O primeiro passo da segunda caminhada

imagem 1

Paulo Porto se fue, Leandro Machado chegou, e o São Luiz continuou o mesmo. Ou quase o mesmo. As ausências de Marcos Paraná e Elton Macaé – se desentenderam na última sexta feira – foram muito bem compensadas por Adãozinho (deslocado para a lateral) e Washington (assumiu a 10). Os dois foram os melhores em campo e se tornaram os grandes protagonistas da vitória Rubra, marcando a estreia do novo comandante são-luizense no Costelão 2013.

Quem pensava que o time talvez se abalasse dentro de campo depois da goleada aplicada pelo Internacional na histórica final da Taça Piratini se enganou. O São Luiz fez possivelmente a melhor exibição em uma etapa de jogo no atual certame, contra a representação do São José, de Porto Alegre. O primeiro tempo foi praticamente perfeito. Não fosse Vitor e um pouco de incompetência dos delanteros ijuienses, o 1×0 seria, facilmente, um 3×0.

Por esses e outros motivos demorou para a rubrada balançar o barbante adversário. Foi só aos 38’ que Juba recebeu de Washington e, num lance de dar inveja a um tal de Lionel Messi, tocou por cima do goleiro e correu para o abraço. Sem Marcos Paraná e Macaé, o time fica mais leve e consegue FLUTUAR pelo gramado com mais facilidade, ainda que perca a qualidade nas inversões de jogo e cruzamentos para área. Houve tempo para Eraldo e Juba tentarem ampliar o placar. Vitor salvou o time da capital.

imagem 2

Depois do jogo haveria uma partida com a gurizada do mesmo São José pelo estadual de Juniores. Enquanto isso, o pessoal assistia a derrota dos marmanjos em pé.

Na volta dos vestiários, o time retornou com mais calma, sem aquela correria do primeiro tempo que tonteou o Zequinha e deixou o Noveletto apavorado no intervalo (sim, o home veio à Ijuí). Por outro lado, os comandados de Agenor Piccinin seguiam fazendo um jogo apático, sem trazer o menor perigo à Oliveira. Inclusive Lucas Gaúcho, que poderia vir a trazer algum risco, teve uma atuação muito discreta, mais marcada pela briga com Marcel e meio time do São Luiz do que por qualquer outra coisa.

Ainda nos 45’ finais, uma rápida falta de luz chamou atenção na boa e velha Baixada. A desorganizada pressão do Multison TEAM nos minutos finais talvez tenha preocupado a torcida, mas o grande trabalho no setor defensivo feito por Paulo Porto não desapareceria de uma hora pra outra (espero que não).

Com a vitória o rubro alcança a liderança da classificação geral, já que o Lajeadense perdeu para o Grêmio no último sábado. São 20 pontos somados. Nos meus (nem sempre precisos) cálculos, serão necessários mais nove pontos para que saiamos campeões do Interior (não é muito… caramba!) Na próxima rodada o Rubro terá uma chance de aprontar e devolver a goleada em casa diante do Inter, em Novo Hamburgo. O Zequinha busca a recuperação diante do Esportivo, no Passo D´ Areia Stadium.

imagem 3

Ficha de Juego:

São Luiz: Oliveira; Júnior Barbosa, Tiago Costa, Marcel e Adãozinho; Chicão (Marcelo Oliveira), Baiano, Danilo Baia (Marcos Rogério) e Washington; Juba e Eraldo (Tiago Durte). Técnico: Leandro Machado.

São José: Vitor; Thiago Matos, Gustavo, Everton e Caoê (Alisson); Leo Bahia, Maicon (Hugo), Bruno e Cleber Oliveira; Lucas Gaúcho (Aldair) e Henrique. Técnico: Agenor Piccinin.

Arbitragem: Daniel Nobre Bins para apitar a partida, e seus auxiliares José Eduardo Calza e Júlio Cesar Barcelos Rodrigues.

Avante,

Gustavo Motta

(A segunda foto é do Toda Cancha. As outras são do Abel Oliveira)

Publicado em Gauchão 2013, São José, São Luiz com as tags , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *