E foi-se a ovelha com corda e tudo

Fotos Fernando GomesEspecialJM

Numa semana repleta de símbolos e datas, a SER recebeu a Associação Riopardense nas Missões. Em plena cancha da Zona Sul, nem toda a simbologia da semana indígena foi capaz de proteger os filhos de Sepé Tiaraju contra o Peixe copero y peleador de Rio Pardo. No final de tarde dedicado a TIRADENTES, muito bom contingente de torcedores missioneiros rumou até a Zona Sul para ver o Tricolor em mais uma partida do GRILLÃO 2013.

O Santo Ângelo ingressou em campo com o desfalque do atacante Alex Espíndola. Para o lugar de EL TANQUE foi escolhido Rodrigo – talismã das segundas etapas santo-angelenses – e o esquema mudou prum 3-5-2. Já o Riopardense caiu do ônibus direto na relva do Raul Oliveira e, mesmo com a logística austera, trouxe no porta-malas a experiência do eterno BOLACHA e de Paulo Henrique, que jogava no extinto TAMOIO de Santo Ângelo e conta com o dobro da idade do jovem árbitro de JANVIE BARONI, que viveu apenas vinte primaveras.

Mesmo na condição de visitante, o PEIXE começou imprimindo ritmo, mas o Santo Ângelo se lançou ao ataque com Rodrigo que cavou uma falta na entrada da área. Gilliardi cobrou a MORANGA BRANCA e Vandré caminhou, cantou e, com uma defesa para DVD, segurou a pressão inicial dos missioneiros. Nos movimentos do tempo inicial, o Riopardense apostava nos lançamentos pela esquerda para Tiago Mattos que fazia uma correria nas costas de Diego Marder, provocando, inclusive, a substituição do lateral por Deivid, no intervalo. O Santo Ângelo criava com o GURI Felipinho, mas Vandré era um GERALDO entre as traves. E, como se não bastasse, BOLACHA e NENESTE se destacavam nos desarmes da meia cancha. Aliás, com mais uma hora na cidade, Bolacha pediria a mão da filha do delegado, pois as marcas dos anos lhe possibilitavam jogar com uma precisão daqueles que são astutos o suficiente para correr com um copo de canha na mão. Pouco antes do término da primeira parte, Tiago Mattos recebeu tarjeta amarilla e somando três advertências no certame não visitará a Cidade das Máquinas, para enfrentar a Verde y Blanca local. No trilhar do apito que reparte o jogo, o panorama era de equilíbrio entre os dois conjuntos, o que impunha terrível apreensão para os locais.

13231_358610940906291_101335289_n

Os torcedores já começavam a perguntar nas arquibancadas da tal OVELHA que seria franquiada a um hincha de las misiones, quando a dita apareceu altaneira e triunfante puxada por uma cordinha de VARAL que tinha na outra ponta Paulo da Veiga. Ainda juntava-se aos dois na cena bucólica, o Presidente Vando Ribeiro. E, como luxo pouco é bobagem, também estavam no gramado as SOBERANAS da FENAMILHO. Mas não só da carne (de ovelha) vive o homem. Antes da atração de fundo, foi sorteado um par de SAPATÊNIS, uma camiseta, um boné, um JOGO DE COPOS e um manto oficial da SER. E, quando os presentes quase já não aguentavam mais em delírio e a nossa ovelha querida saltitava em campo (tal qual um amigo e torcedor do Lajeadense) saiu o nome do agraciado. Por motivo de segurança não deveríamos divulgar, mas como a mídia golpista (ns) já fez um escarcéu com o ocorrido, desceu ao campo para buscar a ovelha, posar pros retratos e conceder as devidas entrevistas, o Sr. João Batista, da Imobiliária Tiaraju. E assim, com o par de sapatênis e o jogo de copos ofuscados, os quadros retornaram para a corrida complementar.

375999_360345584066160_901483584_n

Foto: reprodução.

A moça branca rolou para a segunda etapa da peleja e aos 7’, em cruzamento de Tiago Mattos, Cássio quase marca desviando para a boa defesa de Guilherme COSTELA! O Santo Ângelo insistia com Felipinho, enquanto Vandré recebia amarelo por cera técnica. Rafael Paraíba, reforço chegado da terra dos Corsas, depois de disputar o TARSÃO 2013 pelo Cerâmica, entrou em substituição de Gilliardi e com este movimento o Santo Ângelo empilhou três atacantes na busca do tento. Ao mesmo tempo, a necessidade de atacar por jogar como local expôs o time ao contra veneno do peixe hackeado, digo, NIKEADO.

Os últimos 20’ de partida foram daqueles que não podem faltar nas palestras de cursos para DTs. A Associação Riopardense anotou aos 25’ da etapa final numa bola alçada na área. Depois da cobrança de escanteio de Tiago Mattos, de bate-rebate na área e de ótima defesa do arqueiro COSTELA, Douglas apanhou a rebarba e balançou pro PEIXE.

O jogo ficou feio e centrado na meia cancha. Após o gol, o Santo Ângelo tentava, mas não conseguia furar o bloqueio dos de Rio Pardo. Já eram jogados 43’ do segundo tempo quando Rafinha, do time de Sepé Tiaraju, cobrou falta, a pelota foi rebatida por Alexandre e chegou até o EL VIEJO Paulo Henrique que lançou Douglas. O até então artilheiro solitário da noite tabelou com BARTÔ que rolou para Tiago Mattos servir Paulo Henrique, que com QUARENTA ANOS já estava na área missioneira para fechar a linha de passe da RIOPARLONA (ns), vencer Costela e sacramentar a vitória dos visitantes. No final do jogo, o missioneiro Paulo Henrique levou a taça OVELHA NEGRA da TERRA.

Enquanto a torcida voltava para casa entristecida e os visitantes levavam todas as fichas jogadas, o Presidente Vando Ribeiro, quando perguntado sobre maçãs não falou sobre BOVÍDEOS e afirmou que haverá dispensa de jogadores e novas contratações. É imperativo mencionar que o conjunto da SER é bastante jovem e essas oscilações entre partidas e até numa mesma empreitada já eram, se não esperadas, bem prováveis. De outra parte, a autocrítica sobre o rendimento do time é salutar para evitar que a coisa desande. Ao fim de tudo, uma derrota em casa sempre é bastante irritante, mas para quem entende o jogo de bola além dos três pontos, foi uma noite repleta de sentido. Obrigado, ovelha. Não precisava, Peixe.

Ainda querendo SER de primeira,

Rafael Ferreira* e El Viejo Balejos

*Rádio Santo Ângelo – @rafa___ferreira

(A primeira foto é de Fernando Gomes/Especial Jornal das Missões e a arte é da página da SER no facebook)

***

FICHA TÉCNICA

SÉRIE A2, 1° TURNO, 6ª RODADA

SANTO ÂNGELO 0 x 2 RIOPARDENSE

Santo Ângelo (0) – Costela, Diego Marder (Deivid), Renato, Miranda e Marcio; Douglas, Felipe Garcia, Geison e Felipinho; Rodrigo e Giliardi (Rafael Paraíba). Técnico: Luciano Corrêa.

Riopardense (2) – Vandré, Douglas, Cauê e Vinicius; Caio, Nenesto (Bartô), Bolacha, Kássio (Souza) e Wallace; Paulo Henrique e Tiago Mattos (Alexandre). Técnico: Sérgio Perini.

Golos: Douglas (25/1°T) e Paulo Henrique (45min/2°T), ambos para a Associação Riopardense. Veja reportagem com os golos AQUI!

Cartões amarelos: Diego Marder e Geison (SA); Tiago Mattos (3°), Douglas e Vandré (AR).

Arbitragem: Janvie Baroni, auxiliado por Michel Romani e Franciel Horn. O 4° árbitro foi Gederson Vinicio Foletto.

Local e data: Estádio Raul Oliveira, mais conhecido como Estádio da Zona Sul, domingo, dia 21 de abril de 2013, em Santo Ângelo (RS).

Publicado em Divisão de Acesso 2013, Riopardense, Santo Ângelo, Série A2 2013 com as tags , , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

4 Respostas a E foi-se a ovelha com corda e tudo

  1. Franco Garibaldi diz:

    Tchê, o juizão tinha só VINTE anos? Só imagino a mãe do vivente em casa, com o CUNEGUNDES na mão, na incerteza de ter ou não seu imberbe rapaz de volta em casa…

  2. Eduardo diz:

    Aguante Peixe!

  3. Balejos diz:

    #1
    Pois é. Isso me impressionou também. Imagina a pressão que sofreu este jovem.

  4. Que agora os da boca do monte não levem nosso Chopp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *