Tragédia Anunciada

tragedia1

Último jogo da Terceirona de 2001

Sábado, 04 de maio de 2013, 17h30. O Farroupilha cede a virada ao Internacional, em Santa Maria, após ter saído na frente por 2×0. Era o início da TRAGÉDIA para o Fantasma do Fragata. Mesmo a distância aparentemente confortável de 5 pontos para a zona de rebaixamento era, obviamente, ilusória.

O infortúnio tricolor, em verdade, teve seu prólogo muito antes disso. Após um 2012 em que bateu na trave a chance de chegar ao quadrangular final, o ano seguinte parecia promissor. Analisando no grupo montado para se começar a temporada, pouca gente apostaria que o final seria esta HECATOMBE. Mas os mais diversos problemas dentro e fora de campo, acabaram por sentenciar o destino farrapo.

Não cabe mais ficar batendo na mesma tecla. Todos que acompanharam as notícias sobre o tricolor fragatense nas últimas semanas estão cientes do sem número de pedras que o clube teve em sua trajetória em 2013. Porém, é necessário salientar mais uma vez a determinação dos atletas que mesmo com atraso de salários e falta de garantia sobre seu futuro, empenharam-se ao máximo para evitar a catástrofe, infelizmente sem sucesso.

O Farroupilha frente ao Riograndense na derradeira batalha do último domingo, como virou rotina neste segundo turno, mais uma vez atuou porém sucumbiu. Antes do relógio completar a primeira meia hora, com passe de Fábio Alemão, Tiago Duarte abriu o marcador para os ferroviários.

Minutos depois o tricolor chega ao empate em bela jogada de Márcio – atacante oriundo do sub-20 do Madureira carioca e que foi muito elogiado pela imprensa da capital no confronto da semana anterior frente ao Aimoré. A bola rebate no defensor santamariense e volta para ele, que já havia driblado dois adversários, arrematar pro fundo da rede. O árbitro aponta para o círculo central, validando o gol. Explosão na arquibancada que comportava um número razoável de espectadores. Mas o auxiliar Jorge Eduardo Bernardi chama o apitador Luis Teixeira Rocha de canto para alegar que o autor do gol estava fora do campo e reingressara ao mesmo sem autorização. O juiz então imita o seu colega usbequistanês Ravshan Irmatov que comandara Brasil x Itália na Copa das Confederações um dia antes, voltando atrás na decisão e invalidando o gol de empate do Farrapo.

Aquele tipo de situação que só acontece com times que estão para cair. Bandeirinha alterando decisão do juiz é o verdadeiro “poste mijando no cachorro”. Absurdo!

O técnico André Basques, tentando se virar com o ESFARRAPADO grupo que lhe sobrou às mãos nesta reta final, tenta de tudo para fazer o time ir pra cima, sacando o volante Filipe Garcia para o ingresso do homem de frente Jabá.

Quando faltavam por volta de 25 minutos para o término da partida, Uillian Nicoletti alça a pelota em direção a área e ela mansamente toma o caminho do barbante. Na dúvida se Wagner Rincón toca nela antes de entrar, o auxiliar Paulo Ricardo Conceição não pensa duas vezes e levanta a flâmula impugnando mais um tento dentre tantos gols anulados que perseguem a história do Grêmio Atlético Farroupilha.

Em Santa Maria, cabalisticamente a cidade onde o drama fantasma começou a tomar forma, o empate segurado graças a uma defesa de Samuel (que em 2012 atuava no Fragata) no segundo pênalti favorável ao União Frederiquense, até era razoável para o Campeão Por 100 Anos, visto que o deixava dependendo apenas da vitória para se manter na Divisão de Acesso. Mas ela não veio.

Há quem tente procurar justiça no futebol. Enquanto o Farroupilha teve dois gols DUVIDOSAMENTE anulados em seus próprios domínios, seu adversário nessa reta final de fuga contra o rebaixamento recebe de bandeja dois pênaltis a seu favor fora de casa. Sem contar a ESTRANHA PIPOCADA xavante em pleno Bento Freitas, deixando escapar uma vitória que parecia certa ao levar dois gols em menos de três minutos, na quarta-feira anterior.

tragedia2

Porém, o certo é que o clube IMPLOROU para ser rebaixado. Muita coisa se passou depois daquele 28 de outubro de 2001, todavia, após 12 anos, o Fantasma está de volta à Terceira Divisão Gaúcha. É hora de se reestruturar. É hora de se reorganizar. Espero não ficar órfão de futebol no Nicolau Fico por um período que pode ser maior do que UM ANO.

Marcos Ceron Gonçalves

FICHA TÉCNICA – (Fonte: Futebol Daqui)

Árbitro: Luis Teixeira Rocha

Auxiliares: Jorge Eduardo Bernardi e Paulo Ricardo Conceição

Cartões Amarelos: Wilson, Lucas, Cassel e Yai  (Riograndense)

Gol: Tiago Duarte (Riograndense)

FARROUPILHA (0):

Diego; Pedro Júnior, Carlão, Uillian Nicoletti e Jonata (Ihuur); Max, Rincón, Felipe Garcia (Jabá) e Pelezinho; Marcio (Fabiano Weege) e Mateus Guerreiro. Técnico: André Basques

RIOGRANDENSE (1):

Yai; Rangel, Marcio Nunes, Vinicius e Lucas (Foletti); Cassel, Gustavinho, Julio Abu (Fernando), Dangelo (Wilson); Tiago Duarte, Fábio Alemão. Técnico: Círio Quadros.

As duas fotos, apesar do tempo que as separa, são de Paulo Rossi do Diário Popular.

 

Publicado em Divisão de Acesso 2013, Farroupilha, Riograndense-SM, Série A2 2013 com as tags , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

8 Respostas a Tragédia Anunciada

  1. Franco Garibaldi diz:

    Que foto aquela primeira. E que lástima pelo Fanasma.

  2. Roberto diz:

    Contra quem era o jogo da primeira foto do post?

    Abraço!

  3. Marcos Ceron diz:

    Franco: A foto é do Paulo Rossi mas os créditos vão ao áureo-cerúleo Leandro Lopes por ter achado essa pérola.

    Roberto: o adversário da primeira foto foi o Cachoeira que na ocasião foi o campeão da Terceira Divisão e o Farroupilha, vice, subiu junto. O que espero que se repita em 2014 mas com o caneco!

  4. Leandro Lopes diz:

    É lamentável, cara. Quando te vi ostentar a camisa tricolor na Arena, pensei: é por ESSES LOUCOS que o futebol do Fragata é eterno. Hoje, pouco tempo depois, não tenho a mesma certeza e isso me dói. Tive a oportunidade de trabalhar por um ano no Farroupilha pelos meios que a imprensa nos oportuniza. Lá criei vínculos. Por lá tenho muito carinho. Não quero ter apenas na lembrança a bola rolando no Nicolau Fico. Com ou sem “poesia”, quero ter a certeza de que aquelas redes ainda vão balançar. Enquanto a bola se cala, nos resta falar por aqui. Outros poetas virão, mas o Fantasma tem que permanecer.

  5. Marcos Ceron diz:

    Massa teu relato, Leandro. Mais um de tantos que atestam aquilo que todos falam que “todo mundo gosta do Farroupilha”.

    Há de se achar o meio termo entre a frase anterior e a outra, velha conhecida, que diz que “Pelotas não comporta três times” ¬¬

  6. Enrique Xavante diz:

    Sou torcedor xavante,mas tenho uma admiração pelo farrapo.É um clube que tem muita tradição no interior,e que espero que ano que vem tenha a oportunidade de voltar a divisão de acesso,VAMO FARRAPO!

  7. Pingback: Bra-Far 215 | Toda Cancha

  8. Pingback: Que venha a segunda fase | Toda Cancha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *