Esfriou tanto que o que era verde congelou

brasilfar

A fria tarde de domingo foi de reencontro na serra gaúcha, ao menos pra equipe do Avenida. Alguns jogadores remanescentes do título da segundona em 2011, juntamente com a comissão técnica campeã, voltavam às Castanheiras pela primeira vez. O Periquito voltava ao palco do título em busca da classificação antecipada pra as quartas de finais do GRILLÃO, a equipe vinha embalada de três vitórias no comando de Beto Campos e com a ilusão de que o ataque estava finalmente funcionando.

Veio o frio e se foi a invencibilidade, juntamente com as chances de ser o primeiro do grupo, a única coisa que não se vai é a lentidão dos cueras que vestem verde e branco na capital nacional do fumo.

Dadas as cartas, vamos aos fatos. Tudo começava como a periquitada gosta, logo aos 50 SEGUNDOS de bola rolando, Carlos Alberto abre o placar pro alviverde. Mas o que era pra ser um gás no time, teve efeito contrário e fez com que os onze homens de verde relaxassem dentro das quatro linhas, a indiada se abriu e deu espaço pros donos da casa subirem ao ataque. Já fazendo com que SÃO VANDERLEI, o mais novo xodó da torcida, operasse mais milagres para sua coleção.

Assim seguiu durante praticamente todo o primeiro tempo. Indo pro lado da hora da mijada no vestiário, o canhotinho mágico Alexandre, mostrou que a magia não foi viajar junto e bateu por cima do pau a única chance clara de gol que o Periquito teve após a rede balançar enquanto o povo ainda se abancava nas arquibancadas.

Mas pra quem achava que o gol dos visitantes foi cedo, na segunda etapa o Brasil chegava ao ataque logo aos 24 segundos de jogo, quando o (não) ovacionado pela torcida Marciel cabeceia contra o próprio gol e iguala o marcador pros donos da casa. Provando que tinha como piorar, oito minutos depois o Brasil vira o placar com XARO. O placar havia mudado e a postura das equipes também, ao menos na teoria. E quem devia correr contra o tempo agora eram os visitantes e não mais os mandantes que, a essas alturas, já estavam fazendo o tema de casa.

Porém, bem sabemos que correr não é o forte do time de Beto Campos. E quem seguia subindo ao ataque eram os donos da casa. Aos 22 minutos da etapa final, eis que numa MÃOZADA do zagueiro Marlon surge a chance de empatar a bagaça e buscar a vitória, estava marcada a penalidade pro Periquito Santacruzense. Mas seguindo a risca de que no Avenida só bate quem erra, Gavião pegou a redonda e seguiu pra marca penal e como em roteiro de novela mexicana, ele fez o mais difícil e simplesmente isolou a cobrança.

Depois de ter o doce tirado da boca por Gavião, Beto Campos pensou em buscar um ataque mais efetivo, colocando em campo Jhone e Podadeiro nos lugares de Nunes e Deivid. Mas a troca de seis por meia dúzia não alterou em nada o aproveitamento da equipe.

A partida terminou como estava e Jhone ainda perdeu uma chance claríssima de gol, já nos acréscimos.

Peleia medonha por parte do lado verde que fez tudo o que não podia fazer na mesma partida, devidamente encerrada e o pensamento automaticamente voltado pra última partida do turno. O Periquito encara o campeão do primeiro turno e já sem chances de classificação pras quartas, São Paulo. Peleia de vida ou morte pro clube do povo, em caso de vitória, se classifica em segundo na chave e enfrenta o terceiro colocado da Chave 2 nas quartas. A peleia tá marcada pro domingo, dia 23, as 15:30 no ninho do Periquito.

Chegou a hora da equipe alviverde mostrar a que veio, caso contrário, teremos Avecruz na Terra do Fumo em 2014.

FICHA TÉCNICA
BRASIL DE FARROUPILHA 2 x 1 AVENIDA

BRASIL: Carlão; Rodrigo, Héberson, Ávalos (Marlon) e Xaro; Alexandre, Miro Bahia e Tiago Renz; Renato (Diogo), Fabiano Gadelha e Geraldo.
Técnico: Leandro Machado

AVENIDA: Vanderlei; Teda, Marcelo Oliveira, Anderson Seffrin e Marciel (Luís Fernando); Nunes (Jone), Carlos Alberto, Fábio Pinho e Deivid (Lucas Podadeiro); Alexandre e Gavião.
Técnico: Beto Campos

Cartões amarelos: Marcelo Oliveira e Nunes (Avenida); Rodrigo e Miro Bahia (Brasil)
Gols: Carlos Alberto (Avenida) – 1min/1º; Marciel [contra] (Brasil) – 1min/2º e Xaro (Brasil) – 10min/2º

Árbitro: Roger Goulart
Assistentes: Rafael Silva Alves e Lúcio Flor
Data e local: 16/06/2013 – 15h30 – Castanheiras, em Farroupilha

 (A imagem é do site oficial do Brasil de Farroupilha)

Decepcionada com os animais do time,

Sabrina Heming

Publicado em Avenida, Brasil de Farroupilha, Divisão de Acesso 2013, Série A2 2013 com as tags , , , , . ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *