Redenção Anilada

227

Após 5 jogos sem vitória, injeção de ânimo no vestiário e promessa de pizza em caso de vitória, aliada a maior mijada e desabafo no Toda Cancha proporcionada por Zezinho Dudu (corre nos bastidores que esse texto foi colado no armário de cada jogador), o Nóia deu um rodopio de 540 graus e deixou uma impressão de que agora a coisa vai andar…

Com vinte e cinco minutos de jogo, o Nóia já abria 3 x 0 contra a equipe do Canoas, apesar da retranca com 3 zagueiros montada pelo técnico Rodrigo Bandeira. O primeiro gol surgiu aos 13 minutos numa jogada pela lateral esquerda, onde após cruzamento rasteiro do lateral Carlos Eduardo, Macaíba ajeitou da marca do pênalti e deixou Giovani livre pra marcar seu primeiro gol com a camisa anilada. Cinco minutos depois, após cobrança de escanteio, Carlos Eduardo carimba o travessão.

O segundo gol veio aos 22 minutos. Após intensa troca de passes, inversão de jogo, a bola acha Macaíba na ponta direita. Este corta para dentro da área e de perna esquerda (a ruim) coloca no ângulo do arqueiro Canoeiro. Mais três minutos se passaram e mais uma jogada aconteceu pelo flanco direito. Bola alçada na área, Giovani carimba o zagueiro e na sobra, da entrada da área, Guilherme fuzila o goleiro. A torcida começa a gritar Olé, o Nóia desperdiça mais 2 chances de gol e o primeiro tempo termina assim.

O time da casa continuou aceso no segundo tempo. Troca intensa de passes, jogadas pelas pontas, infiltrações pelo meio. Ou seja, domínio completo. Aos 15 minutos, no único chute a gol do time do Canoas, Gott espalmou para a linha de fundo. Aos 25 minutos, após cruzamento de Zabotto, o zagueirão Léo Fortunato cabeceia no canto esquerdo do goleiro. 4 x 0! Itamar começa a promover mudanças no time anilado, promovendo a entrada de Luis Carlos, Mateus e Giuliano, que entraram no lugar do Guilherme, Roberto Lopes e Giovani. Para sacramentar a vitória, Sebá se enseba na grande área e cava um pênalti. Macaíba, artilheiro da noite e do nóia no Gauchão, cobra com categoria no ângulo e sacramenta a maior goleada do Gauchão 2013.

No próximo sábado o anilado vai até Santa Cruz batalhar pela segunda vitória seguida, e com isso virar o cenário de possível rebaixado para entrar na zona de classificação do mata-mata. Aplicando um olhar otimista, a zaga anilada tomou apenas um gol nos últimos 4 jogos (o que mostra uma consistência defensiva), e a bola que insistia em não entrar nos jogos anteriores parece que resolveu colaborar.

Do Anilado,

Dênis Giesch Utzig

(A foto é do Jornal NH)

Publicado em Canoas, Gauchão 2013, Novo Hamburgo com as tags , , , , , , , , . ligação permanente.

2 Respostas a Redenção Anilada

  1. thomas diz:

    Amem! Tomara que agora o time acorde, quase chegamos ao ponto da direçao ter que pagar pra torcida comparecer no vale de tao triste que estava ver o noia “jogar”, parece que o itamar finalmente achou um time que seja encaixado

  2. Sancho diz:

    E após o pronunciamento do excelentíssimo senhor…, voltamos a nossa programação normal!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *