Sandálias da humildade – e com as travas à amostra

Damião é CARCADO por Léo Fortunatto. (Foto: Luciano Leon/Agência Estado)

Damião é CARCADO por Léo Fortunatto. (Foto: Luciano Leon/Agência Estado)

Mesmo desfalcado, em crise e sob um calor de desmaiar Batista, o Anilado mostrou vergonha na cara e arrancou um belo empate com os titulares do Internacional, comandados, pela primeira vez, por Dunga, o capitão e armador da Seleção de 1994 – se dependêssemos do Raí não teríamos passado dos Estados Unidos de MEOLA e Lalas.

O Noia esqueceu o discurso de classe-média, pegou o Trensurb com toda sua humildade e se esfolou por um suado ponto em Gravataí, tendo noção de sua inferioridade perante o adversário. Itamar Schulle, o KOJAK catarinense, tratou de homenagear Chiquinho e Cláudio Duarte e armou um PEGA-RATÃO lindo de se ver, com três zagueiros bem postados e dois volantes espetados à sua frente. Tudo isso para bloquear o setor criativo colorado e amenizar a ausência de Márcio Hahn, o faz tudo do Noia – o que não deixa de ser um diagnóstico da má fase do time.

Diante do difícil cenário, o Anilado esperou o Inter e especulou na boa. Sem a posse do esférico, baixou o sarrafo sem dó no time da Capital, chegando a irritar Dunga – o que mostra que o Nóia acertou. Todos os jogadores que estavam em campo sabiam da necessidade de marcação serrada, compactação, preenchimento dos espaços, transição rápida entre defesa e ataque. Ou seja: a velha tática da padaria – atacar em bolo, defender em massa. E deu certo.

Dunga claramente incomodado por usar roupa social. (Foto: Alexandre Lops/Inter)

Dunga claramente incomodado por usar roupa social. (Foto: Alexandre Lops/Inter)

Embora com a pressão constante do Colorado, de atuações abaixo da crítica (novamente) de Vinícius e Guilherme, da expulsão infantil do experiente Léo Fortunatto e da afobação de GOTTFRIED, o Noia foi regular do início ao fim da partida, viu seus defensores levarem vantagem sobre os adversários dentro de sua área e terminou seu segundo jogo consecutivo invicto. Um avanço. A passos de formiga, mas com vontade.

A se destacar as boas partidas dos jovens Lucas Staudt e Tiago de Leonço, que trouxe referência ao ataque anilado e incomodou a zaga do Inter no segundo tempo. Uma bela alternativa para a camisa 9 e a chance da tão batida oportunidade aos pratas-da-casa.

Forlán vigiado de perto por Lucas Staudt: jovem defensor anilado foi bem mais uma vez. (Foto: Alexandre Lops/Inter)

Forlán vigiado de perto por Lucas Staudt: jovem defensor anilado foi bem mais uma vez. (Foto: Alexandre Lops/Inter)

Para as próximas peleias que o Noia trate de ganhar as duas partidas em casa, contra Canoas e Esportivo. Se terminar o 1º turno com 8 pontos terá feito o mínimo para fugir do descenso. É pouco para as ambições do Noia, mas se o momento só lhe permite fazer o feijão com arroz, que o faça bem feito. E sacie a fome do seu torcedor.

FICHA TÉCNICA
internacional_45x45Muriel; Gabriel (Hélder), Ronaldo Alves, Rodrigo Moledo e Fabrício; Willians, Fred, Dátolo (João Paulo) e D’Alessandro; Forlán (Gilberto) e Leandro Damião. Téc.: Dunga

NovoHamburgo_45x45Gott; Léo Fortunatto, Baggio e Lucas Staudt; Carlinhos (Lucas Santos), Roberto Lopes, Fábio Gomes, Zabotto e Vinícius (Tiago de Leonço); Paulinho Macaíba (Carlos Eduardo) e Guilherme Weissheimer. Téc.: Itamar Schulle

DON’T CALL MY NAME, DON’T CALL MY NAME, D’ALESSANDRO!
Zezinho

Publicado em Gauchão 2013, Novo Hamburgo com as tags , , , , , , . ligação permanente.

2 Respostas a Sandálias da humildade – e com as travas à amostra

  1. Chico Luz diz:

    bom jogo do Noia. Acho que dá para deixar de ter medo do rebaixamento, agora com o Schulle, apesar de o ataque ainda ser de asma…

    VAMO ANILADO!

  2. Denis diz:

    Presenciei na íntegra esse jogo… no espaço destinado ao torcedor anilado, 50 pessoas se faziam presentes: 10 da delegação anilada, 35 gremistas, 3 atendentes da copa e 2 torcedores (somente eu com camisa anilada!).
    Me borrei: pior partida do Gott, caçando borboleta em bolas alçadas na pequena área, não segurando nenhuma firme nos chutes de fora da área, mas mesmo assim não tomou gol. Melhor momento anilado: perigo de pênalti. Fora isso, uma embananada do Macaíba no segundo tempo, resultando numa sobra concluída por Flavio Gomes.
    Agora domingo é encarar o São Luis em Ijuí, que vem de uma sólida vitória contra o Greminho por 4 x 0.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *