A Ordem dos fatores alterou o produto

ec passo fundo x vec interna(1)

Voltemos no tempo, esqueçamos a tragédia que acarretou o adiamento da terceira rodada. O Passo Fundo vem de empates contra Inter e Juventude, dois grandes resultados visto que são jogos que qualquer ponto é lucro, joga em casa o primeiro jogo que tem que vencer. A verdade é que até esse ponto o time de Atollini ainda não participou de nenhum jogo que tivesse a obrigação de se impor em campo. Do outro lado, o Veranópolis vem embalado, vendeu caro uma derrota para o Caxias na segunda rodada e venceu bem o Novo Hamburgo na primeira por 3 a 1.

Mas a rodada foi adiada, e o que era pra ser um jogo pela terceira rodada, virou praticamente um jogo pela sétima e muita coisa mudou. Descobriu-se que o Passo Fundo sendo comandado pelo Atollini era um time que só sabia se defender e jogar sem a bola, jamais conseguiria pressionar um Veranópolis motivado, ou até mesmo em má fase como visto contra o Santa Cruz.

Aconteceram outros jogos, o Passo Fundo conseguiu uma vitória espírita contra o Canoas e empilhou fracassos nos jogos seguintes, do outro lado o Veranópolis empatou em casa e depois também começou a perder de tudo quanto era jeito, local e forma possível.

Assim chegamos ao Vermelhão da Serra na noite de 13 de fevereiro, como na quarta-feira passada, um jogo entre times que precisam tentar somar pontos para não cair. Passo Fundo apresentando Beto Campos como seu novo treinador e fazendo promoções para atrair a torcida: arquibancada 10 reais (estudante, mulheres e crianças pagam meia) e pastel com recheio (pelo menos o de frango, que me foi recomendado pela moça do caixa). Ainda no pré-jogo ressalto que o meu medo de ficar tonto com a quantidade de cores não foi correspondido em campo, Passo Fundo de branco e o Veranópolis num belo uniforme preto, aliás, a única coisa bonita que veio da terra da longevidade.

Beto Campos

Pelo lado do time tricolor, Beto Campos retirou o atacante Guto e colocou Robert, um baixinho corredor com jeito de baixinho corredor e trouxe de volta Diego Miranda, o camisa 10 e XODÓ da galera. Já do lado do time pentacolor, as velhas caras de Lê, Fininho e EDUARDINHO, esse último que já deve ter por baixo 20 anos de profissional pelo time da serra.

Bola rolando e o Passo Fundo segue sendo o time afobado dos últimos jogos, o meio campo só assiste a bola passar direto da zaga pro ataque e o Veranópolis age como se estivesse em casa, pressionando e atacando por todos os lados. Por sorte este ano o tricolor do planalto médio tem goleiro com nome e sobrenome, BRUNO GRASSI salvou o time da casa com no mínimo 5 defesas difíceis em ataques variados do time visitante.

Até o jogo de hoje o Passo Fundo tinha 5 gols no COSTELÃO, desses 3 de bola parada. E foi no mais do mesmo que o Passo Fundo abriu o placar, Diego Miranda cobrou o escanteio com perfeição e João Paulo estava lá para justificar a sua camiseta número 9, terceiro gol do centroavante no certame. 1 a 0 no placar, no placar é modo de dizer, já que o Vermelhão da Serra não tem placar do jogo.

gol01

Começa o segundo tempo e o Veranópolis sai esboçando uma pressão, mas acaba cedendo espaços demais para o contra-ataque. Num desses, a bola sobra para Diego Miranda dominar no campo de defesa e disparar em velocidade rumo ao gol do time visitante. 10′ do segundo tempo jogado e 2 a 0 no placar para o time da casa. Isso parece ter atordoado o garotinho Robert, num lance de genialidade ESTUPENDA ele pega a bola na intermediária ofensiva e SAI CORRENDO para a lateral do campo, sem ninguém por perto ele para a bola e fica lá, MATANDO TEMPO até a chegada de dois defensores adversários que levaram a bola com a mesma moleza de quem mastiga uma polenta.

gol02

Enquanto o jogo se encaminhava para o final, o senhor Leandro Alfen, conhecido como o irresponsável condutor da partida, mostrava o seu despreparo e perdeu o pouco controle que ainda tinha dentro de campo.  Pior para dois GANDULAS do time da casa que foram expulsos por “retardarem” o andamento da partida, sendo que nas duas vezes já existia uma bola em campo.

Fim de jogo, o Passo Fundo conquista uma vitória importante e segue sonhando com uma classificação. Para isso precisa secar o Cruzeiro contra o Esportivo hoje, vencer o São Luiz de Ijuí em casa domingo e torcer que entre Grêmio, Cruzeiro e Cerâmica, só um vença o seu jogo. Já o Veranópolis terá que fazer milagres caso queira manter a sua longevidade no Costelão, embarca na sua 4ª derrota consecutiva e amarga a lanterna do Grupo B.

Passo Fundo 2×0 Veranópolis

Passo Fundo: Bruno Grassi; Jeferson, Mario, Bergamin e Xaro; Gil (Marcus), Janderson, Claiton (Mateus) e Diego Miranda; Robert (Henrique) e João Paulo. Técnico: Beto Campos.

VEC: João Ricardo; Ednei, Fred (Vagner), Jonas e Fininho; Escobar, Márcio Reis (Jucemar), Eduardinho e Juninho; Valdo (Leandro Rodrigues) e Lê. Técnico: Juninho Camargo.

Arbitragem: Leandro Alflen, auxiliado por Rafael Alves e Elio Nepumoceno Junior.

Gols: João Paulo e Diego Miranda para o Passo Fundo.

Direto da terra do Teixeirinha, e com uma enorme vontade de ir em uma Galeteria,

Fred Salomão

(A primeira foto é do Diário da Manhã, as outras são de O Nacional)

Publicado em Gauchão 2013, Passo Fundo, Veranópolis com as tags , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

3 Respostas a A Ordem dos fatores alterou o produto

  1. Secorun diz:

    agora vai! pelo menos de acordo com meu coroa, que me ligou hoje para ir a PF ver o jogo de domingo…. haha

    Estamos na torcida
    abrass

  2. VEC tá jogando de preto pois o funeral já está encaminhado (batendo na madeira).

  3. Pingback: O Bang Bang do Planalto Médio | Toda Cancha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *