No almoço dominical, o Canário comeu o Dinossauro.

988488_547092078665815_1239744417_n

Hoje tive que abdicar do meu almoço para ir até a Baixada Melancólica. A partida estava marcada para as 11 horas de um Domingo de muito sol e temperatura agradável. Não era um jogo comum. Era a oportunidade do Ypiranga mostrar que pode sim subir para a primeira divisão nesse segundo turno.

Gostaria de agradecer em primeiro lugar aos funcionários do Internacional de Santa Maria que atenciosamente me colocaram no meio da torcida adversária onde tive que mascarar minhas ações (e xingamentos).

O Ypiranga começou mal, parecia ser questão de tempo para o gol do Internacional sair. Os canários estavam retraídos, com dificuldades na saída de bola e com seus dois laterais presos no campo defensivo.

Quando o time começou a acertar-se em campo, eis que surge um contra-ataque puxado pelo Internacional em virtude de uma bola perdida por Marquinhos. Gol do Inter de Santa Maria, Marco Antônio.

1002714_547073485334341_2103047884_n

Foi um banho de águia fria, mas necessário para acordar a esquadra verde-amarela. E a reação veio imediatamente. O Ypiranga cresceu no jogo, começou a tocar a bola de maneira rápida e qualificada. O treinador Leocir foi valente, sacou Liniker e promoveu a entrada do jovem avançado Nicolas. Cada vez mais o canarinho tomava conta do jogo e após uma cobrança de falta pela esquerda o xerife Anderson Santos apareceu, sem marcação, pra fazer um gol antológico. Quando todos ali presentes esperavam um chute forte típico de um zagueiro, Anderson Santos com toda sutileza que lhe convém encobriu magistralmente o goleiro adversário com uma categoria indescritível: G-O-L-A-Ç-O.

O primeiro tempo acabou empatado. Mas com uma superioridade do time de Erechim. E claro, tive que aproveitar essa deixa para enganar minha fome com um lanche na copa do estádio.

O segundo tempo começou corrido e com uma forte marcação de ambos os times. Com a bola no chão o Ypiranga era novamente superior. O canarinho criava as melhores situações do jogo e já demonstrava vontade em sair de Santa Maria com os três pontos.

Badico, que não parava se quer um minuto sem gritar, calou-se ao ver Guto deitar e rolar dentro da área. O camisa nove do Ypiranga passou como quis por três marcadores e acertou de perna esquerda a bola dentro das redes. Outro golaço do Ypiranga.

Dali em diante o Ypiranga fez tudo aquilo que Brasil de Pelotas e Riopardense fizeram em suas apresentações no Colosso contra o canarinho: Cera e mais cera, até que depois de 4 intermináveis minutos de acréscimo, o árbitro apontou para a marca que separa os campos terminando a partida.

995832_547092071999149_672867686_n

Toda aquela angustia de não poder comemorar os gols valeu a pena quando após o jogo, pude parabenizar os jogadores, bem como treinador e presidente do clube.

O Ypiranga fez o melhor jogo até agora na competição. Um futebol envolvente e qualificado. E pode ter certeza: Foi um dos meus melhores horários de almoço.

Fincando a bandeira verde-amarela no Coração do Rio Grande,

Gustavo de Lazari.

As fotos são de Daniel Pillar, do Departamento de Comunicação do Esporte Clube Internacional, disponíveis em:

https://www.facebook.com/media/set/?set=a.547071405334549.1073741834.235313586510334&type=3&l=c3aadac2b8

Publicado em Divisão de Acesso 2013, Inter SM, Sem categoria, Ypiranga com as tags , , , , , , , , , . ligação permanente.

Um comentário em No almoço dominical, o Canário comeu o Dinossauro.

  1. Giovanni diz:

    Muito boa a noticia, esse Gustavo leva jeito pra coisa em

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *