Glasnost à alemã

Raul Hartmann discursa na apresentação do elenco anilado para 2013. Foto: Inézio Machado/Grupo SinosApós o BIPOLAR ano de 2012, em que o Esporte Clube Novo Hamburgo flertou com as mais belas damas da noite numa mesa cheia de dinheiro e whisky e também se viu com a paletó sem gravata, sentado no CORDÃO da calçada, com meio copo de cerveja CHOCA na mão e cigarro vagabundo na boca à espera do ônibus, o clube resolveu optar por uma profunda reformulação para o ano vindouro.

Na última segunda-feira o elenco do Noia se apresentou no Estádio do Vale e, entre os contratados, pouquíssimas caras conhecidas: apenas o zagueiro Léo Fortunato, com passagem pelo Cruzeiro, e o atacante Guilherme WEISHEIMER, uma das tantas nabas reveladas pelo Grêmio na década de 1990, que enganou no Veranópolis e no Caxias, e estava no futebol CIPRIOTA.

Justamente o oposto do que vinha ocorrendo na Gestão Carlos Duarte. Com equipes intituladas inclusive de Galácticos do Vale, o Noia se notabilizou desde 2010 por apostar em jogadores rodados das Séries A e B do Brasileirão e por veteranos da Dupla Gre-Nal, engordando a folha salarial até cerca de R$ 250 mil mensais – a título de comparação, em 2004, primeiro campeonato na volta à elite, a folha era de R$ 60 mil, inflação à parte. Além disso, parte do time era remanescente da Copa RS.

Para 2013, o tom mudou. Da Copinha, apenas o goleiro Gott, o zagueiro Lucas, os volantes Márcio Hahn e Zaquel, o meia Luis Carlos e o atacante Paulinho Macaíba permaneceram, juntamente com CRIAS da base. Uma jangada partiu do Vale dos Sinos – a que tinha Labarthe e Diogo, esperamos, rumo a um desfiladeiro. Seja por uma prospecção de ponta, seja por força do empresariado, a aposta tem se dado em jogadores desconhecidos a nível nacional, o que tem preocupado a torcida anilada. Quando comparamos com os demais times do Interior, não há tanto motivo para desespero – o Canoas já garantiu ficha 1 pelo rebaixamento -, mas a alemoada, escaldada por dois rebaixamentos nos últimos 20 anos, está ressabiada.

Para conhecer melhor os reforços, o Toda Cancha assistiu a vídeos dos jogadores disponibilizados no Youtube e entrevistou torcedores dos últimos times das novas caras aniladas. Carina Monteiro, do belíssimo portal O Navalista, descreveu o meia Giuliano Amaral como ‘bom jogador, com boa visão de jogo e muito seguro. Tem bons pezinhos, sabe guardar bem a bola e colocar no sítio certo. Só tinha uma coisa meio ruim mas isso não há como evitar, devido à idade: já não aguentava os 90 minutos em campo’.

Quanto ao meia-atacante CAFETERO Jefferson Angulo, consultamos Gabriel Jiménez, editor do site Los Millionarios, e a definição foi que ‘es un muy buen jugador, muy técnico y de grandes condiciones’. Sobre William, que brigará pela camisa 9, o torcedor do Macaé Gabriel Andrezo disse: ‘Bom atacante, jogou bem aqui pelo Macaé na Série C. Chegou a acertar com um clube do VIETNÃ, mas ficou por aqui’.

En Barranquilla se baila así: Jefersson Angulo dançará o RUKE-RAKE no Alternativo. Foto: El EspectadorClaro que vídeos editados por empresários não resultam na mais confiável fonte, no entanto as referências acerca das novas contratações, seja por meio de jornalistas que cobriam os ex-clubes desses atletas ou consultando torcedores, são boas. Há também questionamentos quanto à demora do Noia em fechar seu plantel e se o clube não estaria comendo mosca. Convém, contudo, lembrra que essa política foi a mesma em anos anteriores. O que mudou, por ora, foi o público-alvo das contratações e a própria preparação, que será realizada em Novo Hamburgo mesmo, ao contrário de incursões na Serra Gaúcha e em Santa Catarina.

Especula-se ainda que o clube esteja atrás de dois zagueiros – Luis Henrique, ídolo do clube, pode ser um deles -, um lateral-esquerdo, um volante, um meia e dois atacantes. E apesar do discurso da direção de economia na Copinha para montar um elenco forte para 2013 e esperar o término no Brasileirão para contratar, nada indica que o Anilado trará reforços capazes de lotar a Estação Santo Afonso do Trensurb. Assim, o torcedor só aplacará sua ansiedade quando assistir aos primeiros trabalhos coletivos com bola e Gilmar Iser, de fato, pôr a mão na massa.

Eu acredito é na rapaziada

As categorias de base do Noia também tiveram uma temporada de contrastes. O elenco Junior começou o Gauchão Sub-20 avassalador, terminou a primeira fase invicto e possuía um time-base bem conhecido: Alencar; Sebá, Thiago, Dimas e Puyol; Jeferson, João Afonso, Ângelo e Wander; João Henrique e Diego Testa. Contudo, naufragou na 2ª fase.

Para o segundo semestre, meio time mudou, seja por negociações, dispensas ou atletas que serviram ao time profissional. Mabília deixou o comando técnico e Douglas Rodrigues, então no Juvenil, assumiu a barca. Durante a Copa FGF Sub-19, ainda na 1ª Fase, Douglas foi demitido numa estranha decisão da diretoria e chegou Júlio César, do Garibaldi. O time se re-encontrou, eliminou o Caxias nas quartas-de-final (assim como em 2011) e só parou nas semi-finais para o Grêmio – ironicamente, comandado por Mabília. Dessa equipe, serão aproveitados no COSTELÃO o goleiro Simão, o zagueiro Thiago, o volante Márcio e o centroavante Tiago de Leonço.

Já o Juvenil fez uma bela campanha na Copa FGF Sub-17, comandado por Douglas Rodrigues, e chegou às quartas-de-final, sendo eliminado pelo Grêmio. O belo trabalho promoveu o treinador aos juniores, ao passo que Wagner Flores, do Infantil, assumiu a casamata.

No Campeonato Estadual, contudo, a coisa degringolou. Após um péssimo primeiro turno, Flores foi demitido e Edinho, do futebol mato-grossense, foi contratado. Entretanto, nada melhorou, e o Noia ficou com a vice-lanterna de sua chave, somando apenas duas vitórias em todo campeonato.

Tosquia de porco: Anilado encarou em pé de igualdade gigantes do futebol brasileiro. Foto: Bruno Colombo/ECNHNos estertores do ano, o clube ainda emplacou um convite para a disputa do Brasileirão Sub-17, agora sob a chefia de Éder Moraes, então no Infantil. Em confrontos duros, o Noia perdeu para Palmeiras (2×0) e Flamengo (3×2) e empatou com Coritiba (1×1) e São José/PA (1×1). Apesar da eliminação, o saldo foi considerado positivo devido à dificuldade dos confrontos, pelo bom futebol apresentado e a divulgação do clube em rede nacional.

Por fim, o Infantil anilado foi quem teve o ano mais regular, angariando bons resultados e conquistas em competições regionais. No Estadual da categoria, eliminou o Juventude nas quartas-de-final e foi eliminado nas semi-finais para o Internacional. Resta saber se seu comandante no segundo semestre, Éder Moraes, ficará no Juvenil ou retornará ao Infantil.

Se o clube sonha em ser a 3ª ou 4ª força do Rio Grande, ao menos na base o caminho está corretamente traçado. Falta ainda um título e maior regularidade ao longo do ano.

Time-base do Junior: Simão; Rodrigo (Diogo), Lucas, Thiago e Vavá; Márcio, Betinho, Allan (Leonardo) e João Henrique (Ângelo); Lucas Santos (Lucas Bacalhau) e Tiago de Leonço (Ivair).
Time-base do Juvenil: Gabriel; Bruno (Lucas Passarin), Lucas DAUBERMANN, Wendel e Djonatan; Puyol, Matheus Lima (Chico), Pedro(Vagner) e Elton (Hályson); Diego Nunes e Tamujo.
Time-base do Infantil: Guilherme; Vinicius, Pedro, Rondinelli e Max (Fabiano); Gustavo, Vargas (Thiago), Yan (Bruno) e Carlos; Indio (Braga) e Vagner (Jeff).

Elenco profissional

GOLEIROS
Gott
Paulo César (Belenenses/POR)
Simão (Categorias de Base)

ZAGUEIROS
Dimas (Categorias de Base)
Léo Fortunato (Madureira-RJ)
Lucas Staudt
Thiago Steffen (Categorias de Base)

LATERAL DIREITO
Carlinhos (Itumbiara-GO)
Sebá

LATERAL ESQUERDO
Vinicius (Avenida-RS)

VOLANTES
Carlos Eduardo (Cerâmica-RS)
Márcio Hahn
Márcio (Categorias de Base)
Zaquel

MEIAS
Giuliano (Naval/POR)
João Henrique
Luis Carlos
Zabotto (Treze-PB)

ATACANTES
Angulo (Once Caldas/COL)
Guilherme Weisheimer (Maccabi Herzliya-ISR)
Paulinho Macaíba
Tiago de Leonço (Categorias de Base)
William (Macaé-RJ)

Com os dois ‘pé’ trás, mas sem o CATASTROFISMO hamburguense,
Zezinho

Publicado em Gauchão 2013, Novo Hamburgo com as tags , , , . ligação permanente.

4 Respostas a Glasnost à alemã

  1. Weber diz:

    Não dá pra dar opinião sobre o grupo do Gaúchão sem antes ver esses caras jogando. Vou esperar.
    Sobre a base, também acho que está no caminho certo. Logo colheremos os frutos desta estruturação.
    DÁ-LHE NOIA!

  2. Daroit diz:

    esse Tiago de Leonço jogou o Gauchão de JÚNIORS no Lajeadense, não parecia grande coisa, não, mas também tá bem longe de ser ruim.

  3. Meu Deus, tomo mundo faz ponte-aérea (ns) Lajeado-Vale dos Sinos?

    Ele me parece meio poste, mas não tão grosso. Também acho que não dará em nada. Aposto minhas fichas no Dimas e no João Henrique

  4. Por falar em João Henrique, Zé, mas aquele do Ju (que comentamos ontem pelo twitter), o mesmo foi pro Paulista de Jundiaí pro Paulistão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *