Habemus Bola na Rede!

rafa
Na noite em que EL ZORRO ZULU não puniu, o Alviverde dos PAMPAS MASSACRA LOS FARRAPOS da capital em apenas quarenta e cinco minutos e – acreditem se quiser, senhoras e senhores – já ultrapassa a marca dos seis tentos obtidos na Piratini!

Não teve para Santo José algum, ontem, no reduto JACONERO. Apesar dos DOIS penals não convertidos pelo matador Zulu – que, inclusive, os credenciaria com a marca dos CINQUENTA gols arrematados com o manto alviverde -, os comandados de Lisca não tiveram dificuldade na peleja e despojaram um natural 3 x 0.

Embalados por uma Zona Norte contagiante, o Papo sobrou na primeira etapa. Jardel foi MONSTRO no confronto e aonde a bola chegava lá estava ele brigando. Fabrício, o PIT BULL esmeraldino, antecipava todas, fazendo uma BAITA partida e relembrando aqueles camisas CINCO tradicionais do futebol pampeano.

Ficou claro também (e isso desde a saída de Alex Telles) que o lado forte do Ju é o direito. Foram por ali a esmagadora maioria das investidas de ataque. Ora caindo LO MAESTRO Diogo Oliveira (ah, como está jogando!), ora Rogerinho e até mesmo Jardel, o Papo conseguia de pé em pé chegar à meta do guapo azul Vitor.

E de tanto insistir, a recompensa veio após a redonda ser alçada no FEDOR e no bate-rebate acabou sobrando nos pés do camisa 10 Diogo Oliveira, que arriscou um patardo da entrada da área e, contando com um desvio no beque azul, a redonda MATOU o goleirão adversário e foi dormir nas redes. A porteira estava aberta, e a Papada comemorava ao grito de: JU-VEN-TU-DE!

diogo

O já ATORMENTADO Zequinha (vindo de duas derrotas em dois jogos) não conseguia sequer ultrapassar a meia cancha, salvo algumas ENTREGADAS bisonhas do xerifão Zina, ops Diogo, que quase cedeu a rapadura para o ataque porto alegrense. Tirando esses apagões do beque Papo, o Ju conseguia tranquilamente fazer a gorducha chegar a Zulu, mas, talvez já numa demonstração que não seria a noite dele, quem não conseguia atingir a gorducha era o Zorro dos Pampas.

Sobrou então para o zagueiro ARTILHEIRO Rafael Pereira. O capitão só teve o trabalho de empurrar a pelota para o fundo dos barbantes, depois da cobrança de corner de Alan que acabou na tentativa frustrada do defensor azul em afastar o porongo e então sobrar nos pés do beque esmeraldino. 

rafa1

Mas o Papo queria mais e sabia que podia! Do abatido São José, Agenor Piccinin tinha sã consciência que pouco, ou nada, poderia tirar mais de seus comandados. E, para DEGOLAR de vez o já frágil oponente, o Papo deu o arremate final em linda jogada trabalhada pela meia cancha verde e branca, que culminou na PISADA de Diogo Oliveira para o polivalente Alan mandar o CAROÇO para o fundo da meta de Vitor.

alan

O CHOCOLATE em apenas quarenta e cinco minutos passava a impressão à Papada de que nos três vira e nos seis ganha! Efetuada com êxito a primeira tarefa, a segunda foi por água a baixo nos dois CRIMES (ou falta deles) cometidos por Zulu. Quando Murilo operou uma tabela marota com Bergson e acabou sendo sapateado e derrubado na área, Leandro Vuaden – apesar da má vontade que o árbitro FIFA demonstrava em apitar o confronto – não hesitou e apontou para a marca da cal, assinalando pênalti à favor do Juventude.

A Papada já gritava: “Zulu! Zulu! Zulu!”. Mas, eis que o camisa 9 alviverde tivesse sua noite de Palermo, quando o argentino até mesmo superou a proeza de Zulu e desperdiçou três penals.

A passos lentos, quase parando, o Zorro chegou à pelota e disparou para o alvo… como um HOMEM ELÁSTICO, Vitor se contorceu todo para defender a boa cobrança de Zulu, mas que não foi suficiente para vencer o arqueiro do Mais Simpático do Rio Grande do Sul.

Os Jaconeros, mesmo assim, gritavam o nome do artilheiro, talvez com a certeza que se pintasse uma próxima ele guardaria na certa (será?). Já sem o BLACK MESSI Papo em campo (Rogerinho), de mais uma grande atuação e com o ingresso de Moisés, eis que o lateral/volante invade a área e é derrubado por trás. No mesmo instante, Vuaden abre os braços como quem fala: “Levanta, levanta! Segue o jogo”, mas a Papada concentrada ali na Zona Sul ia aos BERROS ao ver o assistente levantado com a sua bandeirinha.

Após sobrar ELOGIOS para Leandro Vuaden, o homem enfim olha para seu colega de trabalho e assinala o que poderia ser a redenção de Z9.

No mesmo momento, Lisca ENLOUQUECIA: “É pro Alan bater! É pro Alan bater!”. Apesar da fama de louco, Lisca tinha razão em ficar do estado que ficou, pois com os de ontem, o Ju já chega à QUATRO pênaltis não convertidos. Alan até tentou, mas ninguém tirou a bola da mão de Zulu. Assim, o Zorro repetiu a caminhada marota, e resolveu também repetir o erro. No canto esquerdo do guapo, Vitor pulou para vencer o confronto paralelo com Zulu, e causar logo em seguida a sua substituição.

Sorte do centroavante que o placar já assinalava os 3 x 0, e assim, dormindo na vice-liderança, sem mesmo Z9 PUNIR, o Esmeraldino ganha força para ser um dos principais, ou principal, nomes do interior nesta Taça Farroupilha. Que venha o São Luiz e o 19 de Outubro, pois o Papo está forte, e nessa nova etapa ninguém ainda o derrubou!

Entusiasmado com o futebol de seu clube nesta Taça Farroupilha,

Pedro Torres

Publicado em Gauchão 2013, Juventude, São José com as tags , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *