revelando o resquício dos anos que passaram e deixaram a papada com uma noção equivocada da realidade.

Entretanto, ontem eu pude perceber que dessa vez a taça foi comemorada efetivamente como um título, com VIBRAÇÃO, com alegria. E isso é o maior prêmio que o clube pode ganhar, pois só com HUMILDADE é que o Juventude poderá um dia tentar a voltar dias muito melhores do que os vividos hoje (e espero que o gurizinho faceiro da foto, meu filhote, já possa acompanhar essa reconstrução – afinal, ter pouco mais de um aninho e já ser bicampeão DEVE ser um bom sinal!).

(com fotos do Diário da Manhã, Pioneiro e do amigo xavante Pedro Henrique Costa Krüger)

Berrando “BICAMPEÃO!” para quem quiser ouvir e tendo MUITO orgulho disso,

Franco Garibaldi – @francogaribaldi

Publicado em Brasil de Pelotas, clássicos, Clubes Gaúchos, Copa FGF 2012, Copa RS 2012, Juventude com as tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

44 Respostas a “Bicampeão!” com orgulho – e, aos poucos, humildade

  1. Claudio diz:

    Mais um excelente texto Franco, parabéns.
    Assino embaixo do que tu escreveu, principalmente em relação ao Lisca e a humildade.
    Eu também tive arrepios quando vi o nome do Lisca anunciado em meados da série D, chegando a pensar “agora sim a vaca vai pro brejo”. Mas é bom queimar a língua de vez em quando.
    Quanto a humildade, é fundamental pra quem se reerguer. O Juventude caiu muitas vezes da própria arrogância, como na série B, aquele time treinado por Zetti que dizia “uma vaga na série A é do Corinthians e a outra do Juventude”. Ou pior, o time de Ivo Wortmann, que chegou no ano seguinte com o discurso de “o Juventude vai brigar pra subir, pois lá é seu lugar” e acabou caindo.
    Eu vejo hoje que, se tivéssemos ficados bem quietinhos na série B, tentando montar um time bom pra se manter e quem sabe beliscar uma vaga pra subir num ano desses, não estaríamos tão no fundo do poço. Claro que meu desejo na época era subir a todo custo, como todo Juventudista, mas aquele subir a todo custo saiu muito mais caro do que podíamos pagar e dai foi ladeira abaixo.
    Cheguei a cogitar que, talvez um centenário sem divisão fosse o baque necessário pra retomarmos a humildade necessária pra trilhar um caminho novamente ascendente no futebol nacional. Mas a comemoração do título de ontem me fez pensar que talvez, nós estejamos achando esse caminho nesse bi-campeonato tão comemorado. Que essa lição de humildade não se perca nas festas de fim de ano.
    Parabéns novamente pela coluna e parabéns para nós Juventudistas de fé.

  2. Franco Garibaldi diz:

    #1

    Cláudio, tu que resumiu de forma excelente as razões da derrocada do Ju nos últimos anos. Muita passa pela empáfia e soberba do clube como um todo, especialmente a nossa, seus torcedores. Tô contigo quando fala que deveríamos ter se ligado disso já em 2008, fazendo um ano pra se manter e cair na real. Acabamos engolidos pelo mantra de “série A é o teu lugar” e hoje estamos assim.
    Mas te confesso que me surpreende demais – e positivamente, claro – que aos poucos a ficha da torcida esteja caindo. Me parece ser a única saída para que talvez se consiga levar o Ju não pra série A (que acho inviável para um clube sem apoio na própria cidade), mas ao menos galgar até a B novamente.
    Abraço e parabéns!

  3. Parabéns pelo excelente texto e, que nosso pequeno juventudista Matteo, comemore muitos títulos e quem sabe até dê alguns pro Jú…eheheheheheh!
    Beijão

  4. felipe ornaghi diz:

    Somente a lamentar novamente a idiotice de alguns que acham que o jogo é ganho que nem nos anos 50, a base de pedra e no grito, essa era já passou, futebol se faz em campo e ali mostramos por 2 anos seguidos que o caxias do sul é o centro do interior e dificilmente perderá este posto

  5. Franco Garibaldi diz:

    Sabia que a foto do pitoco renderia um comentário da patroa hoje, ehehehe!

  6. Ricardo Pereira diz:

    Franco, parabéns pela conquista. O teu time foi muito guerreiro, e nesse aspecto vocês estão de parabéns. Que beleza o teu guri com a camisa do Ju, muito bacana isso. A Xavantada ja esta ansiosa, pela Copa do Brasil o ano que vem, esperando também o acesso, para que possamos jogar mais vezes, Brasil e Juventude. É sempre bom esses grandes jogos, para manter acesa a chama do nosso interior. Quanto a transmissão da TV COM, lamentável, é duro ter que aguentar esse pessoal de Porto Alegre, podiam colocar locutores e comentaristas de Caxias ou Pelotas, têm tanta gente competente nas nossas imprensas locais, que falariam a linguagem do interior. Mãs é isso, valeu pela festa, pelo bom nível de fuebol e competição que Brasil e Juventude mostraram, e, como Xavante não se entrega nunca, já estamos prontos para a próxima peleia. Um abraço.

  7. Grená diz:

    Quando sai o DVD?

  8. Diogo Cassina diz:

    Isso aí Franco, belo texto como sempre.
    Achei que fosse ver a famosa Kombi por Pelotas, inclusive quase me escalei para uma carona, mas realmente o horário matou todo mundo… Chegamos em Caxias as 5h da manhã. Imagina a vontade de acordar hoje cedo…
    Grande abraço e parabéns ao campeão, cada vez mais humilde e cancheiro.

  9. #6
    Valeu, Ricardo! É foda… além de avacalharem com datas e horários, ainda botam na transmissão “profissionais” que andam pro interior. Mas não dá nada! Nos encontramos na próxima! Abraço!

    #7
    Grená, o DVD só sai no dia em que o Voges abandonar a barca do Cax… OH WAIT!

    #8
    Fala, Cassina! Pois é, dessa vez a Kombi não saiu do lugar, acho que só um maluco acabou indo, mas pegando carona com os ônibus vindos de Caxias mesmo. Abração e é por aí memso o caminho da volta do Ju!

  10. Natan Dalprá Rodrigues diz:

    O guri tem cara de zagueiro, Franco.

  11. Lisandro andré Ló diz:

    FGF é o cumulo do ridiculo, pois as finais tinham que ter sido em 2 domingos, aí teriamos colocados 15 mil no jaconi, pois sempre tivemos nos ultimos 20 anos as melhores medias de publico do interior, numeros sempre comprovaram isto tanto em gauchão como em brasileiros, mesmo na serie D. E a ´vaga na serie D é nossa nem que seja na justiça.
    Agora espero que nunca mais precisemos disputar titulo da copinha como salvação da lavoura.

  12. #10
    Olha, Natan… tamanho parece que ele vai ter :D Só tomara que ele só puxe do pai isso, mas que jogue mais (ou seja mais bandido). Orgulhará o velho de vez daí!

  13. Ramon diz:

    Do gol anulado o Franco falou bastante, mas sobre a cortada de vôlei que um dos esmeraldinos deu em um lance de escanteio não encontrei nenhuma menção.

    Franco, caso tu queiras ter a memória refrescada, veja abaixo o link em 3min37s.
    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=dM4jQmPQiMc

    bom texto
    abraço,

  14. Ricardo Pereira diz:

    E no gol anulado, mostraram em tira teima no Blog Xavante, que o zagueiro do Ju estava dando total condições, é só olhar lá, ver o lance e travar na hora do passe do Marcio Jonatan. Caiu a casa, foi uma vergonha a arbitragem. O gol foi legitimo, e o penalti não marcado também foi brincadeira. Lamentável.

  15. #13
    Ramon, não fiz menção pois o lance só surgiu como “claro e cristalino” 21 HORAS após o final da partida, sem que até então nem no momento em que ocorreu, nem após o jogo – aquele famoso bolo que o time que se acha prejudicado faz em cima do juiz – houvesse reclamação disso. E, detalhe: nem mesmo a RBS Porto Alegre, que sabidamente tem uma queda pelo Brasil de Pelotas, o que não é omitido por seus profissionais quando têm a oportunidade, repararam nisso, nem na hora, nem após a partida.
    Mas admito que o Juventude passar a ser beneficiado pelas arbitragens me causaria GRANDE surpresa, já que posso te garantir que não é o que sistematicamente ocorre, cara. Bem pelo contrário. Aliás, meu receio de que eventual GARFADA fosse a favor do Brasil, já que era a única chance dele obter a vaga pra D nessa final, era muito grande.

    #14
    Ricardo, esse tira-teima foi em cima das imagens da TvCom ou de alguma outra câmera? Pela da TvCom, nem na hora nem no replay consegui ver (nem ninguém) que haveria condições.

  16. Ramon diz:

    #15
    Franco, não vou entrar em questões referentes a RBS, pois eles só fazem alarde e polêmica quando a dupla GreNal é prejudicada, inclusive só de ouvir os comentários deles já dá vontade de quebrar a TV.
    E sinceramente, não fiquei surpreso com os “erros” de arbitragem, pois o Brasil é garfeado ao natural dentro e fora do campo, e convenhamos, dois erros capitais no mesmo jogo já é demais.

  17. felipe ornaghi diz:

    Ramon, e sobre as pedradas e confusões que ocorrem sempre aí no bento freitas, tem algo a falar?

  18. Ramon diz:

    #17
    Não, estou me atentando apenas ao jogo. Me manifestarei sobre esses fatos quando o assunto em pauta for esse.

    att,

  19. Ricardo Pereira diz:

    Felipe, e sobre a maneira como a gente é recebido ai em Caxias, com uma ignorância total, principalmente da brigada local, que nos trata como marginais. A brigada de Pelotas, meteu cavalos, cassetete, cachorro e gas em vocês. Tens algo a falar?

  20. Douglas diz:

    Ricardo Pereira, alguém quebrou alguma coisa na parte dos visitantes por aí?? O ônibus do time foi apedrejado?? Porque em Caxias e Farroupilha não foi pouco o prejuízo que os “coitadinhos” deram quebrando banheiros e alambrados só nos últimos 2 anos. Além do ônibus do time do juventude e dos carros de rádios de Caxias no domingo. Os carros da RBS de POA vocês não quebram né?? Claro que não, quem vai continuar repetindo a mentira que quem realmente acompanha o futebol do Interior já desmascarou?!

  21. Tiago diz:

    Depredaram banheiro e tudo que encontraram no Jaconi. Depois são mal-tratados pela BM e se sentem marginais. É o sujo falando do mal-lavado.

  22. Ricardo Pereira diz:

    Douglas, a RBS só quer nos ferrar, não estão nem ai pro interior, não fica dando ibope pra essa gente. Se dependesse deles os nossos times nem existiam mais. Aqui eles não tem moleza com nós, e tu sabe disso, senão a gente não era tão forte assim. Temos é que continuar firmes com os nossos times, indo ao estadio, indo nos jogos fora para mostrar. mos que temos identidade própria, que não somos clubinhos safristas, que temos tradição, e representamos povos e cidades que também são importantes. Sou Xavante e sempre vou acreditar no meu time, na minha torcida e na minha cidade. Aqui a Xavantada tem um ditado para a dupla gre-nal. Xavante é foda o resto é moda. E lá em POA, a Xavantada da Onda Xavante tem, e usa umas camisas com os seguintes dizeres: Pra que Gre-Nal Xavantes da Capital. Abraço.

  23. felipe diz:

    Sobre a RBS, isso é fato eles adorarem o brasil, talvez por serem tratados como reis aí, mas esse negócio de beneficiar um ou outro não existe, senão o brasil não estaria na B do gauchão e nem o juventude sem divisão.
    o que me refiro é a essa violência que sempre rola por partes da torcida xavante, seja em pelotas ou como o exemplo citado acima (caxias do sul e farroupilha).
    Mas ainda tem cara que pensa assim: é do futebol, quero ver esses caras falarem isso quando o seu filho, sua mãe, seu avô deixarem de ir no estádio por causa desses machões

  24. Leonardo Papo diz:

    Ricardo, com todo o respeito. Ninguém viu o tal toque na mão, foi lance totalmente casual. Ninguém comentou em nenhuma transmissão, e no próprio vídeo que mencionaram aí, uma pequena parte da torcida reclama. Sobre o gol anulado, pelas imagens da TV me pareceu claro o impedimento. Agora, se é necessário recorrer a tira-teima, é obrigatória a absolvição do bandeirinha. Se for necessário o tira-teima é porque o lance foi difícil. Convenhamos que é difícil bandeirear tomando cuspe e pedrada, então, absolva-se o bandeira.
    Sobre a arbitragem ainda, o Brasil quis apitar o jogo todo o tempo. O 5 de vocês deveria ter ido para a rua por reclamação, sem contar as botinadas que vocês distribuíram. Ainda no fator extra-campo: excelente público, novamente. Vergonhosas ações, novamente. Pedras, cuspes, chutes, dirigente invadindo campo, pressão em arbitragem? Isso ganhava jogo na década de 40. Hoje, o que ganha é FUTEBOL. Bola na rede. Quando aprenderem isso, ganharão alguma coisa (ou sairão da segundona).

    Abraço. Bicampeão.

  25. Ricardo Pereira diz:

    Pessoal do Ju, não questiono o título de vocês, como ja havia falado para o Franco anteriormente. Parabéns, foram muito guerreiros, e ganharam o título no primeiro jogo, onde realmente foram superiores em campo. Agora as arbitragens tão foda de aturar. Catimba, reclamação, faltas mais fortes, fazem parte de um jogo decisivo, principalmente se o juiz deixar rolar. Teve um lance de vocês no segundo tempo, que eu acho que foi carga do lateral do Brasil, portanto penalti pra vocês. Só que os lances polêmicos a que me referi foram no primeiro tempo. Se o Brasil faz um gol, sai na frente, embalado como estava, ia ser outro jogo, bem mais dificil pra vocês buscarem. Lamentavel a violência, mãs pode ter certeza que é uma minoria da torcida que sempre estão envolvidos em confusões.A grande maioria da torcida Xavante é festeira, irreverente e ordeira. Mas valeu, o futebol prevaleceu e estava tudo muito bonito nos 2 jogos. E que bacana o nível de vocês, mesmo não concordando em algumas coisas, jogando uma flauta, se mantém o respeito. Isso é futebol, e a rivalidade sempre vai estar presente. E é muito legal que seja assim. Abraço.

  26. Exatamente, discordância e flauta na boa é do jogo. E é esse o nível que se tem conseguido manter por aqui. Parabéns a todos.

  27. felipe diz:

    o importante é seguir sempre ao lado de nossos times, e mostrar as mais pessoas que torcer para a duplinha do mal é pura ilusão

  28. Ramon diz:

    Inclusive, domingo é dia de torcer pelo empate da duplinha, assim não tem foguetório de ninguém e se pode dormir em paz.

  29. Grená diz:

    Agora acho que podemos voltar a gritar: ju-ven-tu-DDDDDDDDDDD…

  30. Papo diz:

    #29:
    Grená, logo logo também poderemos voltar ao que era antes de 2007: O clube rosa-escuro de Caxias quase fechando as portas, sem sócios, dívidas aos montes, colegiado de dirigentes, 250 sócios. Já começou, aliás: Gugu saltou da barca, o estádio começou a despencar e a internet está cheia de reclamações e choramingos de jogadores que não recebem há quatro meses. Os nossos, mesmo ficando 4 meses sem receber, sabiam que uma hora a grana entra, e foram campeões. Já do outro lado da cidade… O último a sair apague a luz.

  31. Felipe Oliveira Neto diz:

    Voces , esmeraldinos, estão sendo muito injustos!!
    O comportamento da Torcida Xavante hoje em dia, seja em casa, seja fora, tem sido exemplar e maravilhoso!
    Confesso que na Década de 90 e até o início dos anos 2000, era muito pior. Hoje estamos bem civilizados. O que a torcida do Brasil faz se vê em qualquer cancha da Libertadores e ninguém reclama. Não acredito que os “jaconeros” chorem por tão pouco.

  32. Grená diz:

    “Os nossos, mesmo ficando 4 meses sem receber, sabiam que uma hora a grana entra, e foram campeões.” Campeão do quê, cara?? Eu quero que o Caxias NUNCA precise disputar a Copinha. Se tiver que um dia ser campeão é sinal de que está sem divisão. Soltaram foguetes pq agora, talvez, eu digo talvez, possuem divisão??? Fala sério…Bom, pelo menos um motivo pra sorrir pra quem vive no fundo do fundo do poço.
    E olha quem falando em grana. Falou o vizinho abastado da rodoviária. VAMO CALOTERO!

  33. Papo diz:

    Grená, dever todo mundo deve, até a superpoderosa dupla. Esse meu comentário foi só para te mostrar que o que a boca fala, o * paga. Vocês são os mais gargantas do mundo, mais até do que nós, Papos, que ganhamos este apelido justamente pela garganta que outrora tínhamos. Vai desprezando a copinha, eu também já desprezei. Hoje não mais. E não vem me falar em fundo do poço. Enquanto despencamos ano após ano, vocês estão ancorados na mesma m* de sempre. Que só parece melhor agora pois vocês insistem em viver na nossa sombra, se comparando a nós. Mas na realidade vocês estão mal, como sempre estiveram.

  34. Grená diz:

    Sombra? Vcs não fazem mais sombra há anos nem mesmo pra Marcopolo. O problema é q vcs insistem em achar que o mundo gira em torno de vcs, que tem o rei na barriga! Melhor estar ancorado do que numa barca afundando ano após ano! O clube do pijama-listrado-de-símbolo-copiado-do-Zequinha vai ter q comer muito feijão ainda pra chegar onde estamos!

  35. Papo diz:

    E onde é que vocês estão? Sem dinheiro? Isso a gente também já tem. Sem título? Já ganhamos algumas coisas, fazem uns 14, 15 anos, mas já ganhamos muito mais do que vocês. Sem torcida? Nossa média é maior do que a de vocês todos os anos (exceto jogo dos R$1,99, caso claramente isolado).
    Desculpa, ainda não entendi onde vocês estão.
    Se achas que Série C x Série D (sem série) é definitivo, digo e afirmo: é circunstancial, e ano que vem pode inverter.
    Abraço.

  36. Grená diz:

    Cara, só vou te dar um dado. Pesquisa a média final de público da série C de 2010. Onde os dois estavam disputando a MESMA competição. Nossa média foi maior que a do Brasil-PE, ou seja, a maior do RS e uma das maiores do campeonato. Contra números não há argumentos.

  37. Papo diz:

    Ah é, tens razão. Foi o ano que cada equipe jogou quatro jogos em casa. Até a sétima rodada o Juventude era o segundo/terceiro em média de público, atrás do Criciúma e empatado (na prática) com a Chapecoense. Daí o Caxias baixou o valor do ingresso (se não me engano para R$5,00, mas ok, isso não tem muito a ver), em um jogo valendo vaga, e mesmo assim contando com presença forte dos xavantes. Resultado: ficou com média ligeiramente superior (nem mil torcedores a mais, em quatro jogos) ao Juventude. Baita número, altamente isento e condizente com a realidade. Que tal pegar as médias de 2011, em divisões diferentes? Ou 2012 (Centenário “ardendo” com a série C, R$10,00 nas bilheterias. Jaconi na D, ingresso a R$20,00)? Ou dos últimos 5 Gauchões?
    Só para encerrar: tens razão, o Caxias não vive à sombra do Juventude. Afinal de contas, foi criado antes, o Juventude foi criado para fazer frente ao Caxias e este é um post do Caxias. Oh wait…
    Vai discutindo sozinho aí, vai… Vou para o próximo post.

  38. Grená diz:

    Cara, não adianta achar pêlo em ovo, os borderôs da CBF são os que valem.
    Os jogos foram iguais pra todos e ainda demos uma mão pra vcs colocando muito mais gente no Chiqueroni. Fora que sempre somos abençoados nos jogos em casa com tempo ruim.
    Promoção de ingresso todo clube faz, até o teu. Criticaram tanto o ingresso a R$ 1,00 em 2008, que logo depois fizeram o mesmo, só que mascarado, botando ingresso a R$ 2,00 podendo levar acompanhante e não colocaram 20.000.
    Sempre um segundo clube na cidade é criado para rivalizar com o primeiro, por motivos divergentes e por descontentamento. Mesmo assim, “a sombra” disputou série A ANTES do que vcs!

  39. Papo diz:

    “sempre somos abençoados nos jogos em casa com tempo ruim” — Ok, sem mais. Até porque vivemos em cidades diferentes, e a distância entre os estádios é grande.
    “Mesmo assim, “a sombra” disputou série A ANTES do que vcs!” — Por méritos dentro de campo, certamente.

  40. Grená diz:

    Não há o mesmo azar com relação ao clima nos jogos em casa pros lados da rodoviária. No Caxias, a cada 10 jogos, 8 chovem, é estatística, é só ler jornal.

  41. Papo diz:

    Acho que o mato sartori age como dissipador de umidade, enquanto que o cemitério chama as nuvens… Deve ter alguma explicação científica, não pode ser. Ou então São Pedro é papo.

  42. #41

    Olha, que São Pedro é papo não resta dúvida: o clube foi fundado num 29 de junho, dia de… São Pedro :D

    http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%A3o_Pedro

  43. Grená diz:

    Pronto! Ta aí a explicação!

  44. Pingback: 2012: quase um looping verde e branco de 2011 | Toda Cancha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *