Os de sempre

lajeadense-2x0-s--o-luiz---24-_gr

Depois de arrancar um ponto sabe-se lá como na estreia contra o Juventude, o Lajeadense debutou em casa no COSTELÃO 2013 vencendo o São Luiz e chegando à liderança de seu grupo até aqui. Resultado construído nas costas dos jogadores de sempre, que enfrentaram a chuva, os bruxismos de Flávio Campos e a INOPERÂNCIA (pra não dizer outra coisa) de boa parte dos novatos que, pela primeira vez, pisaram no Estádio Alviazul ÀS GANHA.

Não bastasse a estupidez de ter substituído Rudiero no intervalo do jogo no Jaconi, justificando a decisão com o cartão amarelo sofrido pelo BUSQUETS DE RONDINHA, Flávio Campos ainda teve a manha de colocá-lo no banco também na partida contra a esquadra de Ijuí. Enquanto isso, Márcio Gabriel e Ramon Monteiro, que não ENCOSTARAM NA BOLA em Caxias do Sul, seguiram no time inicial. Menos mal que pelo menos Maycon EL DIABLO Bamberg e Rennan Oliveira, que mudaram o jogo no segundo tempo no Jaconi, também se tornaram titulares, salvando LOS DE FRUKI das trevas do bruxismo paneleiro.

Antes do início do jogo, tudo que podia acontecer, aconteceu. Após a incrível EPÓPEIA que é pegar um ônibus em Lajeado, algo que não fazia há uns 5 anos, cheguei ao Estádio Alviazul por volta das 18h, sob um sol escaldante. Coloquei o pé na arquibancada e, ao mesmo, tempo, DESABOU O MUNDO. Por cerca de uma hora, choveu tudo que podia chover no mês de janeiro INTEIRO, e faltando 10 minutos pro início da peleja, o número de torcedores presentes pouco havia mudado, não indo muito além dos cinquenta que ali estavam antes da DESGRAÇA. Até um banner enorme da Fruki, finalmente parceira do clube, colocado atrás de uma das goleiras para fazer PROPAGANDA DE GUERRILHA na transmissão televisiva teve de ser retirado após ser completamente DESTROÇADO pelas águas. O SEMI-DILÚVIO, porém, deu trégua quando os times já aqueciam no gramado e, como por milagre, QUINHENTAS pessoas surgiram do nada e se espraiaram pelo cimento do pavilhão social e, finalmente, também da arquibancada oposta, até então TERRA PROIBIDA aos lajeadenses por motivos de -> babaquice da Brigada Militar.

Todos eles viram um primeiro tempo novamente RUIM da esquadra celeste. Envolvidos pelo toque de bola sem erros da seleção da COLMÉIA DO TRABALHO, o Lajeadense continuava apostando nos BALÕES A LA LOCA como forma de chegar ao ataque. Sorte que o São Luiz também não ameaçava muito, à exceção de um lance em que Eraldo entrava livre pra marcar e Gabriel, surgido do nada, acertou um CARRINHO dos mais temerários para mandar a bola para escanteio. Baseados nos pés de Rennan Oliveira, o único meia com mais de 1,50m e que consegue atingir mais de 3 km/h no elenco, aos poucos o Lajeadense foi se arrumando e, em um cruzamento perfeito de Maico Gaúcho, Jandson testou firme, Oliveira espalmou e MAYCON, o menino gênio de Taquari que nos tirou das trevas da Segundona, empurrou pras redes, garantindo a ida pro intervalo com o 1×0 no placar.

Ramon Monteiro, atuando como primeiro volante e até jogando relativamente bem, foi aos BALNEÁRIOS com um cartão amarelo e mais umas três faltas nas costas, praticamente pedindo pra ser expulso. Dessa vez, porém, Flávio Campos fechou os olhos para a situação. Dois pesos, duas medidas. Fechou os olhos, também, pra mais uma vez PÉSSIMA atuação de Márcio Gabriel, o lateral-direito cuja função no mundo é claramente nos mostrar que qualquer um de nós ainda pode ser atleta profissional.

2013-01-24 18.14.27Chuva não poupou nem os BANNERS

Para nossa alegria, nada disso nos custou a vitória. Logo nos primeiros minutos, Maycon, SEMPRE ELE, recebeu um PETARDO na barriga dentro da área, que dominou meio na SORTE e, com isso, ficou livre para mandar a BUCHA, nos salvando como sempre. No mesmo minuto, o volante Baiano do São Luiz levou o segundo amarelo e foi expulso, trazendo a bonança após a tempestade.

Depois disso, o Lajeadense se jogou ao ataque, guiados pelos chutaços de fora da área de Rennan Oliveira, novamente destaque da meia-cancha, e pelas PERALTICES de Maycon e Jandson, que não desistiam de bola alguma. Rudiero, finalmente em campo, também arriscava-se ao ataque, além de ser o monstro de sempre na defesa, e Márcio Goiano mostrava que pelo menos algum lateral do time tem condições de jogar futebol profissionalmente. NEGO JANDSÃO ainda teve um gol absurdamente anulado nos acréscimos, quando Anderson Daronco inventou uma falta na disputa de bola no ar.

Parece bizarrice dizer isso após tanto AMARGOR, mas saio da partida contra o São Luiz muito mais tranquilo do que após o ARRODEÃO do Jaconi, com a certeza de que o DENSE DE MIS AMORES está chegando, aos poucos, no caminho certo. Faltam, apenas, algumas correções na volância – VOLTA, RUDIERO – e, talvez, no meio-campo, com a possível entrada de algum jogador mais veloz ou de maior imposição física (como o atacante Josimar, partindo para a tática BUMBA-MEU-BOI 4-2-4) no lugar de Maico Gaúcho – que até não vem jogando tão mal. Temos um problema sério, porém, na lateral-direita, em que não há NENHUM reserva para a lêndia que hoje corre por aquele lado. Uma contratação por ali se faz URGENTE.

Já pelo lado do São Luiz, por enquanto, aparentemente não há motivos para grandes preocupações. Visto de longe, o time é bom, sabe sair jogando e até defender razoavelmente bem. O problema, quem diria, parece ser o ataque. Eraldo e Juba novamente não conseguiram fazer nada, assim como Marcos Paraná, de quem se espera que seja a ABELHA-RAINHA da colmeia. Mais um jogo em branco e, pior, dessa vez sem praticamente chance alguma de gol, pro estrelado ataque do noroeste que também conta com Tiago Duarte e Gavião.

O Lajeadense, líder da Chave A, joga no domingo, às 18h, contra o São José, em casa, enquanto o São Luiz, lanterna da Chave B, pega o Pelotas, na Boca do Lobo, no mesmo horário, em uma sangrenta BRIGA DE FOICE.

FICHA TÉCNICA:

Lajeadense: Martini; Márcio Gabriel, Micael, Gabriel, Márcio Goiano; Ramon Monteiro (Rudiero), Reinaldo, Maico Gaúcho (Léo Franco), Rennan Oliveira; Maycon (Rafael Aidar) e Jandson.

São Luiz: Oliveira; Júnior Barbosa, Thiago Costa(Marcelo Oliveira), Marcel e Élton Macaé; Baiano, Chicão, Adãozinho(Gavião) e Marcos Paraná(Marcos Rogério); Juba e Eraldo.

Gols: Maycon (L) (2x)

Expulsão: Baiano (SL)

Arbitragem: Anderson Daronco, auxiliado por Edemar Palmeira e Julio Cesar Rodrigues.

A foto com os dois destaques do Lajeadense até aqui é do glorioso Elton de Andrade, do Jornal O Informativo do Vale.

Embora não pareça, esperançoso,
Guiherme Daroit

Publicado em Gauchão 2013, Lajeadense, São Luiz com as tags , , , , , . ligação permanente.

3 Respostas a Os de sempre

  1. Maurício Brum diz:

    Meu péssimo São Luiz vai cair com a terceira vaga do rebaixamento só pra aprender a não ficar quieto.

  2. Luiz Eduardo Kochhann diz:

    Consegui assistir um pedaço do jogo e imaginei Daroit se remoendo com a reserva do RUDIERO.

    No mais, me gusto o Lajeadense. São Luiz vai ficar na rabeira, de novo.

  3. Leonardo F diz:

    Ae pessoal: Download gratuito do livro “Donos da Bola: o campeonato citadino de futebol de Passo Fundo 1922-1978”

    http://livroosdonosdabola.wordpress.com/download/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *