Bengalada no santo

1Os milicos da reserva foram convocados para a PELEIA e não se mixaram. O Veranópolis adentrou ao gramado do FARINÃO para enfrentar o Santo André apenas com um titular entre os onze iniciais, o arqueiro João Ricardo e ainda assim amarrou o adversário e saiu vitorioso. Segunda participação PENTACOLOR na competição com direito a primeira vitória e primeiro gol.

Não podia se esperar nada além de um jogo ruim, que foi o que aconteceu. De um lado o time reserva do VEC, inclusive com jogadores que não disputaram sequer uma partida oficial neste ano, e de outro o capengante RAMALHÃO de péssima campanha na Série A2 do Paulistão e que nem de longe lembra o time campeão da mesma competição em 2004.

O VEC postado em campo em duas linhas de quatro mostrou uma disciplina tática impressionante e logo de cara tomou conta da posse de bola e comandou as ações do jogo durante todo o primeiro tempo. Na base de CANELADAS o conjunto longevo partia para o ataque, enquanto Maikon Assis demonstrava que pode ser uma opção de banco, seus  companheiros de frente Geison e Leandro Rodrigues mostravam o porquê de serem preteridos constantemente.

Na defesa o beque André fazia sua estréia ao lado de Fred que fora titular no primeiro turno. Pela direita o já patrimônio veranense Fininho e pela esquerda Emanuel, mais um que chegou a ser titular no inicio do Costelão, mas por COMPLETA falta de senso de futebol passou a esquentar o banco. O Santo André nada fez para intimidar o Veranópolis, conseguiu seu primeiro remate ao gol só aos 33 minutos, sendo esse o único de toda a primeira etapa.

3Aos 35 minutos em uma das 325 faltas marcadas pelo apitador o lateral Emanuel postou-se para a cobrança e eu gritei, juro pra vocês que eu implorei da arquibancada para que aquela criatura não cobrasse a falta, que pessimista eu. Quis o destino que o primeiro gol da história do Veranópolis na Copa do Brasil acontecesse ali naquele instante, quis o destino que o tecnicamente pior jogador em campo marcasse (Márcio Reis estava fora). De canhota sem muita força, mas com muito jeito o lateral esquerdo Pentacolor balançou as redes do time paulista. GOL!

Até agora sinceramente não sei o que o Santo André veio fazer em Veranópolis, completamente controlado pela equipe reserva do VEC restou ao time paulista apelar. Ainda no primeiro tempo começaram os CHILIQUES contra a arbitragem e as tentativas de arrumar confusão com os pentacolores.

No segundo tempo os paulistas PIRARAM GERAL! Depois de uma falta duvidosa do zagueiro amarelado do VEC Fred, os reservas do Ramalhão que aqueciam à beira do gramado homenagearam o árbitro e toda sua família com belas palavras. O apitador sacou o cartão vermelho e expulsou Willian Xavier, a ação despertou a mais INSANA reação do jogador que só não AGREDIU o juiz Ronan Marques da Rosa porque foi contido por companheiros. A confusão tava armada, Brigada Militar em campo, jogo parado e tudo isso só prejudicou o visitante que acabaria por sair perdedor.

523655_2939805992088_1769026669_nA partida seguiu ruim até seu final, o treinador do Ramalhão Dedimar (que é isso?) gritou, esperneou, substituiu, tentou de tudo, mas nada tirou seu time do estado de PREGUIÇA absoluta. Restou ao Veranópolis administrar o resultado com uma cera marota e chutões para o mato.

Terminou assim a terceira partida da história do VEC na Copa do Brasil, com a primeira vitória e o primeiro gol. O jogo de volta é no dia 17 de abril. Agora é focar no jogo importante de domingo contra o Colorado, com os titulares e casa cheia.

Ficha técnica de Veranópolis 1×0 Santo André.

Veranópolis: João Ricardo; Fininho, Fred (Jonas), André Luís e Emanuel; Túlio, Saulo, Jucemar (Eduardinho) e Maicon; Leandro Rodrigues (Márcio Reis) e Geison. Técnico: Julinho Camargo.

Santo André: Rodrigo Viana; Nequinha, Rogelio, Walter e Márcio Careca; Jardel, Ramalho (Juninho), Luciano Henrique e Elielton (Gustavinho); Fábio Santos e Bruno Paulo (Elvis). Técnico: Dedimar Souza Lima.

Gol: Emanuel (35/1º)

Estádio Antônio David Farina, em Veranópolis (RS)

As fotos 1 e 3 são de Bernardo Tedesco, e a foto 2, Jornal Gazeta Veranense.

Da Terra da Longevidade,

Matheus Primieri

Publicado em Copa do Brasil, Veranópolis com as tags , , , , . ligação permanente.

3 Respostas a Bengalada no santo

  1. E que o RAMALHÃO siga assim!
    Caso não sofra uma FORTE reestruturação pro campeonato nacional, acho que pelo menos esse time paulista não deva assustar o Ju.

  2. Daroit diz:

    Bah, o DEDIMAR tá de treineiro no Ramalhão? Que afudê. E eu nem sabia que o Jucemar, que virou JUCEMAR GAÚCHO (pior alcunha) no CSA, tava no VEC. Esse brinca de ser reserva.

    Quanto ao jogo, é o típico confronto que ninguém merece ganhar. O VEC tá meio que implorando pra cair fora e não precisar arrumar gente pra jogar depois do fim do Gauchão, e o Santo André tá há uns 4 anos fazendo força pra sumir do futebol. Sou, portanto, 100% VEC, pelo menos garantiu a renda inteira do jogo e uma viagem de graça pra São Paulo, na pior das hipóteses.

  3. Wilian Giacomolli diz:

    Esse Jucemar é aqui da minha cidade Encantado-RS, na infância eu jogava nas categorias de base do E.C. Encantado, o Leão do Vale com ele, sempre se sobressaiu, mas nunca foi muito acima da média, era conhecido por Tinga, o filho do Bob Marley.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *