Sob a névoa, Dragões e Leões são iguais

tn_SAM_0623

O Dragão negro de Farroupilha. Foto: Renan Gasparin/Site do Brasil de Farroupilha.

Passadas quase duas semanas da CHALAÇA do acesso, o São Paulo foi a cidade das MALHAS enfrentar o DRAGÃO farroupilhense. Ainda em busca do melhor rendimento após a primeira perna do certame, o Sampa foi superior ao adversário mesmo jogando em território inimigo. Com a ausência do interminável Alê Menezes, o esquadro papareia não conseguiu virar a partida e o 1 a 1 acabou sendo o placar final da peleja.

Fechando um mês com NOVE partidas disputadas, sendo CINCO delas fora, o São Paulo foi pego com as calças na mão logo após a trilada inicial. Xaro cobrou falta com perfeição e abriu o placar antes mesmo da erva inchar. O mate ficou amargo para o Sampa, mas logo o time começou a se ajeitar em campo. Com mais posse de bola e presença ofensiva, o rubro-verde levou perigo a meta do arqueiro farroupilhense. Na TENTEADA mais perigosa, Aylon acabou não conseguindo deslocar o goleiro Carlão, que tornava-se peça importante na partida com suas intervenções.

O frio mostrava as caras e a famigerada névoa serrana não deixava por menos, porém, em campo, o jogo pegava fogo. Como uma máquina de distribuir cartões, o senhor do apito teve de expulsar o meia Miro Bahia – boatos afirmam que o mesmo é parente de Cumpadre Washington – após o cidadão cometer falta e levar o segundo amarelo. Pouco tempo o São Paulo teve para aproveitar, logo o primeiro tempo foi para o saco.

A segunda parte começou cheia de esperanças, já que em número de soldados os papareias estavam na frente. Porém, os cartões previamente distribuídos atingiram também os caturritas. O volante Carlos Alberto foi expulso ao também receber o segundo amarelo. Ao mesmo tempo em que a igualdade de atletas em campo se estabelecia, o número de jogadores por metro quadrado diminuía e os espaços apareciam. Nas investidas de Aylon, Sapata e Robert, o Leão do Parque buscava o empate que parecia ser questão de tempo. Não bastasse a noite eficiente do arqueiro do Dragão, o senhor do apito deixou de assinalar uma penalidade claríssima a favor do Sampa. Mal sabíamos que a filosofia do apitador é a famosa “2 pra 1”. Na segunda, Ávalos deu uma cortada na moranga dentro da área, pênalti. Teko bateu com categoria e finalmente colocava igualdade no placar.

Na sequência da partida, os clubes rubro-verdes não conseguiram passar a frente. A posse de bola e superioridade papareia não foi convertida em gol, graças ao goleiro Carlão e a falta de pontaria caturrita. Ainda deu tempo para Locatelli salvar uma bola quase sobre a linha, naquele que seria um ato de crueldade dantesca à representação riograndina.

Mesmo com uma sequência de jogos e viagens muito intensa, o desempenho físico do São Paulo na temporada é bem positivo. Palmas para o preparador físico Ricardo, o “professor”.

Nem mesmo a expulsão de Marcio Tinga modificou o panaroma da partida, estávamos todos fadados ao resultado mais sem graça do futebol.

Fim de papo, Moletons e Calças de Abrigo 1×1 Plataformas Petrolíferas.

Vamos as curiosidades da próxima rodada: domingo, o destino papareia será o Estádio Zona Sul que, apesar do nome, trás consigo uma distância considerável. Santo Ângelo e São Paulo duelarão num confronto direto por uma das vagas. Já o Brasil, de FARROUPILHA, pega a estrada rumo a Pelotas onde enfrentará o FARROUPILHA e suas preocupações com o rebaixamento.

FICHA TÉCNICA:

Local: Estádio das Castanheiras, Farroupilha-RS.

Brasil-Far (1) – Carlão, Tiago Machado, Roger, Ávalos, Xaro, Rodrigo (Rafael Gaúcho) Miro Bahia, Márcio Tinga, Fabiano Gadelha (Carlos Eduardo), Cristiano Tiririca (Rafael Xavier), Negreiros. Técnico – Leandro Machado.

São Paulo (1) – Luciano, Teko (Caio Gomes), Carlão Farias, Wagner, Rafael Locatelli, Carlos Alberto, Émerson Dantas, Diego Sapata (Michel), Saraiva (Diego Borges), Aylon, Robert. Técnico – Rudi Machado

Gols: Xaro (Br) 3 min. 1º t, Teko (SP) 14 min. 2º t.

Cartões amarelos: Miro Bahia (Br), Marcio Tinga (Br), Tiago Machado (Br),Carlão Farias (SP), Teko (SP), Vagner (SP), Carlos Alberto (SP), Emerson Dantas (SP), Saraiva (SP), Robert (SP), Diego Sapata (SP).

Cartões vermelhos: Miro Bahia (Br), Marcio Tinga (Br), Carlos Alberto (SP).

Arbitragem: Leonardo Spohr de Oliveira, Marcos Edinei Pereira de Moraes e Sidney Sant’Ana Brum.

Campeão do primeiro turno e com as fichas ainda em suspensão,

Matheus Almeida

Publicado em Brasil de Farroupilha, Divisão de Acesso 2013, São Paulo-RG, Série A2 2013 com as tags , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *